Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Ensino Não Presencial x Educação a Distância

Ensino Não Presencial x Educação a Distância

13/05/2020 Mariane Kraviski

Do dia para a noite, vivenciamos uma mudança em nossa rotina até então não imaginada.

Ensino Não Presencial x Educação a Distância

Escolas e faculdades fecharam suas portas, estudantes e professores estão em suas casas, estudando e ensinando. Mas, por que de fato tudo isso está acontecendo? Estamos em 2020. Temos um inimigo invisível que nos deixou em isolamento social e não podemos mais nos aglomerar, muito menos frequentar uma sala de aula. Uma gripe, causada pelo coronavírus que, até o momento não tem cura, assola o mundo em números exorbitantes de doentes e mortes e, para evitarmos contágio e aceleração da doença, a recomendação é que fiquemos nos resguardando em nossas casas.

Contudo, essa mudança fez com que a educação básica brasileira, primordialmente presencial, fosse transformada, a toque de caixa, em um ensino on-line. Sem precedentes, nós professores, iniciamos uma batalha, contra nós mesmos, e montamos um arsenal em nossas casas para dar conta de uma demanda para uma única missão, talvez inédita em nossas vidas: continuar com nossa tarefa de ensinar, remotamente, em home office. Vimo-nos diante do desafio de trocar nossa turma de alunos por câmeras e microfones. Estudantes nos substituíram pelo computador. Agora, os vídeos são nossas salas de aula, o teclado e o mouse são nosso quadro e giz.

Entretanto, eis que se dá início ao Ensino Não Presencial, com características de uma Educação a Distância (EAD), mas longe de ser caracterizada como uma modalidade de ensino. Torna-se, então, primordial a abertura para uma discussão acerca dessa temática, o que significa que é indispensável que essa dicotomia seja explicada, uma vez que há diferença entre Ensino Não Presencial e Educação a Distância, mesmo que sejam complementares. Alguns especialistas têm chamado esse período de flexibilização temporária da EAD, embora as características entre as duas sejam semelhantes, vamos analisar a separação que há entre a EAD e o Ensino Não Presencial.

A Educação a Distância (EAD), de acordo com a definição do MEC (Ministério da Educação), “é a modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos”. Ainda que, carregada de pré-conceitos, fez-se essencial adotar tal metodologia nesse período de pandemia e isolamento, pois é consoante ao que temos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em que diz que “o ensino fundamental será presencial, sendo o ensino a distância utilizado como complementação da aprendizagem ou em situações emer­genciais”. E estamos em uma situação emergencial. Crianças e jovens não frequentam o ambiente escolar desde março e estão em suas casas desfrutando de aulas on-line.

Por conseguinte, ao comparar a EAD com o Ensino Não Presencial, percebemos que estamos tratando de duas frentes, de momentos e de modalidades diferentes. Para que a educação no país não parasse, o Ensino Não Presencial foi uma adaptação necessária, momentânea e emergencial, em que os professores, de suas residências, estão replanejando e reinventando o ensino para manter o andamento do ano letivo. As aulas e atividades, que antes eram realizadas presencialmente, agora são enviadas através de ambientes virtuais e meios digitais, que são as tecnologias de comunicação e informação já utilizadas na EAD.

Para concluir e fortalecer o exposto, o CNE (Conselho Nacional de Educação) aprovou um parecer sobre a oferta de atividades não presenciais em todas as etapas da educação, sendo a partir do Ensino Fundamental o cumprimento da carga horária obrigatória em Ensino Não Presencial. “A comunicação é essencial neste processo, assim como a elaboração de guias de orientação das rotinas de atividades educacionais não presenciais para orientar famílias e estudantes, sob a supervisão de professores e dirigentes escolares”, assim diz o texto.

* Mariane Kraviski é mestre em Educação e Novas Tecnologias pelo UNINTER e professora da Área de Educação, da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional Uninter

Fonte: PG1



Educação no isolamento social se torna oportunidade de aprendizado para qualquer idade

As aulas on-line das crianças têm requisitado uma maior participação dos familiares.

Educação no isolamento social se torna oportunidade de aprendizado para qualquer idade

Fatos sobre a lição de casa em tempos de aula à distância

Orientar de modo equivocado pode causar estragos na aprendizagem.

Fatos sobre a lição de casa em tempos de aula à distância

MEC define protocolo de segurança para volta às aulas

Cronograma das atividades deve ser orientado pelo governo local.

MEC define protocolo de segurança para volta às aulas

A vida depois da graduação

O resultado esperado é um aprofundamento de carreira dentro de uma profissão.

A vida depois da graduação

Educação, pandemia e juventude

Hoje proponho uma reflexão acerca dos rumos que estamos dando à educação no Brasil e o que, de fato, desejamos de nossa atual juventude em sua maturidade.


Ensino remoto: a nova via da educação superior

É bastante improvável que a educação tradicional e presencial retorne antes de 2021.


A herança da pandemia na educação

A esta altura da pandemia, já se sabe que ela vai deixar, além da crise econômica que todos estamos vivendo, uma herança baseada em mudanças de hábitos e no uso mais intenso da tecnologia.


A pedra no sapato do Ensino Superior brasileiro

Mais da metade dos que ingressam nas universidades trocam de turma, curso ou instituição, ou abandonam os estudos.

A pedra no sapato do Ensino Superior brasileiro

Pandemia não desanima maioria a cursar faculdade em 2020

Estudo  mediu o impacto da covid-19 nas matrículas para o 2° semestre de 2020 e 65% seguirá com o projeto universitário.

Pandemia não desanima maioria a cursar faculdade em 2020

Pesquisa aponta que 28% dos jovens não voltarão às aulas após pandemia

Levantamento questionou 33.688 jovens de todo o país.

Pesquisa aponta que 28% dos jovens não voltarão às aulas após pandemia

O novo normal na educação: o que era diferencial se tornou um pré-requisito essencial

O isolamento social necessário por causa da pandemia do novo coronavírus obrigou escolas no Brasil e no mundo a se adaptarem.

O novo normal na educação: o que era diferencial se tornou um pré-requisito essencial

Arranjos de Desenvolvimento: um tema importante para os secretários municipais de educação

O dia a dia da administração de uma rede de ensino é pesado e complexo.

Arranjos de Desenvolvimento: um tema importante para os secretários municipais de educação