Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O PIB e os processos migratórios do ensino superior

O PIB e os processos migratórios do ensino superior

31/08/2019 Paulo Arns da Cunha

Índices como IDH, PIB e renda média costumam ser mais altos onde há Instituições de Ensino Superior (IES).

As vidas de Alexandre e Letícia se encontraram quando se conheceram em uma grande universidade particular da capital paranaense – ela cursava Comunicação e ele, Engenharia.

Ambos vieram do interior – ela do Norte, ele do Oeste. De famílias de classe média alta, o casal recebia dos pais todo o custeio de alimentação, moradia, transporte, estudos e lazer. O dinheiro saía do interior e era utilizado integralmente para o consumo na capital.

No último ano da graduação, o casal trocou alianças e ambos conseguiram boa colocação no mercado de trabalho. Quando conquistaram o canudo, já ganhavam o suficiente para criar o bebê que estava por vir. Às famílias do interior, restaram as visitas nos finais de semana. As vidas de Alexandre e Letícia agora eram na capital.

Essa história pode justificar os dados do Mapa do Ensino Superior no Brasil 2019, divulgado recentemente pelo Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino superior no Estado de São Paulo (Semesp).

Segundo o estudo, índices como IDH, PIB e renda média costumam ser mais altos onde há Instituições de Ensino Superior (IES).

O levantamento mostra que a presença das IES pode ser sentida principalmente no PIB dos municípios. Aqueles que contam com cursos de graduação têm PIB per capita médio de R$ 30,7 mil – enquanto nos que não contam é de apenas R$ 19,7 mil.

De acordo com o Semesp, os dados reforçam a necessidade da capilarização do Ensino Superior no país, criando polos universitários para supri-la.

Segundo o Sindicato, mais empregos seriam gerados e o país acabaria melhorando todos os seus indicadores. Sem dúvida, a migração de estudantes do interior, como Alexandre e Letícia, para grandes centros, desloca a força de trabalho e leva mais riquezas para as cidades universitárias.

Uma saída para esse problema da debandada de estudantes universitários de pequenos municípios é a Educação a Distância (EAD) que, além de cerca de 30% mais barata, pode ser cursada sem sair da cidade natal, reforçando a economia e a população economicamente ativa da região.

A EAD é capaz de modificar o mapa de concentração de riquezas nos grandes centros, popularizando o Ensino Superior no país e levando a educação até mesmo nas regiões mais pobres e mais distantes.

Por outro lado, os grandes centros, que já apresentam as maiores concentrações do PIB brasileiro, são os principais focos das IES privadas.

Não é à toa que as cidades mais ricas do país concentram um grande número de universidades. Os dados mais recentes (2017) mostram que o número de IES representa quase metade dos municípios brasileiros, mas pouco mais de ¼ desses municípios sediam alguma IES.

A instituição privada sempre vai estudar e escolher o município com o maior potencial de consumo, instalando-se em grandes centros ou oferecendo cursos específicos direcionados ao público de determinada região produtiva, como Agronomia, Engenharia Aeronáutica, Oceanografia, etc.

O que o estudo não mostra, porém, é a falta de qualidade e credibilidade das IES brasileiras - o que pode ser medido pela enorme debandada de estudantes para o exterior: uma pesquisa da Associação das Agências Brasileiras de Intercâmbio (Belta) mostra que, em 2018, 50,4 mil brasileiros foram cursar uma graduação no exterior.

Isso representa um aumento de 37,7% em relação a 2017 (36,6 mil). Esses números é que devem nos preocupar e alertar as 2.448 IES privadas para o aumento da qualidade no corpo docente, melhorias em infraestrutura, oferta de cursos para as novas demandas do mercado, certificação com reconhecimento no exterior e adaptação didática e tecnológica para receber essa nova geração de estudantes.

* Paulo Arns da Cunha é presidente da Divisão de Ensino do Grupo Positivo.

Fonte: Central Press



Turismo e estudo? Países baratos para fazer “mochilão” e aprender inglês

Realizar uma viagem para estudar inglês nem sempre é sinônimo de gastos exorbitantes.

Turismo e estudo? Países baratos para fazer “mochilão” e aprender inglês

Estudantes desenvolvem robô que ajuda a prevenir depressão em idosos

A depressão pode inclusive desencadear doenças neurológicas e/ou físicas, principalmente na população com 60 anos ou mais.

Estudantes desenvolvem robô que ajuda a prevenir depressão em idosos

LGPD: nova roupagem às carreiras atuais e do futuro

O desenvolvimento da tecnologia e da comunicação tem feito a diferença.


Quatro formas simples para estimular as crianças a lidar com as emoções

A inteligência emocional é uma das habilidades que compõem as competências socioemocionais.

Quatro formas simples para estimular as crianças a lidar com as emoções

Uma ligação. Uma certeza: a escola está na UTI.

O que dará alta para a escola da UTI?

Uma ligação. Uma certeza: a escola está na UTI.

Belo Horizonte incluirá opções vegetarianas na merenda escolar

Mais de 200 mil alunos serão beneficiados e cidade ganhará Selo Internacional de Liderança em Saúde e Sustentabilidade.

Belo Horizonte incluirá opções vegetarianas na merenda escolar

A jornada do aprendizado é para a vida toda

A aprendizagem é inerente ao ser humano desde o seu nascimento.


Crianças aprenderão educação financeira nas escolas em 2020

A partir de 2020 as escolas brasileiras devem estar 100% adaptadas às novas normas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Crianças aprenderão educação financeira nas escolas em 2020

A importância das ervas e vegetais na Medicina

O livro do paleógrafo, João Eurípedes Franklin Leal, ganhou o prêmio Memória do Mundo na UNESCO em Paris.


Grupos de WhatsApp da escola: você faz parte?

*BIP* *BIP*, uma mensagem, você olha e, inconscientemente, sorri.

Grupos de WhatsApp da escola: você faz parte?

Vestibular: como obter maior rendimento nos estudos

Quem vai prestar um vestibular concorrido tem que ter um bom preparo.

Vestibular: como obter maior rendimento nos estudos

Aperam abre 68 vagas para programa de estágio

Empresa é responsável pelo setor inox da ArcelorMittal.