Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sucessão familiar: desafios e estratégias para uma transição natural

Sucessão familiar: desafios e estratégias para uma transição natural

08/10/2020 Marcus Vinícios de Carvalho Ribeiro

Grande parte dos negócios nascem da idealização e empenho de famílias de empreendedores.

As empresas familiares passam de geração em geração, muitas vezes atravessando séculos e, outras tantas vezes, incapazes de manter o êxito dos antepassados fundadores.

Para a manutenção das operações, com crescimento e constante desenvolvimento, decorre a necessidade de profissionalização da gestão.

Mecanismos de fortalecimento são fundamentais para a transição da cultura empírica para uma postura mais apropriada à realidade do mundo corporativo atual.

Os mecanismos de gestão de governança corporativa e familiar, são as estruturas necessárias para organizar as empresas familiares e famílias empresárias, separando os fóruns de debates de forma adequada ao seu crescimento e à sua profissionalização.

Entende-se por governança corporativa o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas. Uma sucessão bem conduzida impacta, certamente, a longevidade das empresas familiares.

Desafios e aspectos legais

O sucesso da sucessão está ligado ao grau de amadurecimento e responsabilidade por parte do sucessor. Grande parte das empresas familiares não sobrevivem às transições de gerações. E a falta de preparos de seus sucessores para tal situação agrava essa constatação.

As escolas e as famílias encontram dificuldades na formação dos jovens para o mundo profissional, criando gerações de sucessores desprovidos de responsabilidades e despreparados para dar seguimento à gestão das empresas.

Tal fenômeno impacta diretamente na sucessão empresarial e, do mesmo modo, no avanço e na continuidade do negócio.

Há vários exemplos de empresas que eram extremamente fortes e competitivas e se tornaram massas falidas por não terem preparado e estruturado a sucessão.

Os advogados e os instrumentos jurídicos também podem apoiar essas famílias em suas peculiaridades e necessidades, cabendo ao jurídico dar a segurança aos anseios da família.

Já que, compreendidos alguns conflitos das empresas familiares, percebe-se que a grande questão está ligada à sucessão.

Eis que a continuidade dos negócios não depende do idealizador, cabendo ao sucessor atender as expectavas a ele imposta e fazer com que os negócios prosperem cada vez mais.

Estratégias que garantem sucesso

Existem três estratégias fundamentais para auxiliar na perenidade de um negócio: manter restritas as participações dos membros da família, ser capaz de renovar as estratégias do negócio e de criar novas lideranças, e saber enfrentar o contexto de mudanças na qual a empresa está inserida.

A sucessão é um fato inegável na vida das famílias e das empresas. Deve-se enxergar essas mudanças como uma das metas mais importantes de uma empresa, eis que não há sucessão empresarial vencedora sem o comprometimento de toda a família empreendedora.

Sendo assim, faz-se necessário a criação de um programa de formação de lideranças dentro das empresas, com a especificidade de criar e delimitar valores à capacitação dos herdeiros e futuros sucessores das sociedades empresárias familiares.

A criação de filhos e filhas, netos e netas, deve estar alinhada à ideia da criação de grandes líderes gestores, aptos na administração não só das empresas, mas também das famílias.

Para tanto, a adoção de mecanismos e ferramentas que garantam a sucessão e distribuição de poder é fundamental para uma transição natural e harmônica.

O êxito da sucessão nas empresas familiares está ligado ao planejamento das organizações e também ao engajamento dos sucessores e sucedidos.

Só haverá sucesso com processos e medidas que garantam a formação das próximas gerações.

As empresas devem se planejar para evitar que a saída do patriarca ou matriarca não seja o princípio do fim, mas apenas uma mudança natural.

* Marcus Vinícios de Carvalho Ribeiro é advogado atuante na área do direito empresarial, do escritório Flávio Pinheiro Neto Advogados.

Fonte: Trevo Comunicação



O caso do jogador Dudu do Palmeiras: por que o divórcio deixou a ex-mulher sem nada?

O caso da separação do jogador Dudu, do Palmeiras, deixa um alerta para quem pretende estabelecer um casamento ou uma união estável.


Demissão por WhatsApp não é ilegal

Entendimento da Justiça tem sido de verificar, independente do meio, postura digna e comunicação clara nos desligamentos de trabalhadores.


Caso Daniel Alves, a Lei Pelé e a cultura de atraso de salários no futebol brasileiro

Na última semana fomos surpreendidos pela atitude corajosa do lateral Daniel Alves que decidiu não atuar mais pelo São Paulo Futebol Clube, por conta de atrasos de salários.


As expectativas advindas do Marco Legal das Startups

É verdade que a sensação da comunidade empresarial, quando da eminência da publicação de um novo diploma legal a fim de regular determinada atividade, volta-se naturalmente aos entraves burocráticos capazes de frear e obstar a chancela de negócios.


As fraudes financeiras com bitcoins e a necessidade da punição exemplar

A ampla cobertura da mídia sobre as operações das autoridades brasileiras contra fraudes financeiras utilizando a rentabilidade das criptomoedas como forma de atrair investidores deu visibilidade à uma prática que vem crescendo exponencialmente no Brasil.


Polêmica da Anvisa: atuação do órgão no jogo entre Brasil e Argentina

Na tarde do último domingo (5 de setembro), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) paralisou a partida de futebol entre Brasil e Argentina, que jogavam pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.


As virtudes e desvirtuamentos do Novo Código Eleitoral

Tramita no Congresso Nacional o projeto do Novo Código Eleitoral com mais de novecentos artigos.


Principais impactos da LGPD nas relações de trabalho

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD - Lei nº13.709/2018) prevê regras e princípios que devem ser observados quando da utilização de dados pessoais pelas empresas privadas e públicas.


Como garantir sua aposentadoria com tranquilidade em Portugal

Quando um cidadão brasileiro decide morar em Portugal, ou vice e versa, é preciso fazer diversos planos para que a sua qualidade de vida seja ainda melhor no país de destino.


Parecer da Receita pretende excluir o ICMS da base dos créditos de PIS e COFINS

O ICMS destacado na nota fiscal não pode ser considerado receita bruta por não representar acréscimo patrimonial do contribuinte.



O que mudou no Direito Condominial com o novo Código Civil?

O jurista Dalmo Dallari afirma que a sociedade humana pode ser considerada como um conjunto de pessoas que estão ligadas pela necessidade de se ajudarem com o intuito de garantir a continuidade da vida e satisfazer seus interesses e desejos.