Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Formação continuada: benefícios para o Educador e alunos

Formação continuada: benefícios para o Educador e alunos

11/08/2016 Tânia Bueno

Atualmente verifica-se a decadência do ensino público e isso acontece por várias razões.

Infelizmente com uma base escolar negligenciada teremos muitos profissionais com uma atuação que deixará a desejar, ainda aliado a isso, temos o pouco ou nenhum investimento na educação profissional do educador, seja por parte da instituição contratante, seja por parte do próprio profissional, que, muitas vezes, têm necessidades básicas a serem atendidas com o salário que ganha e qualquer investimento em cursos que podem contribuir com o seu desenvolvimento fica sempre em segundo plano.

No entanto, é preciso que a Formação Continuada do Educador, aconteça de forma constante, caso contrário ficarão sempre a passos atrás das inovações e transformações que acontecem o tempo inteiro. Penso que a Formação Continuada de educadores deve visar à contribuição para o desenvolvimento humanista deles, pois são mobilizados a pensarem o exercício do papel profissional, pensarem e identificar competências a desenvolverem, raciocinar, refletir e expressar sentimentos sobre o seu papel como educador em constante formação.

Quando penso na importância do papel do educador e sua formação, me remeto ao Psicodrama Sócio Educacional que possibilita vivências e estudos, permitindo que os educadores façam uma análise crítica do uso de jogos, dramatizações, colagens, construções coletivas realizadas, considerando a sociodinâmica dos grupos que coordenam. Esta prática possibilitará ao educador estimular a construção de relações cooperativas, através do clima emocional do grupo, de tal forma, que se processe o ciclo espontaneidade-criatividade-aprendizagem em que o aluno é o protagonista de sua trajetória de aprendizagem, mediado pelo educador que assume dois papéis.

Como estamos falando em educação, não se pode deixar de fora os quatro pilares da educação, que embasam tanto a prática em sala de aula quanto o investimento na educação continuada.

1) Aprender a conhecer está relacionado a compreensão do mundo que rodeia a pessoa, e quem aprende a conhecer, aprende a aprender. Como o processo de aprendizagem é contínuo se dá através de qualquer experiência ao longo da vida e está cada vez mais associado ao mundo do trabalho.

2) Aprender a fazer está ligado à formação profissional e ao preparo para o mundo do trabalho, ou seja, colocar em prática os conhecimentos e adaptar a educação ao futuro trabalho, através do desenvolvimento da capacidade de resolver situações imprevistas e dar respostas novas às situações conhecidas, pois as rápidas transformações tecnológicas exige cada vez do indivíduo qualificação técnica e profissional, facilidade para o trabalho em equipe e capacidade de iniciativa.

3) Aprender a viver juntos, para que este pilar aconteça é preciso promover o conhecimento do outro e de si mesmo, entrar em contato com a diversidade cultural, étnica, religiosa e, descobrir as semelhanças e a interdependência entre as pessoas. Tudo isso é possível, através do respeito à diversidade e da definição de objetivos e projetos comuns, e o consequente desenvolvimento da solidariedade e cooperação.

4) Aprender a ser considera que a educação deve contribuir para o desenvolvimento integral da pessoa que se inicia com o conhecimento de si e do outro de tal forma que possa pensar e agir autonomamente, valendo-se da reflexão e da análise crítica em diferentes situações, usando a criatividade e espontaneidade e dar respostas novas a situações já conhecidas.

Aliado aos quatro pilares da educação se junta o conceito de competência, que é um processo da construção cotidiana, mas aqui associada à profissionalização, assim, apesar de não ser o único investimento, é um caminho que permite elevar o nível de competência dos profissionais. O profissional que se preocupa, e mais que isso, investe na sua formação ao longo da vida, se diferencia positivamente e estimula esta ação nas crianças e jovens com os quais interage no processo de ensino-aprendizagem.

Enfim, não tem como terminar a graduação e achar que está pronto e que não precisa estudar, que não tem mais o que aprender, ledo engano, pois em minha opinião o que conseguimos na universidade são informações que deverão ser aprimoradas ao longo da vida profissional e nortearão a formação continuada. Pois, sem atualização, sem novas descobertas, sem compartilhar o conhecimento adquirido, o profissional perece.

* Tânia Bueno ([email protected]): Psicóloga, Pós-graduada em Psicodrama e Violência Doméstica. Atua a mais de 20 anos na área sócio-educacional. Sócia Fundadora da Egéria Consultoria.

Fonte: Zaru Comunicação



6 princípios fundamentais do método Montessori

Promova autonomia, responsabilidade e aprendizado nas crianças com as diretrizes da pioneira na educação infantil.

Autor: Divulgação

6 princípios fundamentais do método Montessori

Um alerta sobre o Tik Tok como ferramenta para pesquisas escolares

Nos últimos anos, o TikTok emergiu como uma das plataformas sociais mais populares entre os jovens, oferecendo uma variedade de conteúdos criativos e interativos.

Autor: Divulgação

Um alerta sobre o Tik Tok como ferramenta para pesquisas escolares

Robótica nas escolas transforma o aprendizado

No contexto educacional, a robótica tem a capacidade de revolucionar a maneira como os estudantes aprendem e interagem com a tecnologia.

Autor: Divulgação

Robótica nas escolas transforma o aprendizado

CEFET-MG oferece mais de 600 vagas de graduação para cinco cidades

Podem participar os candidatos que concluíram o Ensino Médio ou equivalente, que realizaram uma das três últimas edições do Enem.

Autor: Divulgação


Ecofuturo lança e-book de Educação e Natureza

A publicação marca a conclusão do ciclo de 2023 do programa Meu Ambiente.

Autor: Divulgação

Ecofuturo lança e-book de Educação e Natureza

Estratégias práticas para o desenvolvimento infantil

O desenvolvimento infantil é um processo repleto de marcos importantes que influenciam a aprendizagem e o futuro das crianças.

Autor: Luciana Brites

Estratégias práticas para o desenvolvimento infantil

Os jovens e o trabalho

A responsabilidade de gerar filhos é algo muito sério porque pai e mãe possibilitam a encarnação de uma alma para evoluir no mundo material, o aquém.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Os jovens e o trabalho

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

No labirinto complexo das políticas trabalhistas, há uma série de fatores que merecem nossa atenção.

Autor: Francisco de Assis Inocêncio

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

A escola pública sob administração privada

O Estado do Paraná apresenta ao Brasil um novo formato de administração à rede escolar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Alcançar o sucesso demanda comprometimento de faculdades e universidades com a formação inicial de professores.

Autor: Luana Tolentino

O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Inscrições abertas para os cursos de condutores de caminhões

A Fabet São Paulo está com inscrições abertas para três cursos avançados voltados a formação e aperfeiçoamento de condutores de caminhões.

Autor: Marcos Villela Hochreiter


Exercitando a empatia

No meu último ano de sala de aula, tive uma turma de quarto ano que se tornou muito querida.

Autor: Vanessa Nascimento

Exercitando a empatia