Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Descubra como reduzir a queda de pelos dos pets

Descubra como reduzir a queda de pelos dos pets

18/06/2016 Ana Paula Morais

Escovação e alimentação adequada são alguns dos cuidados que garantem uma pelagem saudável ao animal.

Descubra como reduzir a queda de pelos dos pets


Se você tem um peludo em casa sabe a alegria que é ter um amigo sempre por perto, mas é um grande desconforto encontrar bolas de pelos por todos os lados. Faz parte da natureza de cães e gatos trocar a pelagem em determinadas épocas do ano e são nesses momentos que o excesso de pelos pela casa começa a incomodar.

Segundo da médica veterinária e dermatóloga supervisora da linha Soft Care da pet Society, Salua Carolina Caetano, os pelos dos animais tem três fases, uma na qual ele está crescendo, uma em que os pelos param de crescer e ficam do tamanho designado pelo DNA e uma última que os pelos caem. “Essas fases são cíclicas e, por isso, observamos uma queda frequente”, explica Salua Caetano. Animais que tem a pelagem curta possuem um ciclo menor e, portanto, há uma maior queda de pelo.

Clima
A pelagem dos animais também sofre a influência do clima. Salua Caetano explica que a pelagem é composta por fios primários e muitos secundários (subpelo) que aumentam nas estações mais frias do ano afim de manter a temperatura do corpo. Na primavera e verão, os subpelos caem mantendo assim o equilíbrio da temperatura do organismo.

Entretanto, como o Brasil é um país tropical e as estações não são bem definidas, é possível perceber as quedas o ano inteiro. Apesar disso, elas são mais intensas nos meses que antecedem as estações de clima mais extremo.

Curto ou longo
Cães com pelagem mais longa trocam seus pelos com menor frequência que os de pelo curto. Isso se dá, pois, essas raças apresentam pelagem de crescimento contínuo, enquanto as raças de pelo curto apresentam troca à medida que os novos pelos crescem. Além disso, cães com pelos longos como Maltês, Yorkshire e Poodle exigem um cuidado maior com as tosas, escovações e limpezas, o que ameniza a dispersão de pelos.

Já em gatos, a situação é diferente. Os felinos perdem pelos na proporção do comprimento, ou seja, gatos de pelagem longa perdem mais pelos que os demais. E como não é da natureza dos gatos tomar banho, percebe-se uma queda ainda maior e mais concentrada: as famosas bolas de pelos.

Alimentação adequada
Para amenizar a queda de pelos, a gerente técnica da Farmina Pet Foods, Karina Venturelli, ressalta que ao escolher uma ração, é importante verificar os níveis de ácidos graxos do produto, principalmente ômega 3 e ômega 6, já que essas substâncias são essenciais para manter o brilho da pelagem e amenizar as quedas. "Baixo teor de vitamina A, carência de aminoácidos ou uma quantidade insuficiente de proteína na alimentação dos pets são fatores que podem causar a queda de pelos, por isso é importante escolher bem o alimento do animal". Outro cuidado é eleger um alimento adequado à idade e ao porte do pet.

A dermatóloga veterinária Salua Caetano acrescenta outro cuidado que se deve tomar é com a utilização de produtos de higiene adequados e próprios para animais com qualidade cosmética, pois em sua composição esses produtos (shampoo e condicionador, máscaras) possuem nutrientes para a pelagem que a fortalecem e ativos de limpeza que não agridem a pele.

Para os animais de pelo curto deve-se além do banho utilizar luvas de látex, ou escova de pelos ao longo do corpo do animal para retirar o excesso de pelo. Outra técnica indicada por Salua Caetano é Handstripping, procedimento realizado por um profissional no centro de estética que retira o subpelo dos animais, mantendo a pelagem saudável sem retirar comprimento e diminuindo a queda de pelo em casa.

A manutenção em casa da pelagem pode-se utilizar fluído desembaraçador com uma rasqueadeira e escovar os pelos de dois em dois dias retirando assim o excesso de pelo. A visita periódica ao médico veterinário é de extrema importância para o diagnóstico precoce da queda de pelos acentuada.

