Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Uso inadequado de instalações elétricas pode causar incêndios

Uso inadequado de instalações elétricas pode causar incêndios

08/04/2019 Divulgação

Ventilador e ar condicionado são principais causadores de acidentes.

Uso inadequado de instalações elétricas pode causar incêndios

A utilização de Ts, benjamins e extensões para a conexão simultânea de vários aparelhos é algo comum em muitos lares brasileiros. No entanto, essa prática é perigosa, já que pode provocar sobrecarga de energia e curtos-circuitos em redes não preparadas para suportar a carga elétrica demandada, causando incêndios e até acidentes fatais.

Segundo dados da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), em 2018, foram contabilizados 536 incêndios causados por curtos-circuitos, com um resultado de 62 mortes. Esse número aumentou 20% em relação a 2017, quando foram somados 431 casos e 30 mortes decorrentes desse tipo de acidente. Ainda segundo a Abracopel, ventilador e ar condicionado foram os principais vilões da história, sendo responsáveis por 199 dos 536 acidentes.

O engenheiro de segurança do trabalho Demetrio Aguiar, da Cemig, alerta que as gambiarras nas instalações elétricas são totalmente desaconselháveis e perigosas. O ideal, segundo ele, é que aparelhos com maior potência, como ar condicionado, chuveiro elétrico e micro-ondas tenham circuito próprio, para evitar acidentes. “É importante também que toda as casas tenham um projeto elétrico, o que facilita a manutenção e até a avaliação para o acréscimo de novas cargas, e que qualquer serviço elétrico seja feito por profissionais qualificados, para que não haja esse tipo de problema”, complementa.

De acordo com Demetrio Aguiar, é muito importante a utilização do dispositivo DR, cuja função é detectar fugas de corrente elétrica em circuitos defeituosos. Caso isso seja detectado, o sistema é desligado imediatamente e evita que o usuário sofram choque elétrico.

“Trata-se de um dispositivo de uso obrigatório desde 1997, conforme a NBR 5410, em circuitos que atendam cargas sujeitas à umidade, como banheiros, garagens, áreas de serviço, cozinhas e varandas, por exemplo”, comenta.

O especialista ainda ressalta que, ao adquirir equipamentos com maior consumo, a pessoa precisa ficar atenta à carga elétrica deles e, se necessário, pedir à Cemig a alteração de carga da residência. “Com esses cuidados o cliente pode utilizar os equipamentos ao mesmo tempo sem perigo de incêndio”, completa.

Outros cuidados essenciais para evitar acidentes

A utilização de equipamentos elétricos e eletrônicos no banheiro também requer bastante cautela. “A água é uma grande condutora de energia elétrica. Dessa forma, após sair do chuveiro, as pessoas devem evitar utilizar o uso de secadores, barbeadores elétricos e chapinhas. Esses equipamentos só devem ser utilizados quando a pessoa estiver totalmente seca”, destaca Demetrio.

Outro artefato que pode ajudar bastante em casa é o protetor de tomada, principalmente em famílias com crianças pequenas e animais de estimação. Esses dispositivos são encontrados facilmente em lojas especializadas a preços muito acessíveis.

Demetrio Aguiar também faz recomendações em relação aos dispositivos móveis. O engenheiro destaca que o carregamento de tais aparelhos deve ser feito sobre uma superfície lisa e bem ventilada, livre de materiais combustíveis como tecidos de toalhas de mesa, colchas de camas e forros de sofás, dentre outros. “Em caso de princípio de incêndio, os materiais queimarão com facilidade e propagarão as chamas a outros cômodos da casa ou do apartamento”, alerta.

Caso haja a necessidade de se ligar vários equipamentos em uma mesma tomada, o ideal é a utilização de um filtro de linha que, em caso de sobrecarga de energia, irá se desligar automaticamente.  Mas vale destacar que os filtros de linha podem ser utilizados desde que seu dispositivo interno de proteção esteja operante e não tenha sofrido alterações.

Confira outras dicas de segurança:

- Proteger tomadas com tampas plásticas.

