Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O brincar: da imaginação ao conhecimento

O brincar: da imaginação ao conhecimento

16/10/2019 Viviane Aparecida da Silva

O mês das crianças propõe uma reflexão e um momento de olhar para a infância.

O brincar: da imaginação ao conhecimento

Uma das atividades mais comuns o brincar, vem se modificando ao longo dos anos por uma série de fatores, como ambiente e o uso das novas tecnologias. Uma pesquisa realizada pela Nielsen em 2018 revela que o consumo da internet pelas crianças com idades entre 2 e 11 anos aumentou 63% nos últimos cinco anos, totalizando cerca de 16 milhões de pequenos que navegam pela rede.

É na infância que as crianças mais utilizam os recursos lúdicos para desenvolver a imaginação e os meios eletrônicos podem representar ferramentas de estímulos, se utilizados de maneira adequada. Segundo estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS), o tempo diário recomendado de exposição às telas é de uma hora por dia para crianças de 0 a 4 anos.

Pensando nisso, como os pais podem promover o equilíbrio na utilização dos eletrônicos? Uma das possibilidades é estimular atividades de essência da infância, como o brincar. A palavra de origem do latim vem da raiz vinculu, que significa ‘tudo que ata ou liga’. A brincadeira tem essa função de ligação e elo entre as crianças, ou entre adultos e crianças. Além disso, o brincar é reconhecido como um direito adquirido. Na legislação brasileira, inclusive, o direito ao brincar está na Constituição Federal (1988) quanto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA - 1990).

O vínculo pode ser desenvolvido em brincadeiras ao ar livre, em parques e praças, em contato com a natureza. Os estímulos auxiliam no desenvolvimento de habilidades como paciência, tranquilidade e criatividade. Um estudo apresentado na Pediatrics National Conference & Exhibition, de Chicago, apontou que crianças que disfrutam de áreas verdes na escola demonstram níveis de estresse reduzidos. Isso acontece porque o contato direto com a natureza auxilia a construção prática do conhecimento, facilitando o aprendizado do aluno. As atividades diárias podem despertar a curiosidade e contribuir para a aproximação com a natureza e, ainda, criar futuros defensores do meio ambiente.

Já a escola tem o papel importante de entender, valorizar e respeitar a cultura do brincar, inserindo atividades no currículo, assim como organizando o tempo e o espaço para que isso aconteça. Os pais podem perguntar aos profissionais da educação quais são as suas metodologias sobre o tema e como isso será apresentado para as crianças. É importante também que os responsáveis entendam que não é necessário antecipar as etapas e tempos da vida na infância. Há saberes e habilidades que, se não desenvolvermos na infância, faltarão nos anos seguintes - e o brincar é um deles. A habilidade contribui para explorar, pesquisar, criar e inventar, atividades que estão intimamente ligadas ao desenvolvimento dos adultos no futuro.

* Viviane é doutora em educação e diretora educacional do Marista Escolas Sociais, que atendem gratuitamente 7.700 crianças e adolescentes em comunidades em situação de vulnerabilidade social

Fonte: Pg1



6 princípios fundamentais do método Montessori

Promova autonomia, responsabilidade e aprendizado nas crianças com as diretrizes da pioneira na educação infantil.

Autor: Divulgação

6 princípios fundamentais do método Montessori

Um alerta sobre o Tik Tok como ferramenta para pesquisas escolares

Nos últimos anos, o TikTok emergiu como uma das plataformas sociais mais populares entre os jovens, oferecendo uma variedade de conteúdos criativos e interativos.

Autor: Divulgação

Um alerta sobre o Tik Tok como ferramenta para pesquisas escolares

Robótica nas escolas transforma o aprendizado

No contexto educacional, a robótica tem a capacidade de revolucionar a maneira como os estudantes aprendem e interagem com a tecnologia.

Autor: Divulgação

Robótica nas escolas transforma o aprendizado

CEFET-MG oferece mais de 600 vagas de graduação para cinco cidades

Podem participar os candidatos que concluíram o Ensino Médio ou equivalente, que realizaram uma das três últimas edições do Enem.

Autor: Divulgação


Ecofuturo lança e-book de Educação e Natureza

A publicação marca a conclusão do ciclo de 2023 do programa Meu Ambiente.

Autor: Divulgação

Ecofuturo lança e-book de Educação e Natureza

Estratégias práticas para o desenvolvimento infantil

O desenvolvimento infantil é um processo repleto de marcos importantes que influenciam a aprendizagem e o futuro das crianças.

Autor: Luciana Brites

Estratégias práticas para o desenvolvimento infantil

Os jovens e o trabalho

A responsabilidade de gerar filhos é algo muito sério porque pai e mãe possibilitam a encarnação de uma alma para evoluir no mundo material, o aquém.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Os jovens e o trabalho

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

No labirinto complexo das políticas trabalhistas, há uma série de fatores que merecem nossa atenção.

Autor: Francisco de Assis Inocêncio

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

A escola pública sob administração privada

O Estado do Paraná apresenta ao Brasil um novo formato de administração à rede escolar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Alcançar o sucesso demanda comprometimento de faculdades e universidades com a formação inicial de professores.

Autor: Luana Tolentino

O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Inscrições abertas para os cursos de condutores de caminhões

A Fabet São Paulo está com inscrições abertas para três cursos avançados voltados a formação e aperfeiçoamento de condutores de caminhões.

Autor: Marcos Villela Hochreiter


Exercitando a empatia

No meu último ano de sala de aula, tive uma turma de quarto ano que se tornou muito querida.

Autor: Vanessa Nascimento

Exercitando a empatia