Queda acentuada
Quando a queda é acentuada e percebe-se que há falhas na pelagem (ausência de pelo e exposição da pele) ou áreas em que não há mais o crescimento do pelo, Salua Caetano aconselha que o proprietário procure um médico veterinário, pois naquela região ou aquele animal está com alguma alteração no organismo, seja uma dermatite, a falta de nutrientes ou mesmo fatores emocionais.

Além da queda de pelos deve ser observado ressecamento, pelos sem brilho, pelos quebrados que se embaraçam facilmente, comedões (pontos enegrecidos como um cravo), untuosidade na pele. Se o animal estiver apresentando esses sintomas é indispensável a procura por um especialista, um dermatologista veterinário, para fazer uma avaliação da saúde e da pele do animal, verificando assim o que está acontecendo e iniciar um tratamento.

Xô, pelos!
Há diversas maneiras de retirar os pelos da casa e das roupas. Uma alternativa é aspirar a casa a cada dois dias. Para quem tem menos tempo durante a semana, a opção pode ser usar um rolo aderente nas roupas e até no sofá.

E quando você sai de casa e só então percebe que a roupa está cheia de pelos? Fácil! A dica é umedecer as mãos com um pouco de água e ir batendo na roupa de cima para baixo, até todos os pelos saírem.

As medidas servem para eliminar os pelos, mas, para amenizar a queda, é imprescindível reservar alguns minutos do dia para escovar o pet, conforme explica Venturelli: "a queda de pelos do animal é inevitável, então, escovar o cão ou o gato vai acelerar o processo e vai concentrar a sujeira em apenas um lugar".



“Cães obesos vivem menos”

Quase 60% dos cachorros sofrem com o sobrepeso e, consequentemente, com as doenças decorrentes da obesidade.

“Cães obesos vivem menos”

Os mitos sobre gatos e gestantes

Gestantes podem continuar dividindo as emoções com seus gatinhos sem medo.

Os mitos sobre gatos e gestantes

Você sabia que seu pet pode doar sangue?

Especialista explica a importância do procedimento e alerta para a necessidade de promover essa atitude que salva vidas.

Você sabia que seu pet pode doar sangue?

“Os cachorros realmente amam seus donos”, diz especialista

Os animais percebem seus tutores como membros da família, mesmo sabendo diferenciar humanos de outros cães.

“Os cachorros realmente amam seus donos”, diz especialista

Confira 6 dicas para proteger os pets durante o inverno

Para amenizar o desconforto dos animais de estimação na época mais gelada do ano, veterinário lista quais são os pontos que demandam mais atenção.

Confira 6 dicas para proteger os pets durante o inverno

Mitos e verdades sobre pulgas e carrapatos

Estes parasitas representam uma preocupação constante e são uma dor de cabeça para donos de cães e gatos.

Mitos e verdades sobre pulgas e carrapatos

Pets: Você sabia que seu cãozinho pode doar sangue?

Especialista explica a importância do procedimento e alerta para a escassez de doadores e a necessidade urgente de promover essa atitude que salva vidas.

Pets: Você sabia que seu cãozinho pode doar sangue?

Cães auxiliam crianças e adultos com deficiências

Além dos alunos da APAE, a terapia com animais também é utilizada para tratamento contra o câncer, doenças cardíacas, estresse, depressão e paralisias.

Cães auxiliam crianças e adultos com deficiências

Férias com o melhor amigo! Veja dicas para viajar com os pets em segurança

Para Jorge Morais, fundador da Animal Place, cães e gatos podem ser incluídos nos passeios, mas alguns cuidados são importantes para evitar problemas.

Férias com o melhor amigo! Veja dicas para viajar com os pets em segurança

Como fazer um cantinho para pets em sacada de vidro?

Já pensou em ter animais de estimação em apartamento, mas desistiu porque tem pouco espaço?


Pets no condomínio: como conquistar um ambiente saudável para todos

Especialista em comportamento animal dá dicas de como criar um animal de estimação da melhor forma e sem incomodar os vizinhos.

Pets no condomínio: como conquistar um ambiente saudável para todos

Doença silenciosa: especialista alerta para a doença renal nos gatos

A doença renal crônica (DRC) é um mal silencioso e progressivo, que afeta os gatos mais velhos, mas pode aparecer em qualquer idade.

Doença silenciosa: especialista alerta para a doença renal nos gatos