Portal O Debate
Grupo WhatsApp


5 motivos para não usar o WhatsApp em vendas

5 motivos para não usar o WhatsApp em vendas

10/05/2016 Jaques Grinberg

Estamos em um momento que é preciso inovar para vender mais.

5 motivos para não usar o WhatsApp em vendas

Os clientes querem ser surpreendidos e buscam agilidade. As informações surgem de forma instantânea, as novidades chegam rápido. A ansiedade em esperar a resposta de uma carta escrita e postada nos Correios é coisa do passado, hoje, se a resposta demorar cinco motivos ou mais gera a mesma expectativa que antigamente podia demorar até meses.

Alguns vendedores já estão adotando ferramentas e aplicativos de mensagens instantâneas para a comunicação com os seus clientes. Excelentes ferramentas disponíveis e sim, os clientes recebem e leem.

O perigo surge quando acontece o primeiro ruído na comunicação. Nas minhas palestras e aulas falo muito sobre a importância do relacionamento entre vendedores e clientes através de uma boa comunicação. Em um relacionamento pessoal, quando surge algum ruído na comunicação, surge a “DR” (discutir o relacionamento). Quando surge um ruído entre o vendedor e o cliente, a negociação é prejudicada.

Em uma venda presencial é comum acontecer ruídos durante uma venda – um relacionamento – agora, imagine em uma venda via WhatsApp! O cliente pode ler e interpretar o texto como ele desejar, no tom que ele quiser. Uma palavra digitada errada, é possível perder o cliente para sempre.

Veja cinco motivos para não usar o WhatsApp para vender.

1º Uso de Grupos
Quando cria-se um grupo no WhatsApp, todos podem e irão escrever. O risco de gerar discussões ou o grupo perder o foco é quase 100%. Cuidado!

2º Conteúdo
Cuidado com imagens, com o direito autoral do conteúdo. Também precisamos ter cuidado com “memes”, assuntos diversos e polêmicos. O cliente pode aplicar uma arapuca, iniciando um assunto polêmico como por exemplo sobre futebol, religião ou política. E o que fazer? Imagine o risco!

3º Mão de obra
Quando inovamos usando por exemplo o WhatsApp para vender, os clientes acham que estamos disponíveis 24 horas por dia e sete dias por semana. Sim, eles tem razão. Afinal é uma ferramenta instantânea e o cliente consegue visualizar se a mensagem foi entregue e recebida e se sim, irá aguardar uma resposta instantânea. Você estará preparado e disponível 24 horas por dia?

4º Começou, não tem volta
Se você divulgar esse serviço de atendimento e relacionamento com os clientes, não terá volta. Depois de iniciado é difícil desistir, mesmo que dê errado.

5º Ligação via WhatsApp
Por diversos motivos e o principal por economia, os clientes podem e irão ligar via aplicativo. A sua internet 3G ou 4G está preparada para atender com qualidade estas ligações? Uma ligação de péssima qualidade aumenta as chances de ruídos na comunicação e o cliente pode ficar irritado, procurando o concorrente por insatisfação.

Em resumo, o que parece ajudar pode prejudicar e reconquistar clientes que desistem por alguma falha na comunicação é mais difícil do que conquistar novos clientes.

* Jaques Grinberg: Empreendedor, coach, palestrante, consultor e sócio em quatro empresas.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.