Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Os resultados do PISA, liderança e o regime de colaboração

Os resultados do PISA, liderança e o regime de colaboração

17/10/2020 Eliziane Gorniak

O Brasil participa do PISA desde 2000 e os principais avanços de aprendizagem dos alunos ocorreram até o ano de 2009.

Os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA), de 2018, foram divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Na edição de 2018, participaram 600 mil estudantes 79 países e regiões diferentes. A avaliação, que é realizada a cada três anos, analisa as habilidades de alunos de 15 anos em relação à leitura, matemática e ciências.

O Brasil participa do PISA desde 2000 e os principais avanços de aprendizagem dos alunos ocorreram até o ano de 2009. Nas quatro edições seguintes, os resultados médios dos alunos brasileiros foram iguais estatisticamente. A pontuação de 2018 coloca o Brasil em 57º colocado em Leitura, 70º em Matemática e 65º em Ciências entre os países e regiões participantes da avaliação. Apenas 2% dos alunos brasileiros alcançaram os maiores níveis de proficiência em pelo menos uma das três disciplinas avaliadas e 43% dos estudantes tiveram escores em níveis muito baixos de aprendizado nas 3 disciplinas avaliadas. Um outro dado que chamou a atenção é que cresceu a diferença de pontuação entre os alunos brasileiros de maior e menor níveis socioeconômicos.

Além de posições e níveis de proficiência, os resultados do PISA revelam a necessidade urgente de que o tema da educação passe a ser, de fato, prioritário no Brasil. E, o que isso significa? Que a pauta da educação esteja entre as prioridades da agenda dos nossos governantes.  Só assim, serão criadas as condições de viabilizar as medidas que os profissionais da educação e as inúmeras evidencias científicas já produzidas apontam como necessárias.

Entre as medidas necessárias trago duas para reflexão. A primeira atrelada aos professores. Conforme o relatório do Educação Já, liderado pelo Movimento Todos pela Educação, “Apenas com professores bem preparados, engajados e com boas condições de trabalho é que sistemas educacionais conseguem oferecer educação de qualidade”. Sem dúvida, os docentes, suas práticas e estratégias, têm um papel central na aprendizagem dos alunos. E o segundo, é o aperfeiçoamento da governança federativa, ou seja, provocar mudanças garantam maior articulação entre a União, os Estados e os Municípios e apoio a melhoria da gestão das Secretarias de Educação.

A diferença de estrutura e de capacidade entre as secretarias de educação do nosso país impacta diretamente a capacidade de execução das políticas educacionais. Em especial, quando falamos das secretarias municipais de educação. Se isso não for observado e corrigido, mesmo que em uma perspectiva de médio e longo prazo, o país continuará produzindo desigualdades educacionais que, por sua vez, continuarão gerando impactos diretos em outras áreas, como na economia, na segurança e no bem-estar social. Secretarias de Educação bem organizadas, com profissionais preparados e diretrizes e ações bem alinhadas com a rede de ensino fortalecem o sistema de educação. E, bons programas pedagógicos e de gestão só geram resultados contínuos e com efeito duradouro em sistemas fortes.

O aperfeiçoamento da governança federativa dependerá da atuação de lideranças capazes de construir pontes e romper barreiras conceituais, culturais e institucionais. Capazes de compreender e liderar mudanças provenientes de problemas de natureza interdependente, por meio da construção de consensos e estímulo a corresponsabilidade, em uma perspectiva de que para fazer o melhor uso do recurso público disponível para a área de educação é preciso fortalecer o regime de colaboração entre os sistemas de ensino geridos pelos Municípios, Estados e Distrito e Governo Federal. Também é preciso cada vez mais integrar recursos, talentos, programas e conhecimentos existentes entre os profissionais das redes de ensino, além daqueles disponíveis na sociedade civil e na academia.

A educação brasileira precisa avançar. Que possamos utilizar os resultados do PISA como uma mola propulsora para a adoção de medidas efetivas para a educação brasileira.

* Eliziane Gorniak é diretora executiva do Instituto Positivo.

Fonte: Central Press



Como ter mais concentração para ler e escrever

Escrita é um jogo no qual os protagonistas são boa memória e concentração.

Como ter mais concentração para ler e escrever

Abertas inscrições para a primeira edição do Prêmio BEI de Educação Financeira para Escolas Públicas

A iniciativa premiará projetos que abordaram o tema educação financeira em todo o país; ao todo, mais de R$ 50 mil serão distribuídos.


Experiência escolar: a importância de recursos que apoiem a aprendizagem

O material didático nada mais é do que um instrumento de apoio educacional que oferece ferramentas de suporte ao processo de aprendizagem.

Experiência escolar: a importância de recursos que apoiem a aprendizagem

Pesquisa vai traçar perfil de jovens cientistas e auxiliar criação de políticas públicas

Em 2022, mais da metade dos recursos destinados ao desenvolvimento científico e tecnológico foram bloqueados.

Pesquisa vai traçar perfil de jovens cientistas e auxiliar criação de políticas públicas

Reino Unido disponibiliza bolsas de mestrado para alunos de 160 países

Além de bolsa de estudos, os aprovados terão passagens pagas.

Reino Unido disponibiliza bolsas de mestrado para alunos de 160 países

Por que o jovem abandona os estudos?

O aluno precisa receber da escola aquilo que cada curso traz em seu enunciado.

Por que o jovem abandona os estudos?

Projeto “Encontro Marcado com Fernando Sabino” chega à Igarapé e Mateus Leme

A ação de incentivo à leitura coordenada pelo Instituto Fernando Sabino já esteve em mais de 90 cidades, contemplando cerca de 900 mil alunos.

Projeto “Encontro Marcado com Fernando Sabino” chega à Igarapé e Mateus Leme

Concurso de poesias celebra bicentenário da Independência do Brasil

Inscrições para alunos da rede pública vão até 2 de setembro.

Concurso de poesias celebra bicentenário da Independência do Brasil

Sinduscon-MG oferece cursos para profissionais da construção civil

Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas está com inscrições abertas para novos cursos on-line com temas de interesse do setor.

Sinduscon-MG oferece cursos para profissionais da construção civil

Volta às aulas X evasão escolar. O que esperar do mês de agosto?

Com a pandemia, Brasil sofre retrocesso e volta a ter o mesmo nível de evasão escolar de 20 anos atrás.

Volta às aulas X evasão escolar. O que esperar do mês de agosto?

Vende-se Gamificação, mas esquece do ensino

Os estudos sobre gamificação não surgiram no campo da educação, e sim no mundo coorporativo.

Vende-se Gamificação, mas esquece do ensino

Ensino básico presencial: importância do espaço escolar para a construção das oportunidades

A importância da educação para o desenvolvimento socioeconômico de um país é matéria de amplo conhecimento da sociedade.

Ensino básico presencial: importância do espaço escolar para a construção das oportunidades