- Não recarregar aparelhos em cima de camas, sofás e próximo a cortinas ou outros materiais combustíveis.

- Não utilizar aparelhos eletrônicos com as mãos molhadas ou em locais úmidos.

- Não utilizar a mesma tomada para carregar vários aparelhos ao mesmo tempo, por meio de Ts ou benjamins.

- Fazer uma revisão nas instalações elétricas.

- Substituir as fiações antigas ou desencapadas.

- Ao mexer na chave seletora do chuveiro elétrico, desligar o aparelho, verificar se o piso não está molhado e usar um calçado seco com sola de borracha limpa.

Fonte: Superintendência de Comunicação Empresarial – CEMIG



Brasil é 4º país no mundo que mais cresceu com projetos de energia solar no último ano

Brasil acrescentou em 2021 cerca de 5,7 gigawatts (GW) da fonte solar na geração própria de energia em residências e empresas.

Brasil é 4º país no mundo que mais cresceu com projetos de energia solar no último ano

Redução da taxa de energia vai favorecer pequenos negócios, diz Sebrae

Segmento foi o mais afetado pela pandemia, afirma economista.

Redução da taxa de energia vai favorecer pequenos negócios, diz Sebrae

Minas Trifásico vai investir R$ 1,8 bilhão na modernização da rede elétrica rural

Até 2027, serão 30 mil quilômetros de novas linhas rurais, aumentando a capacidade de carga em benefício da população.

Minas Trifásico vai investir R$ 1,8 bilhão na modernização da rede elétrica rural

Fontes de energia eólica e solar geraram em 2021, 10% da eletricidade global

Dados estão no relatório Revisão Global de Eletricidade.

Fontes de energia eólica e solar geraram em 2021, 10% da eletricidade global

Lojistas já economizaram mais de R$ 2 milhões na tarifa de energia elétrica

Economia foi possível após contratação, via CDL/BH,de energia solar ofertada pela Cemig SIM.

Lojistas já economizaram mais de R$ 2 milhões na tarifa de energia elétrica

O mercado livre de energia e os novos desafios da era digital

Hoje em dia temos várias fontes além das hidrelétricas, como as energias eólica, biomassa ou solar.

O mercado livre de energia e os novos desafios da era digital

Programa de Gestão Energética de São Paulo economiza R$ 3,3 milhões

Somente com as revisões e adequações de 723 aditivos de contratos por demanda, a economia gerada representará R$ 19 milhões aos cofres do estado.

Programa de Gestão Energética de São Paulo economiza R$ 3,3 milhões

PL que moderniza sistema elétrico brasileiro pode diminuir o preço da energia

O Projeto de Lei 414/2021 oferece a oportunidade do cliente escolher o seu fornecedor e a fonte da energia que irá utilizar.

PL que moderniza sistema elétrico brasileiro pode diminuir o preço da energia

Capacitação sobre Eficiência Energética e Economia de Energia no Poder Público

O programa aborda as diferentes formas e ferramentas para obter maior eficiência energética em edificações e infraestruturas de saneamento.

Capacitação sobre Eficiência Energética e Economia de Energia no Poder Público

Comercializadora assina contrato inédito para importar gás natural da Bolívia

Tradener fecha contrato com a YPFB e poderá trazer inicialmente até 2,2 milhões de metros cúbicos de gás natural para o mercado livre brasileiro.

Comercializadora assina contrato inédito para importar gás natural da Bolívia

Fontes de energia renovável: vantagens e desvantagens das usadas atualmente no Brasil

Embora muito se fale sobre a necessidade de substituir as energias não renováveis por renováveis, alguns detalhes são importantes para entender até onde é possível avançar e colocá-las em prática.

Fontes de energia renovável: vantagens e desvantagens das usadas atualmente no Brasil

O perigo ligado à tomada

Todo circuito elétrico bem dimensionado dispõe de disjuntores que protegem os fios que alimentam as tomadas que por sua vez, atendem as cargas.

O perigo ligado à tomada