Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Atividades entre estudantes é fundamental para evitar o bullying

Atividades entre estudantes é fundamental para evitar o bullying

08/08/2021 Yan Navarro

Os estudantes, professores e inspetores devem se sentir seguros para denunciar os agressores.

Atividades entre estudantes é fundamental para evitar o bullying

Um dos problemas mais graves que afetam as crianças e os adolescentes, prejudicando a vida escolar e a saúde mental dos jovens, é o bullying, que não deve ser tolerado pela sociedade. Ao tratarmos o assunto nas instituições de ensino, percebemos que ainda é rodeado de muitos preconceitos, levando-nos a dar uma importância menor do que o necessário. Caracterizado pela permanência das ofensas, é neste ambiente que ele deve ser abordado com frequência, de forma a gerar uma identificação entre os pares e o reconhecimento e validação das habilidades do outro.

Ao levarmos este debate para as salas de aula, é comum ouvirmos frases dos pais como ‘isso é frescura’ ou ‘no meu tempo todo mundo implicava com todo mundo e ninguém ligava’. Entretanto, as duas frases não condizem com a gravidade da situação para quem é vítima. A Lei nº 13.185 de 2015 considera o bullying como uma intimidação sistemática, ou seja, “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas”. Dessa forma, para que uma ação seja considerada como tal, ela deve ser repetitiva e não apenas eventual.

As instituições de ensino possuem a obrigação legal de assegurar medidas de conscientização, prevenção, diagnose e combate à violência e à intimidação sistemática, embora muitas ainda tomam ações concretas apenas quando acontece na forma de ataques físicos, insultos pessoais, apelidos pejorativos, ameaças por quaisquer meios ou expressões preconceituosas. Na Luminova, por exemplo, o tema é abordado frequentemente e os alunos são agrupados ora por competências afins, ora pela heterogeneidade do perfil de aprendizagem. O objetivo é criar a identificação entre os pares e validar as habilidades do outro como meio de colaboração, o que é fundamental para que haja o respeito. Em casos mais severos, é investigado a origem, convocando, além da equipe pedagógica, também a família desse aluno, a fim de passar a orientação correta e fazer um acompanhamento mais próximo.

Estes, inclusive, devem ser atuantes na vida escolar e estarem atentos aos comportamentos dos jovens, pois serve tanto para identificar vítimas, quanto agressores. Se a família perceber que seu filho é o perseguido, deve recorrer à administração o quanto antes para buscar uma solução conjunta. No caso do estudante ser aquele que comete os ataques, além de buscar a ajuda da instituição, deve também orientá-lo dentro de seus valores, indicando que esse comportamento é inadequado e que pode gerar consequências nocivas para todos os envolvidos, desencadeando, em alguns casos, o suicídio.

E é preciso atenção, também, mesmo quando esses eventos extrapolam os muros ou ocorrem pela Internet, pois, o que envolve os alunos, é responsabilidade do colégio e seus gestores. O ambiente, para ser saudável para todos e livre de práticas nocivas como o bullying, deve ser construído através de projetos que envolvam toda a comunidade. Os estudantes, professores e inspetores devem se sentir seguros para denunciar os agressores, que, por sua vez, devem ser tão acolhidos quanto as vítimas, pois muitas vezes reforçam comportamentos que sofrem dentro de casa ou traumas que sofreram na primeira infância.

* Diretor da rede de Escolas Luminova, Yan Navarro é doutor em Didáticas específicas pela Universidade de Valência, na Espanha, e doutor em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Para mais informações sobre Bullying clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Markable



Inep confirma realização do Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro

Publicação no DOU também traz datas para Revalida, Encceja e Enade.

Inep confirma realização do Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro

Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Voitto libera 15 mil acessos gratuitos e curso com 12 horas de conteúdo e certificado de conclusão.

Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Universidade Infraero abre inscrições para o Programa ‘Treinar’

Universidade Infraero firma contrato com Secretaria Nacional de Aviação Civil.


Startup de educação realiza curso que incentiva independência nos estudos

A Semana do Filho Estudioso, organizada pela Piva Educacional, ocorre entre os dias 17 e 24 de janeiro com transmissão simultânea para o Brasil e exterior.


Aluna dos meus alunos

Tempo, partilha, generosidade.

Aluna dos meus alunos

Um debate sobre a valorização dos educadores

Quando falamos da importância da valorização dos profissionais da educação, diversos fatores devem ser considerados.

Um debate sobre a valorização dos educadores

Curso gratuito de programação vai capacitar 50 mil mulheres

Iniciativa criada pela escola de programação Kenzie Academy e a startup DUPLA quer reduzir a desigualdade de gênero na área de tecnologia.


4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Especialista aponta os principais pontos para promover ambientes dinâmicos e que estimulem o acesso ao conhecimento.

4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

Medida trará mais eficiência, segurança e proporcionará redução de custos às instituições.

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

Acesso ao aprendizado da linguagem de programação amplia a criatividade, pensamento crítico e matemático, além da capacidade de resolução de problemas.

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

2021, o ano que (enfim) terminou

Faz praticamente dois anos que vivemos quase o dia da marmota, como no filme O Feitiço do Tempo.

2021, o ano que (enfim) terminou

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas

Para se candidatar é necessário ter feito o Enem entre 2017 e 2021.

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas