Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Diferença no enfrentamento da pandemia: básico público e privado

Diferença no enfrentamento da pandemia: básico público e privado

24/09/2020 Luciane Prestes

A pandemia pegou o mundo todo de surpresa, mas em outros países o olhar para o sistema educacional é totalmente diferente.

Diferença no enfrentamento da pandemia: básico público e privado

Desde o início da pandemia, em março, as instituições públicas e privadas brasileiras foram afetadas pelas medidas preventivas estipuladas por prefeitos e governadores, que determinaram o distanciamento social e o fechamento e cancelamento das aulas presenciais para conter a disseminação do coronavírus. Esta pandemia demonstra a desigualdade existente entre os sistemas básicos de ensino público e privado com efeitos no calendário acadêmico e na qualidade de ensino.

Nas escolas particulares houve uma resposta rápida com a utilização de recursos digitais combinando vídeos gravados e ao vivo, tarefas integrativas e tutores, com os privilégios inerentes à classe e à circunstância. Além disso uma rápida organização, planejamento e formação dos professores e alunos foi identificada. Fica evidente que a questão econômica com o pagamento das mensalidades por parte dos pais, e a necessidade de manutenção destas instituições provocou uma maior organização e influenciou para esta rápida resposta.

Por outro lado, nas escolas públicas o ensino presencial normalmente já enfrentava dificuldades pela falta de recursos tecnológicos, e neste momento de pandemia, em muitos municípios foi disponibilizado material didático para que os responsáveis fossem buscar nas escolas e assim os alunos pudessem continuar a estudar. Em outros casos, foi disponibilizado o envio de material digital, de orientações genéricas e acompanhamento do livro didático com comunicação por redes sociais e plataformas estaduais. Estas atividades remotas no ensino público tiveram por objetivo estimular intelectualmente o aluno durante o isolamento, sendo esta adesão em muitos casos, facultativa. Entretanto, muitos estudantes vivem em situação de vulnerabilidade com dificuldade no acesso à internet e estrutura tecnológica para o ensino remoto, dificultando a continuidade e o estímulo intelectual.

Os pais ou responsáveis, muitas vezes não capacitados, passaram a ser os tutores em casa no auxílio destes alunos que não tem outra alternativa sem professores para ensiná-los. As autoridades competentes reforçam a necessidade do distanciamento social, naturalmente, mas ao mesmo tempo não têm uma proposta de política pública que resguarde o direito e acesso ao sistema educacional às classes menos favorecidas. A constância à educação depende deste estudante ter acesso às tecnologias digitais cujo acesso é essencial para o exercício da cidadania conforme disposto no art. 7º da Lei 12.965/2014.

A pandemia pegou o mundo todo de surpresa, mas em outros países o olhar para o sistema educacional é totalmente diferente. As instituições apresentaram mecanismos de respostas, as escolas privadas apresentaram um sistema mais eficiente e rápido em decorrência das necessidades de sobrevivência e potencial de organização. A crise está aí e seria uma oportunidade de transformar a educação com o aproveitamento do aprendizado além da sala de aula, com novas formas de ensino. Cabe aos órgãos públicos a adequação e organização frente a esta nova realidade e tudo que ela representa.

* Luciane Prestes é professora especialista da Área de Educação, da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Pg1 Comunicação



Inep confirma realização do Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro

Publicação no DOU também traz datas para Revalida, Encceja e Enade.

Inep confirma realização do Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro

Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Voitto libera 15 mil acessos gratuitos e curso com 12 horas de conteúdo e certificado de conclusão.

Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Universidade Infraero abre inscrições para o Programa ‘Treinar’

Universidade Infraero firma contrato com Secretaria Nacional de Aviação Civil.


Startup de educação realiza curso que incentiva independência nos estudos

A Semana do Filho Estudioso, organizada pela Piva Educacional, ocorre entre os dias 17 e 24 de janeiro com transmissão simultânea para o Brasil e exterior.


Aluna dos meus alunos

Tempo, partilha, generosidade.

Aluna dos meus alunos

Um debate sobre a valorização dos educadores

Quando falamos da importância da valorização dos profissionais da educação, diversos fatores devem ser considerados.

Um debate sobre a valorização dos educadores

Curso gratuito de programação vai capacitar 50 mil mulheres

Iniciativa criada pela escola de programação Kenzie Academy e a startup DUPLA quer reduzir a desigualdade de gênero na área de tecnologia.


4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Especialista aponta os principais pontos para promover ambientes dinâmicos e que estimulem o acesso ao conhecimento.

4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

Medida trará mais eficiência, segurança e proporcionará redução de custos às instituições.

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

Acesso ao aprendizado da linguagem de programação amplia a criatividade, pensamento crítico e matemático, além da capacidade de resolução de problemas.

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

2021, o ano que (enfim) terminou

Faz praticamente dois anos que vivemos quase o dia da marmota, como no filme O Feitiço do Tempo.

2021, o ano que (enfim) terminou

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas

Para se candidatar é necessário ter feito o Enem entre 2017 e 2021.

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas