Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Lagartas Processionárias

Lagartas Processionárias

21/03/2019 Acedriana Vicente Vogel

Em fila, praticamente grudadas umas às outras, andam em procissão, em busca de alimentos.

Lagartas Processionárias

Há uma espécie de lagarta, a do pinheiro, vulgarmente apelidada de lagarta processionária - com o nome científico de Thaumetopoea pityocampa – que é um inseto bastante curioso em seu deslocamento. Em fila, praticamente grudadas umas às outras, andam em procissão, em busca de alimentos. Experiências já mostraram que quando formam um círculo, movimentam-se no sentido horário, ininterruptamente e, por mais que seja colocado alimento no centro deste círculo, sequer percebem a sua existência, por maior que seja a fome.

O determinismo genético desse animal serve como metáfora para refletir algumas ações que acontecem no contexto escolar. Não são poucos os profissionais que erguem bandeiras de luta cujo principal jargão é “eu sempre fiz assim e deu certo...” e perdem um número sem fim de oportunidades de reavaliar a sua prática, melhorando-a constantemente. Há aqueles que se colocam em procissão, repetindo ladainhas e, por não saber (ou não querer) fazer diferente, encampam discursos de terceiros como seus, sem o menor questionamento. Acaba se tornando um saber, repetido à exaustão, que passa a ser seu. Que chance terá a criação, a invenção – que tanto almejamos - de florescer numa prática estabelecida pela repetição?

São muitas as possibilidades em nossa volta para ampliar e melhorar o fazer pedagógico e, às vezes, por conta do "ativismo processionário" - fazer por fazer ou "porque sempre fez assim" - ficamos míopes em nossas observações e registros, conferindo à nossa experiência profissional apenas anos de repetição. Toda ação pedagógica é uma ação de comunicação e relacionamento, transbordante de indícios que permitem investigar nossas intervenções e, diuturnamente, reorganizá-las.

Outros profissionais, das mais diversas áreas, não se estabelecem como bons profissionais por terem anos de prática repetida, aprendida mecanicamente a partir do "ouvir falar". Certamente, diremos que um profissional é bom quando seu saber é construído por meio da pesquisa, do estudo e, sobretudo, da articulação entre os diversos conhecimentos. Assim, para sairmos desse “pensamento processionário” que enrijece e cristaliza a nossa atuação, necessitamos mais do que vontade. Precisamos nos perguntar "de que forma as pessoas aprendem? O que a educação escolar pretende? Quais as interfaces da atuação docente?". Esses e outros questionamentos são pautas para a discussão entre os profissionais que pretendem atuar na educação escolar e "desconstruir" o ciclo vicioso que, muitas vezes, insiste em nos mobilizar.

A pesquisa constante da ação pedagógica traz consigo possibilidades de mudanças na forma de ver o nosso trabalho, capazes de gerar movimentos em outras perspectivas, exercitando a criação e a inventividade. Isso é que nos distingue dos demais profissionais aprisionados em sua prática. Para fazer ciência e arte na educação escolar, é necessário vazar o pensamento, perspectivar, problematizar as verdades que nos são apresentadas como lei. Mais do que compromisso - é nosso dever resgatar essa nobre profissão, sem a qual nenhuma sociedade é capaz de dignificar seus cidadãos e desenvolver-se de forma sustentável.  E ainda mais: se somos capazes de ser melhor e, por conseqüência, agir melhor, por que optar por ser uma "lagarta processionária", contrariando a própria natureza humana?

* Acedriana Vicente Vogel é diretora pedagógica da Editora Positivo

Fonte: Central Press



BH recebe 46° Congresso Brasileiro de Análises Clínicas

Evento acontecerá entre os dias 16 e 19 de junho, no Expominas, e é um dos mais importantes do calendário de profissionais de análises clínicas, e traz novidades científicas e em soluções para laboratórios


Mesmo com avanços tecnológicos, escolas não devem esquecer a formação humana dos estudantes

Segundo coordenador do Sistema de Ensino pH, é necessário se preocupar com uma educação ética, sustentável e que respeite a diversidade.

Mesmo com avanços tecnológicos, escolas não devem esquecer a formação humana dos estudantes

Cresce o número de adultos que querem concluir o Ensino Médio

Segundo o Inep, as inscrições para o Encceja aumentaram 75% este ano, em relação a 2018

Cresce o número de adultos que querem concluir o Ensino Médio

Como mediar conflitos nas escolas

Mediar um conflito de forma positiva, restaurando os sentimentos e as emoções usando modelos não punitivos responsabilizando os envolvidos.

Como mediar conflitos nas escolas

ProUni abre período de inscrições

O prazo para participar da seleção vai até 14 de junho.

ProUni abre período de inscrições

Os três pilares do aprendizado

A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular.

Os três pilares do aprendizado

60% das pessoas que procuram intercâmbio são mulheres

As mulheres, geralmente, procuram programas que possibilitam estudar e trabalhar

60% das pessoas que procuram intercâmbio são mulheres

Número de inscritos para o Encceja 2019 tem aumento de 75%

As provas serão aplicadas no dia 25 de agosto em 611 municípios

Número de inscritos para o Encceja 2019 tem aumento de 75%

Mestrado em Engenharia Elétrica da UFSCar está com inscrições abertas

Programa tem linhas de pesquisa em "Fotônica: materiais e dispositivos", "Processamento digital de sinais" e "Smart grids"


Os benefícios de estudar espanhol na Argentina

Brasil é o único país onde se fala português na América do Sul. Nos outros países, a língua oficial é o espanhol. Isso já seria suficiente motivo para tomar a decisão de estudar espanhol na Argentina. Mas, por que na Argentina?

Os benefícios de estudar espanhol na Argentina

Escolas, ensino e educação

Precisamos prestar mais atenção ao aproveitamento de nossos filhos na escola e cobrar de nossos governantes melhoras na nossa educação.


Erros que os pais cometem na hora de dar mesada

A mesada é uma ótima ferramenta para inserir as crianças e jovens no universo financeiro.

Erros que os pais cometem na hora de dar mesada