Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Automação na mineração: os desafios do setor

Automação na mineração: os desafios do setor

20/07/2022 Hélio Sugimura

Várias inovações digitais estão sendo implementadas em muitas operações de mineração em todo o mundo.

Automação na mineração: os desafios do setor

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), mesmo em meio à pandemia, o Brasil fechou o ano de 2021 com um crescimento, em toneladas, de cerca de 7% na sua produção mineral em relação a 2020, com saldo das exportações de quase US$ 49 bilhões e participação de 80% no saldo comercial, que foi de US$ 61 bilhões.

Além disso, o transporte de minério de ferro liderou a movimentação portuária brasileira em 2021, com quase o dobro de volume do óleo bruto, segundo dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários.

Técnicos do Ibram ainda destacam que a demanda por minerais fundamentais, como cobre, alumínio, níquel, entre outros, tem sido crescente, principalmente para uso em novas tecnologias de energia limpa. Mas, infelizmente, muitas vezes temos notícias de sérios impactos ambientais provocados pelas atividades mineradoras que, além de afetar locais, pessoas, animais, também afetam sobremaneira a saúde financeira de muitas empresas.

Automação: a chave para ganhar mais eficiência

O setor de mineração, encontra-se em um momento de virada devido aos desafios cada vez mais complexos, como a volatilidade dos preços do minério e a necessidade de atender as legislações ambientais. E a automação é a chave para ganhar mais eficiência e consolidar o relacionamento com colaboradores, comunidades, governos e o meio ambiente, em cada uma das etapas da cadeia de valor.

Esses desafios são um forte incentivo para inovar. Várias inovações digitais estão sendo implementadas em muitas operações de mineração em todo o mundo. Elas não apenas fornecem soluções para os problemas existentes, mas também transformam radicalmente os processos de mineração, aumentando a eficiência, a lucratividade e a capacidade de cumprir regulamentações mais rígidas.

Realizada em ambientes remotos, a atividade mineradora requer uma imensa infraestrutura para operar com produtividade e eficiência, e tecnologias digitais inovadoras e automatizadas ajudam a levar mais agilidade e segurança para essas operações.

O valor da inovação

Soluções de automação que aumentam a eficiência energética, por exemplo, contribuem para reduzir o consumo e, também, ao monitorar o funcionamento de máquinas, melhorar o seu desempenho e o seu ciclo de vida.

Outro exemplo é que com a disponibilidade de recursos de monitoramento de vida útil de acionamentos elétricos e monitoramento de condição de motores, é possível trabalhar de forma preditiva, com melhor planejamento de atividades de manutenção, evitando paradas de processos de transporte de minério. Outra possibilidade é do uso de softwares supervisórios para acompanhar indicadores de performance (KPI) e comparar com a eficiência de outras unidades produtivas.

Acompanhar e monitorar as operações de forma automatizada, além de facilitar o gerenciamento de forma mais eficiente, contribui para garantir a segurança das operações.

* Hélio Sugimura, gerente de marketing da Mitsubishi Electric.

Para mais informações sobre Mineração clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Intelligenzia



Energia eólica offshore: a nova fronteira

O Brasil segue como um “mercado a ser acompanhado”: é o que diz o relatório de 2022 do GWEC (Global Wind Energy Council) fórum global de energia eólica.

Energia eólica offshore: a nova fronteira

Energia solar ultrapassa 17 GW e mais de R$ 90 bilhões em investimentos no Brasil

Desde 2012, setor gerou mais de 514 mil empregos e evitou a emissão de 25,5 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Energia solar ultrapassa 17 GW e mais de R$ 90 bilhões em investimentos no Brasil

Por que as “energytechs” são tão importantes para o mercado e o planeta?

A chamada revolução energética contribui para o surgimento de startups voltadas para o mercado de energia.

Por que as “energytechs” são tão importantes para o mercado e o planeta?

Energia solar passa termelétrica e se torna 3ª maior fonte brasileira

Dados são da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica.

Energia solar passa termelétrica e se torna 3ª maior fonte brasileira

Geração instantânea de energia eólica no Nordeste tem novo recorde

Dados foram apurados pelo ONS e ainda estão sendo validados.

Geração instantânea de energia eólica no Nordeste tem novo recorde

Eficiência energética pode reduzir até US$ 650 bilhões por ano as contas domésticas

Eficiência em energia ajudaria combater crise energética, pressões inflacionárias e o aumento das emissões de gases de efeito estufa.

Eficiência energética pode reduzir até US$ 650 bilhões por ano as contas domésticas

Geladeiras devem exibir hoje nova etiqueta de eficiência energética

Etiqueta indica diferença de consumo de até 30% entre produtos.

Geladeiras devem exibir hoje nova etiqueta de eficiência energética

Os desafios do Brasil para expansão do hidrogênio verde

No último dia 18 de maio, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, anunciou a publicação do decreto 11.075, de 19/5/22, que regulamenta o mercado de carbono no Brasil.

Os desafios do Brasil para expansão do hidrogênio verde

Privatização da Petrobras: uma proposta promissora para o mercado nacional

Muitas cartas estão em jogo com a mais recente intenção de acelerar a privatização da Petrobras em meio a um choque nos preços dos combustíveis.

Privatização da Petrobras: uma proposta promissora para o mercado nacional

Aneel reajusta bandeiras tarifárias em até 64%

Consumidores não pagarão mais porque bandeira está verde.

Aneel reajusta bandeiras tarifárias em até 64%

Como economizar energia durante os dias mais frios

O Brasil vive estiagem mais severa dos últimos 91 anos.

Como economizar energia durante os dias mais frios

Gigante mundial quer construir cinco usinas solares em Minas Gerais

Shell prevê investimentos em energia renovável nas regiões Norte, Noroeste e Central do estado.

Gigante mundial quer construir cinco usinas solares em Minas Gerais