Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Armazenamento da energia fotovoltaica: a nova fronteira

Armazenamento da energia fotovoltaica: a nova fronteira

16/01/2019 Ronaldo Koloszuk, Rodrigo Sauaia e Markus Vlasits

Quando pensamos em baterias, lembramos de dispositivos eletroeletrônicos ou de veículos elétricos. Porém, outros usos de baterias crescem rapidamente no mundo.

Armazenamento da energia fotovoltaica: a nova fronteira

Nos Estados Unidos há mais de 800 MWh em bancos de baterias “estacionárias”, ou seja, instaladas na infraestrutura da matriz elétrica ou em consumidores. As baterias estacionárias são usadas para regular e melhorar a frequência e tensão da rede elétrica, para “arbitrar” o consumo em horários de ponta e fora-ponta e para proteger consumidores contra surtos e falhas de fornecimento. Tais usos deverão crescer fortemente, contribuindo para acelerar a transição de geradores baseados em fontes fósseis, poluidoras e mais caras para fontes renováveis, limpas e mais competitivas, porém com perfil de geração variável.

Um fator decisivo para o avanço do armazenamento de energia elétrica é a redução dos custos das baterias. Segundo a Bloomberg New Energy Finance, o preço de baterias de íons de lítio despencou mais de 75% entre 2010 e 2018, sendo a segunda tecnologia que mais se barateou no setor elétrico mundial, atrás apenas da solar fotovoltaica, com redução de 83% no mesmo período.

O barateamento das baterias continuará firme nos próximos anos, aproximando a tecnologia do mercado. Para dispositivos eletroeletrônicos e na mobilidade elétrica, a tecnologia de íons de lítio tem sido a mais indicada, pela maior densidade elétrica em comparação com as opções disponíveis. Já para o uso estacionário existem boas alternativas, com vantagens importantes. Uma delas, por exemplo, é a bateria de fluxo de ferro que, apesar da menor densidade elétrica, é mais resistente à degradação, não é inflamável e não contêm materiais escassos ou de alta toxicidade em sua composição.

E o que esperar do armazenamento no Brasil?

Baterias cada vez mais baratas acelerarão a substituição de geradores a diesel, caros, poluentes e barulhentos, por sistemas híbridos combinando geração solar fotovoltaica e armazenamento. Para os consumidores conectados à rede, em áreas urbanas e rurais, que reclamam das interrupções ou instabilidades no fornecimento de eletricidade, as baterias serão parte da solução. Adicionalmente, muitos consumidores em média tensão, especialmente nas regiões Norte e Nordeste, pagam tarifas elevadíssimas no horário ponta e as baterias ajudarão a reduzir estes custos.

Baterias também serão um ativo valioso para as distribuidoras: além de melhorar a qualidade do fornecimento de energia elétrica, o armazenamento permite a expansão mais eficiente das redes de distribuição, aliviando os picos de demanda em momentos de consumo elevado. Em 2017, a ANEEL aprovou 23 projetos de P&D de armazenamento por meio da Chamada de P&D Estratégico nº 21/2016, atualmente em fase de implantação. Adicionalmente, estão sendo desenvolvidos os primeiros projetos comerciais no Brasil, em regiões como Goiás, Pernambuco e Minas Gerais.

Para a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) e o setor solar fotovoltaico, o armazenamento competitivo é tema de grande interesse: ele proporcionará mais valor e novas funcionalidades aos sistemas solares fotovoltaicos, trazendo aos consumidores maior liberdade e autonomia, e contribuindo para ampliar a participação da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira. Com isso, ofereceremos novos serviços e opções, como uma gestão precisa da geração e do consumo locais, a criação de microrredes e comunidades de compartilhamento e armazenamento da geração solar fotovoltaica, e o aumento do poder de decisão do consumidor, usando a rede elétrica quando for vantajoso e protegendo os consumidores de custos elevadados.

Armazenamento e energia solar fotovoltaica, cada vez mais competitivas, seguirão juntas, abrindo as portas para novas oportunidades de negócio e de crescimento no setor elétrico brasileiro.

* Ronaldo Koloszuk é presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR)

* Rodrigo Sauaia é CEO da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR)

* Markus Vlasits é coordenador da força-tarefa de Armazenamento Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) 



Revestimento solar colorido de Dubai chega ao Brasil

Dubai tem metas audaciosas: gerar 25% de sua energia a partir de fontes limpas até 2030 e 75% até 2050, o equivalente a 42 mil megawatts.

Revestimento solar colorido de Dubai chega ao Brasil

Nas festas juninas todo cuidado é pouco

Uma das festividades mais populares do Brasil, os “arraiás juninos” tradicionalmente são os que mais deixam as ruas ornamentadas.

Nas festas juninas todo cuidado é pouco

Oportunidades de negócios no mercado energia

FIEMG realiza workshop gratuito sobre mercado livre de energia. Inscrições abertas.


Redução de gastos na conta de luz pode chegar a 95% com energia solar

O País possui 71.701 sistemas fotovoltaicos conectados à rede, trazendo economia e sustentabilidade ambiental a 88.741 unidades consumidoras.


A crise energética na Venezuela e as consequências para o Brasil

O estado de Roraima é afetado diretamente pelos sucessivos apagões que afetam a Venezuela, já que grande parte da energia consumida no estado é proveniente do país vizinho.


Energia solar fotovoltaica: a próxima onda do mercado livre de energia

A estimativa é de que a fonte ultrapasse a marca de 3.000 MW ainda em 2019.

Energia solar fotovoltaica: a próxima onda do mercado livre de energia

Contas da Cemig terão reajuste médio de 8,73%

Para clientes residenciais, impacto na conta de luz será de 6,93%

Contas da Cemig terão reajuste médio de 8,73%

Um perigo constante: acidentes com celulares e dispositivos móveis

Segundo dados da Associação Brasileira de Conscientização dos Perigos de Eletricidade (Abracopel), em 2018 foram registrados 41 acidentes com celulares no Brasil, que resultaram em 23 mortes.

Um perigo constante: acidentes com celulares e dispositivos móveis

Falta de energia elétrica pode acabar através do uso de bioprodutos

“A biomassa é uma saída muito interessante para a carência energética. Com os resíduos é possível fazer energia própria”.

Falta de energia elétrica pode acabar através do uso de bioprodutos

IX CIERTEC apresenta inovações na feira de energia

Evento reunirá empresas e especialistas para apresentar as tendências e novidades do mercado elétrico voltados à Indústria.


Acidentes com origem elétrica aumentaram em 2018

Foram registradas 622 mortes por choques elétricos no ano passado

Acidentes com origem elétrica aumentaram em 2018

Maio terá bandeira amarela na tarifa de energia elétrica

Confira dicas para evitar aumento significativo nas contas

Maio terá bandeira amarela na tarifa de energia elétrica