Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Mesmo com avanços tecnológicos, escolas não devem esquecer a formação humana dos estudantes

Mesmo com avanços tecnológicos, escolas não devem esquecer a formação humana dos estudantes

12/06/2019 Da Redação

Segundo coordenador do Sistema de Ensino pH, é necessário se preocupar com uma educação ética, sustentável e que respeite a diversidade.

Mesmo com avanços tecnológicos, escolas não devem esquecer a formação humana dos estudantes

A discussão sobre as profissões do futuro tem feito parte da realidade dos jovens que estão hoje nas escolas e que precisam escolher uma carreira. Segundo pesquisa do Fórum Econômico Mundial, 65% das crianças que estão entrando no ensino fundamental hoje terão profissões que ainda não existem. Dessa forma, é imprescindível formar alunos de uma maneira mais humana, preparando-os para enfrentarem as demandas do mercado.

De acordo com o estudo Future of Job Report de 2018, as habilidades necessárias para o mercado de trabalho em 2020 já não serão as mesmas que as exigidas em 2015. Das 10 competências citadas pela pesquisa, oito são voltadas para o desenvolvimento humano pessoal. Ter controle de qualidade e uma escuta ativa, por exemplo, saíram da lista e deram espaço para inteligência emocional e flexibilidade cognitiva.

Para o coordenador do Sistema de Ensino pH Fabrício Cortezi, é necessário formar jovens mais autônomos para lidar com essas transformações e isso começa na escola. “Há 20 anos atrás as pessoas escolhiam carreiras para seguir durante toda a vida, mas hoje nós não sabemos o que nossos jovens vão fazer. Por isso, precisamos focar em uma educação que forme cidadãos éticos, sustentáveis e que respeitem as diversidades e a escola precisa dar essa base”, diz.

Além disso, mesmo os avanços tecnológicos influenciando de forma significativa na tomada de decisões dos jovens a respeito da carreira, ainda é importante incentivar o segmento de profissões que dificilmente vão acabar, como medicina, engenharia, direito e psicologia. “A tecnologia aparece em todas as ciências, exatas, humanas e biológicas e nós vamos nos adaptando a ela. Mas, mesmo com os avanços tecnológicos, as escolas não devem descartar a formação humana dos estudantes”, afirma Cortezi.

O forte das instituições e dos sistemas de ensino hoje é ajudar os estudantes a entenderem seu papel na sociedade. “As escolas e sistemas de ensino precisam olhar os jovens como agentes transformadores da sociedade. É um caminho a percorrer de médio a longo prazo, pois as mudanças serão contínuas e crescentes”, conclui o coordenador.

Fonte: Sistema de Ensino pH



BH recebe 46° Congresso Brasileiro de Análises Clínicas

Evento acontecerá entre os dias 16 e 19 de junho, no Expominas, e é um dos mais importantes do calendário de profissionais de análises clínicas, e traz novidades científicas e em soluções para laboratórios


Cresce o número de adultos que querem concluir o Ensino Médio

Segundo o Inep, as inscrições para o Encceja aumentaram 75% este ano, em relação a 2018

Cresce o número de adultos que querem concluir o Ensino Médio

Como mediar conflitos nas escolas

Mediar um conflito de forma positiva, restaurando os sentimentos e as emoções usando modelos não punitivos responsabilizando os envolvidos.

Como mediar conflitos nas escolas

ProUni abre período de inscrições

O prazo para participar da seleção vai até 14 de junho.

ProUni abre período de inscrições

Os três pilares do aprendizado

A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular.

Os três pilares do aprendizado

60% das pessoas que procuram intercâmbio são mulheres

As mulheres, geralmente, procuram programas que possibilitam estudar e trabalhar

60% das pessoas que procuram intercâmbio são mulheres

Número de inscritos para o Encceja 2019 tem aumento de 75%

As provas serão aplicadas no dia 25 de agosto em 611 municípios

Número de inscritos para o Encceja 2019 tem aumento de 75%

Mestrado em Engenharia Elétrica da UFSCar está com inscrições abertas

Programa tem linhas de pesquisa em "Fotônica: materiais e dispositivos", "Processamento digital de sinais" e "Smart grids"


Os benefícios de estudar espanhol na Argentina

Brasil é o único país onde se fala português na América do Sul. Nos outros países, a língua oficial é o espanhol. Isso já seria suficiente motivo para tomar a decisão de estudar espanhol na Argentina. Mas, por que na Argentina?

Os benefícios de estudar espanhol na Argentina

Escolas, ensino e educação

Precisamos prestar mais atenção ao aproveitamento de nossos filhos na escola e cobrar de nossos governantes melhoras na nossa educação.


Erros que os pais cometem na hora de dar mesada

A mesada é uma ótima ferramenta para inserir as crianças e jovens no universo financeiro.

Erros que os pais cometem na hora de dar mesada

Enem tem 5,1 milhões de inscritos confirmados

As provas serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro

Enem tem 5,1 milhões de inscritos confirmados