Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Escolas de idiomas apostam em novos serviços para atrair alunos

Escolas de idiomas apostam em novos serviços para atrair alunos

13/03/2016 Divulgação

O diretor da The Best Idiomas explica como as escolas de idiomas estão se adaptando a crise econômica do Brasil.

Com a estagnação econômica do Brasil, é grande o número de famílias reduzindo os investimentos, dando prioridade para os itens de necessidades básicas, como alimentação e saúde.

Em alguns casos, o argumento do "orçamento reduzido" tem sido usado para justificar o adiamento de um novo curso profissionalizante ou a continuidade das aulas.

Mas há também aquele público que, em tempos de crise e desemprego, se volta para buscar novas qualificações visando uma preparação melhor para o futuro e desafios no mercado de trabalho.

E os dados não mentem. No levantamento feito pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento Educação e Treinamento – formado também por franquias de ensino de línguas estrangeiras – foi um dos que mais se destacaram em 2015.

O setor registrou crescimento de 15% no terceiro trimestre do ano em relação ao mesmo período de 2014. E isso acontece mesmo em um período em que só se falou em crise.

São inúmeros os fatores que vêm provocando, neste mercado, um movimento de reação durante períodos tão conturbados como o que estamos vivendo em nosso país.
Nos últimos anos, o Brasil tem sediado grandes eventos mundialmente conhecidos.

Além da Copa do Mundo em 2014, em agosto deste ano acontecem as Olimpíadas no Rio de Janeiro. Como o país tem sido o palco para muitos eventos conhecidos pelo mundo todo, o Brasil acabou sendo um dos principais destinos para os turistas.

Esse fator leva as empresas a buscarem cada vez mais profissionais com inglês fluente. A classe C também voltou os olhos para o ensino de idiomas. Um número grande de jovens que estavam planejando fazer um intercâmbio fora do país concentram suas energias em estudar em escolas de línguas brasileiras.

Exemplo disso é a queda do número de intercâmbios para outros países. Impossibilitados de conseguir realizar o sonho de aprender um idioma fora do país e sabendo da importância de ter o inglês ou outro idioma como uma segunda língua, é grande o número de famílias concentrando seus esforços em aprender o idioma sem sair do Brasil.

O cenário é otimista para as escolas de idiomas, já que a busca pela melhor qualificação, neste momento de crise, faz toda a diferença em um futuro próximo.

Mas não basta apenas ter conhecimento dessa mudança comportamental das famílias brasileiras. As escolas de idiomas precisam se reinventar para manter o aluno matriculado.

Elas precisam se adaptar diante da concorrência e das tecnologias, levando para a sala de aula novidades que atraem e prendam a atenção do estudante.

Segundo o diretor da Escola de Idiomas e Informática The Best, Gustavo Penido, “a The Best Escola de Idiomas e Informática entrou o ano de 2016 oferecendo uma série de modificações em sua grade curricular.

Além de investimentos em tecnologia, foi preciso atualizar todo o material didático e criar aulas extras com formato de interação aluno – professor e ambiente da cidade. Assim o aluno pode se sentir mais motivado e determinado a falar, escrever e escutar com fluência a língua estrangeira escolhida”, comenta.

Gustavo também afirma que conquistar alunos na faixa etária dos 15 aos 18 anos é um desafio para as escolas de idiomas. Dependendo da classe econômica, muitos estão buscando o seu primeiro emprego e outros deixando de fazer o tão sonhado intercâmbio.

Sendo assim, é necessário que as escolas de idiomas criem alternativas que despertem nesses alunos o sentimento de que a escola de idiomas escolhida é a melhor opção para eles. 



Inep confirma realização do Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro

Publicação no DOU também traz datas para Revalida, Encceja e Enade.

Inep confirma realização do Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro

Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Voitto libera 15 mil acessos gratuitos e curso com 12 horas de conteúdo e certificado de conclusão.

Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Universidade Infraero abre inscrições para o Programa ‘Treinar’

Universidade Infraero firma contrato com Secretaria Nacional de Aviação Civil.


Startup de educação realiza curso que incentiva independência nos estudos

A Semana do Filho Estudioso, organizada pela Piva Educacional, ocorre entre os dias 17 e 24 de janeiro com transmissão simultânea para o Brasil e exterior.


Aluna dos meus alunos

Tempo, partilha, generosidade.

Aluna dos meus alunos

Um debate sobre a valorização dos educadores

Quando falamos da importância da valorização dos profissionais da educação, diversos fatores devem ser considerados.

Um debate sobre a valorização dos educadores

Curso gratuito de programação vai capacitar 50 mil mulheres

Iniciativa criada pela escola de programação Kenzie Academy e a startup DUPLA quer reduzir a desigualdade de gênero na área de tecnologia.


4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Especialista aponta os principais pontos para promover ambientes dinâmicos e que estimulem o acesso ao conhecimento.

4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

Medida trará mais eficiência, segurança e proporcionará redução de custos às instituições.

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

Acesso ao aprendizado da linguagem de programação amplia a criatividade, pensamento crítico e matemático, além da capacidade de resolução de problemas.

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

2021, o ano que (enfim) terminou

Faz praticamente dois anos que vivemos quase o dia da marmota, como no filme O Feitiço do Tempo.

2021, o ano que (enfim) terminou

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas

Para se candidatar é necessário ter feito o Enem entre 2017 e 2021.

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas