Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Trilha da Criança incentiva o prazer pela leitura

Trilha da Criança incentiva o prazer pela leitura

16/04/2006 Divulgação

Vídeo game, televisão e jogos na internet são atrações que as crianças procuram para se divertir e passar o tempo. Muitas vezes são os próprios pais, por excesso de tarefas e falta de tempo, que acabam facilitando e incentivando os filhos ao acesso desse consumo. Mas, essas diversões quando não são controladas, podem atrapalhar a educação, o bom desempenho na escola e a socialização.

Segundo uma pesquisa realizada pela Eurodata TV Worldwide, o Brasil é o país onde as crianças mais assistem à televisão no mundo. Como as crianças passam muito tempo em frente à TV ou aprendendo novas tecnologias, o que causa um grande fascínio, o interesse pela leitura vai ficando esquecido.

Na Trilha da Criança, são desenvolvidas várias atividades com o objetivo de aguçar o interesse dos alunos pela literatura. Um exemplo é a “Feira do Livro da Trilha”. Um momento especial onde são disponibilizadas bancas de livros, de diversas editoras, e ambientes especialmente preparados para deixar as crianças à vontade para a leitura. Nesse espaço, alunos, pais e professores têm a oportunidade de manusear, ler, ver gravuras e conhecer novos títulos. Ao final, as crianças escolhem, com a orientação das professoras, os livros que vão fazer parte da “Biblioteca da Sala”.

A biblioteca também é muito trabalhada e valorizada na Trilha da Criança com o objetivo de incentivar o gosto pela leitura. Além das bibliotecas de cada sala, existe a biblioteca da escola, aberta a todas as turmas que possibilita às crianças o contato com diversos tipos de gêneros textuais. Toda sexta-feira, os alunos escolhem um livro que vão levar para a casa e compartilhar a leitura com os pais no fim de semana. Na segunda-feira, é realizada uma roda para que os alunos contem sobre o que leram e dêem sua opinião sobre o livro. “Essa atividade amplia o vínculo com a leitura e possibilita aos pais, que muitas vezes trabalham o dia todo e tem apenas o fim de semana para estar com os filhos, acompanharem as suas descobertas, associando o ato de ler a um momento gostoso de troca entre pais e filhos”, afirma a coordenadora Adriana Alvarenga.

O espaço destinado à leitura é outro fator fundamental. Seja no quarto, na sala de aula ou na biblioteca, é importante que tenham livros ao alcance das crianças. Esse local deve ser atraente, confortável e possuir materiais diversificados, como formatos diferentes, revistas infantis, gibis, entre outros.

As crianças, desde bem pequenas, começam escutando as histórias lidas pelos adultos, depois conhecem o livro como um objeto que elas podes tocar e folhear. Para que se interessem cada vez mais, a qualidade dos textos oferecidos é muito importante e deve atender a necessidade de cada faixa etária. Para os bebês, por exemplo, são indicados os livros que tem maior durabilidade, como os de pano, de plástico, emborrachados ou de papel duro; isso facilita o manuseio da criança e o interesse pelos livros. Crianças por volta dos dois anos, sentem-se mais atraídas por livros que possuem gravuras grandes e menos escrita, com histórias que tenham ação e natureza, principalmente animais.



Sisu abre inscrições para mais de 51 mil vagas em instituições do país

Segundo cronograma divulgado pelo Mec, o resultado do Sisu será divulgado no dia 14 de julho.

Sisu abre inscrições para mais de 51 mil vagas em instituições do país

Educação no isolamento social se torna oportunidade de aprendizado para qualquer idade

As aulas on-line das crianças têm requisitado uma maior participação dos familiares.

Educação no isolamento social se torna oportunidade de aprendizado para qualquer idade

Fatos sobre a lição de casa em tempos de aula à distância

Orientar de modo equivocado pode causar estragos na aprendizagem.

Fatos sobre a lição de casa em tempos de aula à distância

MEC define protocolo de segurança para volta às aulas

Cronograma das atividades deve ser orientado pelo governo local.

MEC define protocolo de segurança para volta às aulas

A vida depois da graduação

O resultado esperado é um aprofundamento de carreira dentro de uma profissão.

A vida depois da graduação

Educação, pandemia e juventude

Hoje proponho uma reflexão acerca dos rumos que estamos dando à educação no Brasil e o que, de fato, desejamos de nossa atual juventude em sua maturidade.


Ensino remoto: a nova via da educação superior

É bastante improvável que a educação tradicional e presencial retorne antes de 2021.


A herança da pandemia na educação

A esta altura da pandemia, já se sabe que ela vai deixar, além da crise econômica que todos estamos vivendo, uma herança baseada em mudanças de hábitos e no uso mais intenso da tecnologia.


A pedra no sapato do Ensino Superior brasileiro

Mais da metade dos que ingressam nas universidades trocam de turma, curso ou instituição, ou abandonam os estudos.

A pedra no sapato do Ensino Superior brasileiro

Pandemia não desanima maioria a cursar faculdade em 2020

Estudo  mediu o impacto da covid-19 nas matrículas para o 2° semestre de 2020 e 65% seguirá com o projeto universitário.

Pandemia não desanima maioria a cursar faculdade em 2020

Pesquisa aponta que 28% dos jovens não voltarão às aulas após pandemia

Levantamento questionou 33.688 jovens de todo o país.

Pesquisa aponta que 28% dos jovens não voltarão às aulas após pandemia

O novo normal na educação: o que era diferencial se tornou um pré-requisito essencial

O isolamento social necessário por causa da pandemia do novo coronavírus obrigou escolas no Brasil e no mundo a se adaptarem.

O novo normal na educação: o que era diferencial se tornou um pré-requisito essencial