Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Uso inadequado de instalações elétricas pode causar incêndios

Uso inadequado de instalações elétricas pode causar incêndios

08/04/2019 Da Redação

Ventilador e ar condicionado são principais causadores de acidentes.

Uso inadequado de instalações elétricas pode causar incêndios

A utilização de Ts, benjamins e extensões para a conexão simultânea de vários aparelhos é algo comum em muitos lares brasileiros. No entanto, essa prática é perigosa, já que pode provocar sobrecarga de energia e curtos-circuitos em redes não preparadas para suportar a carga elétrica demandada, causando incêndios e até acidentes fatais.

Segundo dados da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), em 2018, foram contabilizados 536 incêndios causados por curtos-circuitos, com um resultado de 62 mortes. Esse número aumentou 20% em relação a 2017, quando foram somados 431 casos e 30 mortes decorrentes desse tipo de acidente. Ainda segundo a Abracopel, ventilador e ar condicionado foram os principais vilões da história, sendo responsáveis por 199 dos 536 acidentes.

O engenheiro de segurança do trabalho Demetrio Aguiar, da Cemig, alerta que as gambiarras nas instalações elétricas são totalmente desaconselháveis e perigosas. O ideal, segundo ele, é que aparelhos com maior potência, como ar condicionado, chuveiro elétrico e micro-ondas tenham circuito próprio, para evitar acidentes. “É importante também que toda as casas tenham um projeto elétrico, o que facilita a manutenção e até a avaliação para o acréscimo de novas cargas, e que qualquer serviço elétrico seja feito por profissionais qualificados, para que não haja esse tipo de problema”, complementa.

De acordo com Demetrio Aguiar, é muito importante a utilização do dispositivo DR, cuja função é detectar fugas de corrente elétrica em circuitos defeituosos. Caso isso seja detectado, o sistema é desligado imediatamente e evita que o usuário sofram choque elétrico.

“Trata-se de um dispositivo de uso obrigatório desde 1997, conforme a NBR 5410, em circuitos que atendam cargas sujeitas à umidade, como banheiros, garagens, áreas de serviço, cozinhas e varandas, por exemplo”, comenta.

O especialista ainda ressalta que, ao adquirir equipamentos com maior consumo, a pessoa precisa ficar atenta à carga elétrica deles e, se necessário, pedir à Cemig a alteração de carga da residência. “Com esses cuidados o cliente pode utilizar os equipamentos ao mesmo tempo sem perigo de incêndio”, completa.

Outros cuidados essenciais para evitar acidentes

A utilização de equipamentos elétricos e eletrônicos no banheiro também requer bastante cautela. “A água é uma grande condutora de energia elétrica. Dessa forma, após sair do chuveiro, as pessoas devem evitar utilizar o uso de secadores, barbeadores elétricos e chapinhas. Esses equipamentos só devem ser utilizados quando a pessoa estiver totalmente seca”, destaca Demetrio.

Outro artefato que pode ajudar bastante em casa é o protetor de tomada, principalmente em famílias com crianças pequenas e animais de estimação. Esses dispositivos são encontrados facilmente em lojas especializadas a preços muito acessíveis.

Demetrio Aguiar também faz recomendações em relação aos dispositivos móveis. O engenheiro destaca que o carregamento de tais aparelhos deve ser feito sobre uma superfície lisa e bem ventilada, livre de materiais combustíveis como tecidos de toalhas de mesa, colchas de camas e forros de sofás, dentre outros. “Em caso de princípio de incêndio, os materiais queimarão com facilidade e propagarão as chamas a outros cômodos da casa ou do apartamento”, alerta.

Caso haja a necessidade de se ligar vários equipamentos em uma mesma tomada, o ideal é a utilização de um filtro de linha que, em caso de sobrecarga de energia, irá se desligar automaticamente.  Mas vale destacar que os filtros de linha podem ser utilizados desde que seu dispositivo interno de proteção esteja operante e não tenha sofrido alterações.

Confira outras dicas de segurança:

- Proteger tomadas com tampas plásticas.

- Não recarregar aparelhos em cima de camas, sofás e próximo a cortinas ou outros materiais combustíveis.

- Não utilizar aparelhos eletrônicos com as mãos molhadas ou em locais úmidos.

- Não utilizar a mesma tomada para carregar vários aparelhos ao mesmo tempo, por meio de Ts ou benjamins.

- Fazer uma revisão nas instalações elétricas.

- Substituir as fiações antigas ou desencapadas.

- Ao mexer na chave seletora do chuveiro elétrico, desligar o aparelho, verificar se o piso não está molhado e usar um calçado seco com sola de borracha limpa.

Fonte: Superintendência de Comunicação Empresarial – CEMIG



Revestimento solar colorido de Dubai chega ao Brasil

Dubai tem metas audaciosas: gerar 25% de sua energia a partir de fontes limpas até 2030 e 75% até 2050, o equivalente a 42 mil megawatts.

Revestimento solar colorido de Dubai chega ao Brasil

Nas festas juninas todo cuidado é pouco

Uma das festividades mais populares do Brasil, os “arraiás juninos” tradicionalmente são os que mais deixam as ruas ornamentadas.

Nas festas juninas todo cuidado é pouco

Oportunidades de negócios no mercado energia

FIEMG realiza workshop gratuito sobre mercado livre de energia. Inscrições abertas.


Redução de gastos na conta de luz pode chegar a 95% com energia solar

O País possui 71.701 sistemas fotovoltaicos conectados à rede, trazendo economia e sustentabilidade ambiental a 88.741 unidades consumidoras.


A crise energética na Venezuela e as consequências para o Brasil

O estado de Roraima é afetado diretamente pelos sucessivos apagões que afetam a Venezuela, já que grande parte da energia consumida no estado é proveniente do país vizinho.


Energia solar fotovoltaica: a próxima onda do mercado livre de energia

A estimativa é de que a fonte ultrapasse a marca de 3.000 MW ainda em 2019.

Energia solar fotovoltaica: a próxima onda do mercado livre de energia

Contas da Cemig terão reajuste médio de 8,73%

Para clientes residenciais, impacto na conta de luz será de 6,93%

Contas da Cemig terão reajuste médio de 8,73%

Um perigo constante: acidentes com celulares e dispositivos móveis

Segundo dados da Associação Brasileira de Conscientização dos Perigos de Eletricidade (Abracopel), em 2018 foram registrados 41 acidentes com celulares no Brasil, que resultaram em 23 mortes.

Um perigo constante: acidentes com celulares e dispositivos móveis

Falta de energia elétrica pode acabar através do uso de bioprodutos

“A biomassa é uma saída muito interessante para a carência energética. Com os resíduos é possível fazer energia própria”.

Falta de energia elétrica pode acabar através do uso de bioprodutos

IX CIERTEC apresenta inovações na feira de energia

Evento reunirá empresas e especialistas para apresentar as tendências e novidades do mercado elétrico voltados à Indústria.


Acidentes com origem elétrica aumentaram em 2018

Foram registradas 622 mortes por choques elétricos no ano passado

Acidentes com origem elétrica aumentaram em 2018

Maio terá bandeira amarela na tarifa de energia elétrica

Confira dicas para evitar aumento significativo nas contas

Maio terá bandeira amarela na tarifa de energia elétrica