Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Animais enxergam as cores de maneira diferente do ser humano

Animais enxergam as cores de maneira diferente do ser humano

03/06/2019 Da Redação

Para que um animal possa perceber as inúmeras cores, precisa ter pelo menos duas classes diferentes de células sensíveis à cor em seu olho.

Animais enxergam as cores de maneira diferente do ser humano

A retina das pessoas capta três tipos de cores: o azul, vermelho e verde, o que permite enxergar uma variedade enorme de cores. Existem dois tipos de células sensíveis à luz no olho: os cones e os bastonetes. Os humanos possuem até seis milhões de cones na retina.  Enquanto os bastonetes respondem à intensidade luminosa (níveis baixos ou altos de luz), os cones leem as frequências da luz, permitindo que as cores sejam identificadas, informa Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News ( www.revistaecotour.news).

Assim, os bastonetes permitem ver de noite ou com pouca luz e os cones possibilitam perceber distintas cores.  Tanto nos bastonetes como nos cones, existem moléculas de um tamanho relativamente grande que absorvem os fótons que chegam a elas e que são as que produzem finalmente impulsos elétricos no nervo óptico.

O cérebro dos animais interpreta a combinação das frequências de uma forma diferente. Para que um animal possa perceber as inúmeras cores, precisa ter pelo menos duas classes diferentes de células sensíveis à cor em seu olho, os cones, e uma capacidade cerebral que possa entender as mensagens que recebe destas células.

Os gatos reagem apenas às cores violeta, azul, verde e amarelo. Como resultado dessa condição, a visão deles é embaçada e eles não conseguem ver os detalhes de objetos. Apesar de não terem uma visão capaz de distinguir muitas cores, eles são capazes de detectar qualquer movimento. Isto também é reflexo do campo de visão dos gatos, que é de 200°. O do ser humano é de 180°. Tal característica permite que o animal tenha uma visão panorâmica mais ampla.

"O gato enxerga no escuro cerca de seis a oito vezes melhor do que os humanos, e isso se deve a presença de diversos bastonetes na visão, que é um componente da retina responsável pela recepção de luz no escuro", salienta Vininha F. Carvalho.

O cão pode ver em cor, mas não tantas cores como os humanos, já que possui só dois tipos distintos de cones. Ele consegue distinguir o azul do amarelo, do vermelho ou do verde, mas não diferencia o vermelho do verde. Os caninos veem na escuridão de quatro a cinco vezes melhor do que o ser humano.

A pomba possui até cinco tipos diferentes de cones, logo percebe mais cores do que um ser humano. A borboleta possui quatro tipos diferentes de cones. Um tipo de camarão tem pelo menos doze classes de células sensíveis à cor e provavelmente seja o animal que mais cores percebam.

Há casos de animais que não possuem cones e só disponha de bastonetes em seu olho. Eles não poderão perceber cor alguma, apenas mudanças de intensidade de luz. Seu mundo é um mundo de sombras, no qual as sombras menos escuras correspondem a mais luz e as menos escuras, a menos luz. Este é o caso, por exemplo, das salamandras.

Também não verá a cor um animal que, além de bastonetes, só possua um tipo de cone (são necessários dois, no mínimo, para distinguir cores). Assim, seu mundo não será em escala de cinzas como, no caso da salamandra, mas na escala da única cor que percebam seus cones. Isso é que acontece com o polvo.

Ainda há o caso de animais que possuem células sensíveis a frequências que ficam em faixa do espectro eletromagnético não visível para os olhos humanos. É o caso das abelhas, que veem a luz ultravioleta (UV), uma frequência que é invisível para os humanos. "As abelhas usam esta visão em UV para ver os padrões das pétalas florais, os quais lhe indicam onde se encontra o néctar", conclui Vininha F. Carvalho.

Fonte: Del Valle Editoria



Pets como presente de Natal? Veterinário lista os prós e os contras

Responsabilidades e tempo médio de vida dos bichos devem ser levados em conta antes da compra ou adoção.

Pets como presente de Natal? Veterinário lista os prós e os contras

Decoração de Natal pode ser um perigo para os pets

Pisca-piscas e bolas de vidro estão entre os itens mais prejudiciais à saúde dos animais domésticos, alerta veterinário.

Decoração de Natal pode ser um perigo para os pets

Devo levar meu cão ao shopping?

Estamos falando do local mais frequentado nos finais de semana: o shopping.

Devo levar meu cão ao shopping?

Conheça as plantas venenosas para seu cãozinho

Você já se perguntou quais são as plantas tóxicas para seu melhor amigo?

Conheça as plantas venenosas para seu cãozinho

Como proteger meu pet do calor?

O verão está chegando e algumas cidades brasileiras já registram temperaturas acima dos 28 graus.

Como proteger meu pet do calor?

Cães podem comer açúcar?

Veterinário diz que tipo de alimentos adocicado os cães podem consumir.

Cães podem comer açúcar?

Pesquisa revela que permitir pets nos escritórios ajuda a reter e atrair talentos

Dos empregadores ouvidos, 87% dizem conseguir reter e atrair mais talentos por serem “pet friendly”.

Pesquisa revela que permitir pets nos escritórios ajuda a reter e atrair talentos

Pets na empresa? Eles podem ajudar na produtividade e reduzir o estresse

De olho no aumento da produtividade de seus colaboradores, empresas permitem visitas de pets em dias preestabelecidos.

Pets na empresa? Eles podem ajudar na produtividade e reduzir o estresse

“Cães obesos vivem menos”

Quase 60% dos cachorros sofrem com o sobrepeso e, consequentemente, com as doenças decorrentes da obesidade.

“Cães obesos vivem menos”

Os mitos sobre gatos e gestantes

Gestantes podem continuar dividindo as emoções com seus gatinhos sem medo.

Os mitos sobre gatos e gestantes

Você sabia que seu pet pode doar sangue?

Especialista explica a importância do procedimento e alerta para a necessidade de promover essa atitude que salva vidas.

Você sabia que seu pet pode doar sangue?

“Os cachorros realmente amam seus donos”, diz especialista

Os animais percebem seus tutores como membros da família, mesmo sabendo diferenciar humanos de outros cães.

“Os cachorros realmente amam seus donos”, diz especialista