Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Castração de gatos: antes e depois da cirurgia

Castração de gatos: antes e depois da cirurgia

03/11/2016 Ana Paula Morais

Veterinária orienta sobre cuidados no pré e pós-operatório.

Castração de gatos: antes e depois da cirurgia

Quem adota um gato sempre se depara com o assunto castração. Por que o dono deve pensar nessa alternativa? Que cuidados devem ser tomados antes e depois da cirurgia? Para ajudar a entender o processo, Patrícia Padovez, médica veterinária e coordenadora técnica da Farmina Pet Foods, dá algumas orientações sobre o tema.

Por que castrar?

A castração é uma medida saudável que mantém o bem-estar dos felinos e pode até prolongar a vida deles. Além de controlar o aumento populacional dos gatos, a esterilização ajuda a evitar comportamentos indesejados, tais como os miados por parte da fêmea e a marcação de território e saídas noturnas por parte dos machos, o que diminui o risco de acidentes e o contato com outros animais que podem transmitir doenças infecciosas e também ocasionar brigas.

Pré-operatório

O primeiro passo é visitar o veterinário, que vai avaliar as condições do pet e indicar uma melhor data para fazer a cirurgia. Apesar de ser simples, a operação necessita de uma preparação especial. Na noite que antecede o procedimento, respeite o prazo de jejum estipulado pelo médico veterinário, tanto de alimento como de água. O jejum é fundamental para que seu animal não sofra tanto com o enjoo provocado pela anestesia e evita risco de acidentes durante o período da cirurgia.

Pós-operatório

A cirurgia de esterilização exige anestesia geral, mas a operação costuma ser rápida e, normalmente, o gato é liberado no mesmo dia. Para o pós-operatório, alguns cuidados são essenciais. Separar um lugar isolado e confortável para o animal descansar é fundamental. "A recuperação pode levar um tempinho, por esse motivo, é de extrema importância que ele fique em local tranquilo e afastado de outros animais da casa e crianças", ressalta Padovez.

Outra medida indicada é deixar potinhos com água e alimento por perto, assim o bichano poderá se alimentar quando quiser, sem precisar se deslocar muito. Além disso, é muito comum que os gatos, durante os primeiros dias após a operação, se incomodem com os pontos da cirurgia. Para evitar que eles alcancem a região dos pontos, coloque um colar elisabetano no animal. O acessório pode ser encontrado em clinicas veterinárias e pet shops.

Comportamento e alimentação

Ao contrário do que muitos afirmam, a castração não altera a personalidade do gato. De uma maneira geral, a esterilização torna o animal mais calmo e caseiro, passando mais tempo em repouso e higiene ao invés de caçar e explorar territórios. As necessidades de energia diminuem, porém, o animal pode ter um aumento na sensação de fome, por isso é imprescindível que se ofereça um alimento adequado a esta nova fase. "Caso o felino continue recebendo o mesmo alimento, na mesma quantidade que recebia antes da cirurgia, a tendência é que ele desenvolva sobrepeso em um período curto de tempo", explica Padovez.

No intuito de oferecer uma alimentação adequada para o gato que passou pela cirurgia de esterilização, a Farmina Pet Foods desenvolveu uma nova ração sem grãos, conservada naturalmente e com as características nutricionais que atendem às necessidades do felino castrado. Segundo Padovez, a proporção de gordura, proteína, fibras, L-carnitina e o balanço de minerais presentes na N&D Grain Free Feline auxiliam na manutenção do peso do animal, favorecem a saciedade e a eliminação de bolas de pelos e auxiliam no controle do pH urinário.



Como proteger meu pet do calor?

O verão está chegando e algumas cidades brasileiras já registram temperaturas acima dos 28 graus.

Como proteger meu pet do calor?

Cães podem comer açúcar?

Veterinário diz que tipo de alimentos adocicado os cães podem consumir.

Cães podem comer açúcar?

Pesquisa revela que permitir pets nos escritórios ajuda a reter e atrair talentos

Dos empregadores ouvidos, 87% dizem conseguir reter e atrair mais talentos por serem “pet friendly”.

Pesquisa revela que permitir pets nos escritórios ajuda a reter e atrair talentos

Pets na empresa? Eles podem ajudar na produtividade e reduzir o estresse

De olho no aumento da produtividade de seus colaboradores, empresas permitem visitas de pets em dias preestabelecidos.

Pets na empresa? Eles podem ajudar na produtividade e reduzir o estresse

“Cães obesos vivem menos”

Quase 60% dos cachorros sofrem com o sobrepeso e, consequentemente, com as doenças decorrentes da obesidade.

“Cães obesos vivem menos”

Os mitos sobre gatos e gestantes

Gestantes podem continuar dividindo as emoções com seus gatinhos sem medo.

Os mitos sobre gatos e gestantes

Você sabia que seu pet pode doar sangue?

Especialista explica a importância do procedimento e alerta para a necessidade de promover essa atitude que salva vidas.

Você sabia que seu pet pode doar sangue?

“Os cachorros realmente amam seus donos”, diz especialista

Os animais percebem seus tutores como membros da família, mesmo sabendo diferenciar humanos de outros cães.

“Os cachorros realmente amam seus donos”, diz especialista

Confira 6 dicas para proteger os pets durante o inverno

Para amenizar o desconforto dos animais de estimação na época mais gelada do ano, veterinário lista quais são os pontos que demandam mais atenção.

Confira 6 dicas para proteger os pets durante o inverno

Mitos e verdades sobre pulgas e carrapatos

Estes parasitas representam uma preocupação constante e são uma dor de cabeça para donos de cães e gatos.

Mitos e verdades sobre pulgas e carrapatos

Pets: Você sabia que seu cãozinho pode doar sangue?

Especialista explica a importância do procedimento e alerta para a escassez de doadores e a necessidade urgente de promover essa atitude que salva vidas.

Pets: Você sabia que seu cãozinho pode doar sangue?

Cães auxiliam crianças e adultos com deficiências

Além dos alunos da APAE, a terapia com animais também é utilizada para tratamento contra o câncer, doenças cardíacas, estresse, depressão e paralisias.

Cães auxiliam crianças e adultos com deficiências