Portal O Debate
Grupo WhatsApp

ONU funda agência para fomentar energias renováveis

ONU funda agência para fomentar energias renováveis

27/01/2009 Divulgação

Delegações de mais de 100 países participaram, nesta segunda-feira em Bonn, da conferência de fundação da Irena, sigla em inglês da Agência Internacional de Energias Renováveis das Nações Unidas.

Mais da metade dos países presentes à conferência se comprometeram a assinar o tratado que regulamenta a nova agência da ONU.

As delegações foram convidadas pelo governo de Berlim, de quem também partiu a iniciativa de fundação da Irena. A nova agência deverá fomentar a transição para fontes energéticas renováveis como sol, água, geotermia, vento, água e biomassa, e deverá funcionar como um contrapeso para a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e para a Agência Internacional de Energia (AIE).

Pelo lado alemão, participam da conferência o ministro do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, e a ministra da Cooperação Econômica, Heidemarie Wieczorek-Zeul. Segundo desejo de Berlim, a sede da nova agência deverá se localizar em Bonn, antiga capital da Alemanha.

Lobby para Bonn

Segundo o ministro Gabriel, que preside a conferência, uma organização de fomento às energias renováveis é urgentemente necessária. O desenvolvimento de tais fontes energéticas é bloqueado por obstáculos que só poderão ser superados através de um esforço político conjunto, afirmou. Segundo o ministro, o mercado ainda estaria deturpado por subvenções a fontes energéticas convencionais. Para Gabriel, a nova agência da ONU teria a função de "assessora neutra" para o tema da energia alternativa.

"Não se trata somente de ajudar empresas, mas sim de ajudar Estados", afirmou Gabriel à emissora RBB. A intenção não é simplesmente "entregar-se ao trabalho de lobby", mas, na forma de uma assessoria neutra, mostrar exemplos de como energias alternativas poderiam funcionar nos diferentes países, explicou.

O governo alemão não esconde, no entanto, o lobby que faz para que a sede da nova agência seja instalada em Bonn. Gabriel informou que a cidade de Bonn já é sede de diversas organizações da ONU, inclusive do Secretariado do Clima das Nações Unidas, oferecendo assim "condições excelentes" para sediar a Irena.

Organizações ambientais saúdam nova agência

Organizações de proteção ambiental também acreditam que a maioria dos países precisa ser mais bem assessorada quanto às metas político-energéticas. A Nabu (Federação de Proteção Ambiental da Alemanha) saudou a nova cooperação entre países industrializados, emergentes e em desenvolvimento em matéria de proteção climática. A ONG alemã é da opinião que organizações como a AIE negligenciaram por tempo demais o potencial tecnológico, ecológico e econômico das energias renováveis.

"A Agência Internacional de Energia apostou, até agora, na renascença da energia atômica e na exploração global das últimas reservas de carvão, petróleo e gás natural. Isso não condiz com os desafios climáticos e político-energéticos do século 21 e provocará uma destruição ambiental em proporções ainda não vistas", afirmou Olaf Tschimpke, presidente da Nabu.

Na conferência da ONU em Nairóbi, em 1981, foi mencionada pela primeira vez a fundação de uma agência de fomento às energias renováveis. A idéia foi desenvolvida em diversas outras conferências, até a Alemanha, em 2008, fazer propostas concretas na Conferência Internacional de Energias Renováveis em Washington.

O incentivo à fundação de Irena também fez parte do acordo que regulamenta a grande coalizão do governo alemão, assinado em 2005.

Mais informações sobre a Alemanha e a Europa no site www.DW-WORLD.DE/brasil



Cemig e Governo de Minas investem em 200 novas subestações

Investimentos que vão melhorar o fornecimento de energia e favorecer a geração de empregos foram anunciados em Governador Valadares.

Cemig e Governo de Minas investem em 200 novas subestações

Cemig lista 10 dicas simples para economizar energia

Mudanças nos hábitos de consumo podem fazer grande diferença no final do mês,

Cemig lista 10 dicas simples para economizar energia

Energia solar de grandes usinas ultrapassa carvão na matriz elétrica brasileira

De acordo com ABSOLAR, já são 3,8 gigawatts (GW) em usinas fotovoltaicas de grande porte ante a 3,6 GW em termelétricas fósseis à carvão mineral.

Energia solar de grandes usinas ultrapassa carvão na matriz elétrica brasileira

Condomínios residenciais buscam alternativa para reduzir custo de energia

Além de preservar o meio ambiente, geração de energia a partir do biogás ajuda na redução de gastos.

Condomínios residenciais buscam alternativa para reduzir custo de energia

Cemig investe mais de R$6 milhões na modernização de escolas públicas em 2021 

A meta é de que, até 2022, todas as unidades em Minas Gerais sejam contempladas com as melhorias.

Cemig investe mais de R$6 milhões na modernização de escolas públicas em 2021 

Aneel cria nova bandeira tarifária, e conta de luz fica mais cara

Custo de 100 kilowatt-hora passará de R$ 9,49 para R$ 14,20 até abril.

Aneel cria nova bandeira tarifária, e conta de luz fica mais cara

Conheça as primeiras telhas fotovoltaicas de concreto do Brasil

As vendas começaram voltadas a clientes selecionados no Estado de São Paulo e futuramente serão ampliadas para todo o país.

Conheça as primeiras telhas fotovoltaicas de concreto do Brasil

A “Revolução Solar” chega às empresas

A crescente utilização da energia solar está longe de terminar.

A “Revolução Solar” chega às empresas

Cemig e TJMG firmam parceria para economia de energia

Energia economizada com a modernização da iluminação do TJMG é equivalente ao abastecimento de 1.560 residências de famílias classificadas como baixa renda.

Cemig e TJMG firmam parceria para economia de energia

Curso: Economia de Energia nos Aparelhos de Ar Condicionado

Você sabia que o consumo do ar condicionado pode atingir até 50% do consumo total de uma edificação?  Neste curso você vai aprender como reduzir estas despesas.

Curso: Economia de Energia nos Aparelhos de Ar Condicionado

EDP lança podcast Energia para Inovar

Episódios discutirão temas relacionados às mudanças no setor elétrico e suas implicações na sociedade.

EDP lança podcast Energia para Inovar

Energia limpa para a recuperação econômica

O etanol de cana-de-açúcar completa o aporte do setor à matriz energética nacional.

Energia limpa para a recuperação econômica