Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Ensino híbrido como legado para o pós-pandemia

Ensino híbrido como legado para o pós-pandemia

12/09/2020 Mônica Timm de Carvalho

Dispor de computador e internet para a realização de estudos é uma realidade para poucos estudantes brasileiros. 

Ensino híbrido como legado para o pós-pandemia

De uma hora para a outra, professores tiveram que replanejar as rotinas de suas aulas, relacionando-se remotamente com os estudantes. Difícil encontrar ocasião em que o segmento da educação precisou aprender tanto e em tão pouco tempo.

Na base de quase todas as aprendizagens que a COVID-19 nos impôs, aparece com protagonismo o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs). Ao longo das duas últimas décadas, esse tema, ainda que cada vez mais presente na vida em sociedade, recebeu resistências de muitos professores e gestores, tanto pelo fato de ser difícil a apropriação de tais recursos, quanto por ser oneroso para as escolas disponibilizar parques tecnológicos permanentemente atualizados.  A pandemia, contudo, não deixou escolha: se práticas de ensino remoto não fossem implementadas como alternativa às aulas presenciais suspensas, a função social de escolas e universidades deixaria de acontecer durante tempo indeterminado.

A necessidade de isolamento social, contudo, repercutiu de maneiras distintas nas redes pública e privada, acabando por sublinhar ainda mais as desigualdades sociais em nosso país. Dispor de computador e internet para a realização de estudos é uma realidade para poucos estudantes brasileiros.  Na rede privada, a infraestrutura de acesso dos estudantes ao ensino remoto não foi propriamente uma barreira a vencer. Ao contrário: escolas com recursos tecnológicos deficitários puderam se beneficiar do acesso das famílias à internet e aos seus próprios computadores, retirando das instituições de ensino a responsabilidade por eventuais sobrecargas às suas redes de dados. Isso significou certa "igualdade de condições" entre as escolas privadas.

Descobrimos na prática do isolamento social que é possível deixar a leitura de textos e as listas de exercícios para fora do tempo da presencialidade coletiva. E mais: que as tecnologias educacionais se mostram eficientes para apoiar tarefas repetitivas dos professores. Boas escolas serão mais facilmente reconhecidas após a pandemia, não mais pela estrutura física ou pelo parque tecnológico de que dispõem, mas pela forma como integrarão as novas tecnologias, garantindo a melhor efetividade dos momentos presenciais. O ensino híbrido agora nos possibilita a reinvenção da sala de aula.

* Mônica Timm de Carvalho, CEO do Elefante Letrado

Fonte: Martha Becker



Os impactos colaterais da Reforma Tributária no ensino privado brasileiro

A Reforma tributária chegou para valer. O poder executivo finalmente demonstrou suas verdadeiras intenções.

Os impactos colaterais da Reforma Tributária no ensino privado brasileiro

Os resultados do PISA, liderança e o regime de colaboração

O Brasil participa do PISA desde 2000 e os principais avanços de aprendizagem dos alunos ocorreram até o ano de 2009.


O paradigma do Ensino Híbrido

Recordar é viver: “é preciso aprender a aprender”.

O paradigma do Ensino Híbrido

Cursos gratuitos para quem deseja empreender no segmento de doces

Os conteúdos são aplicados por confeiteiros e consultores de negócios, de maneira didática, com videoaulas, e-books e certificado de formação.

Cursos gratuitos para quem deseja empreender no segmento de doces

Dinossauros em transformação

O que nós professores podemos fazer é utilizar diferentes estratégias de transposição didática.

Dinossauros em transformação

Ser professor no Brasil

Somos em torno de 2,5 milhões de professores, atuando desde o fundamental até o ensino superior.

Ser professor no Brasil

Jovens fora das salas de aula custam caro ao país

A evasão escolar gera gasto 372 mil reais para o Brasil, por ano.

Jovens fora das salas de aula custam caro ao país

Educadores brasileiros ganham aplicativo gratuito para autodesenvolvimento

EducaBox usa microlearning para desenvolver competências digitais em professores e educadores sociais e corporativos.

Educadores brasileiros ganham aplicativo gratuito para autodesenvolvimento

Professora curitibana vence prêmio nacional com projeto pedagógico durante pandemia

Docente engaja famílias dos estudantes com atividades que unem filantropia aos conceitos das disciplinas.

Professora curitibana vence prêmio nacional com projeto pedagógico durante pandemia

Não existe ano letivo perdido

Devemos olhar como um período de aprendizagem.

Não existe ano letivo perdido

Na escola, dia das crianças é todo dia

Sempre que chega o 12 de outubro, as celebrações pelo Dia das Crianças se espalham por todo o país.

Na escola, dia das crianças é todo dia

O copo meio cheio ou meio vazio da Educação

Um copo com água pela metade pode estar meio cheio ou meio vazio, depende do ponto de vista.

O copo meio cheio ou meio vazio da Educação