Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

07/01/2022 Roberto Moreno

Acesso ao aprendizado da linguagem de programação amplia a criatividade, pensamento crítico e matemático, além da capacidade de resolução de problemas.

Seu filho já sabe programar? Se não, comece a prepará-lo para o futuro

Já faz algumas décadas que existe um consenso sobre a importância de apresentar crianças e adolescentes desde cedo à língua inglesa. Mais do que prepará-las para o mercado de trabalho, esse aprendizado tem como foco permitir que elas consigam participar de uma rede global de troca de conhecimentos e cultura. Sabe-se, também, que o aprendizado de uma nova língua na primeira infância acontece de maneira mais fácil e estimula o cérebro, desenvolvendo a criatividade, o raciocínio e a capacidade de concentração. Tudo isso também pode ser dito da programação.

Quando uma criança tem acesso ao aprendizado da linguagem de programação e, desde nova, aprende a criar jogos e aplicativos, ela está desenvolvendo muito mais que uma competência técnica que já é muito demandada pelo mercado de trabalho — pesquisas demonstram que a busca por profissionais do setor cresceu mais de 600% só em 2020. Ela tem a chance de ampliar sua criatividade, o pensamento crítico e matemático, além da sua capacidade de resolução de problemas. E por que isso importa?

Segundo uma previsão do Institute for the Future, uma organização fundada no Vale do Silício e que desde 1968 mapeia as principais tendências para o futuro, 85% das profissões que os estudantes do ensino superior terão até 2030 sequer existem no momento. Esse dado não se trata somente sobre o mercado de trabalho, porque revela muito sobre as imensas transformações em todos os âmbitos da vida nas próximas décadas.

Com base em projeções como essa, é possível afirmar que o futuro trará grandes novidades e possibilidades que não somos nem capazes de imaginar e que a única certeza é que será preciso, mais do que nunca, muita adaptabilidade e resiliência para navegar por esses novos tempos. E o contato com a programação desde cedo abre uma porta justamente para esses skills que serão tão imprescindíveis no futuro.

Assim como inglês, que se mostrou uma habilidade cujo impacto vai muito além do mercado de trabalho e influencia os livros que se lê, as séries e filmes que se assiste e até mesmo as viagens e relacionamentos, a programação tem um potencial tamanho que as consequências positivas poderão ser observadas por toda a vida, independentemente da profissão que o jovem que a aprende optar por seguir.

Diversos países ao redor do mundo já notaram isso e inclusive incluíram esse ensino sem suas grades curriculares oficiais. O Reino Unido, por exemplo, desde 2013 ensina codificação para crianças a partir dos 5 anos. Já na Austrália, os princípios da programação são ensinados a partir dos 10 anos. No Brasil, ainda caminhamos a passos lentos nessa direção. A partir de 2022, o novo ensino médio do país tem o desafio de trabalhar as competências ligadas ao uso, compreensão e criação de tecnologias digitais.

No entanto, é importante que a decisão a respeito desse aprendizado na vida das crianças e adolescentes não fique apenas na mão das escolas, e esteja no radar também dos pais. O envolvimento deles é crucial para promover interesse e curiosidade dos jovens a respeito desse novo conteúdo que será tão importante para o futuro.

* Roberto Moreno é diretor pedagógico da BYJU'S FutureSchool Brasil. 

Para mais informações sobre linguagem de programação clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: VCRP Brasil



Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Voitto libera 15 mil acessos gratuitos e curso com 12 horas de conteúdo e certificado de conclusão.

Escola de Negócios libera acessos para curso ‘Transformação Digital para Engenheiros’

Universidade Infraero abre inscrições para o Programa ‘Treinar’

Universidade Infraero firma contrato com Secretaria Nacional de Aviação Civil.


Startup de educação realiza curso que incentiva independência nos estudos

A Semana do Filho Estudioso, organizada pela Piva Educacional, ocorre entre os dias 17 e 24 de janeiro com transmissão simultânea para o Brasil e exterior.


Aluna dos meus alunos

Tempo, partilha, generosidade.

Aluna dos meus alunos

Um debate sobre a valorização dos educadores

Quando falamos da importância da valorização dos profissionais da educação, diversos fatores devem ser considerados.

Um debate sobre a valorização dos educadores

Curso gratuito de programação vai capacitar 50 mil mulheres

Iniciativa criada pela escola de programação Kenzie Academy e a startup DUPLA quer reduzir a desigualdade de gênero na área de tecnologia.


4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Especialista aponta os principais pontos para promover ambientes dinâmicos e que estimulem o acesso ao conhecimento.

4 pilares do processo de aprendizagem para 2022

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

Medida trará mais eficiência, segurança e proporcionará redução de custos às instituições.

Diploma Digital deve ser adotado por todas instituições de ensino superior do Brasil

2021, o ano que (enfim) terminou

Faz praticamente dois anos que vivemos quase o dia da marmota, como no filme O Feitiço do Tempo.

2021, o ano que (enfim) terminou

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas

Para se candidatar é necessário ter feito o Enem entre 2017 e 2021.

UFMG tem 76 vagas de graduação para refugiados e apátridas

Área do meio ambiente oferece oportunidades crescentes em Ciências da Natureza

Área é impulsionada pela estruturação da legislação ambiental brasileira e crise mundial climática.

Área do meio ambiente oferece oportunidades crescentes em Ciências da Natureza

A semente da educação qualificada que garante a colheita de um futuro promissor