Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A autoestima e a sexualidade

A autoestima e a sexualidade

14/07/2014 Sônia Eustáquia Fonseca

Autoestima é a capacidade pessoal e intransferível de se sentir mais ou menos feliz. Isso vai depender do grau de maturidade e de equilíbrio emocional.

As pessoas que confiam em si mesmas e nas suas capacidades, conscientes e inconscientes, superam, com mais facilidade, os obstáculos e frustrações da vida diária, incluindo os relacionados à sexualidade. Por isso, podemos dizer que a autoestima é o potencial de saúde mental da pessoa, já que está relacionada a essa capacidade de lidar, de viver o luto e de sair dele em situações de medo, de fracasso, de abandono e/ou de desamparo.

Para a psicóloga e sexóloga Sônia Eustáquia “o que vai determinar as reações, que são tão particulares, é a estrutura de ego de cada indivíduo e esse arcabouço é formado desde muito cedo, durante o processo de desenvolvimento infantil; além de, ao longo da vida, sofrer influências do meio social”. A autoestima de uma pessoa interfere muito nos relacionamentos humanos. Quando ela é boa, a pessoa é mais leve, mais aberta ao diálogo e menos suscetível à crítica do outro.

Dificilmente ela se ofende durante um desentendimento e um simples pedido de desculpa é capaz de resolver um conflito. A pessoa não arrasta problemas. Além disso, quem tem uma autoestima elevada também sai mais rápido do sofrimento gerado por um término de namoro.

Para Sônia Eustáquia, é em situações que nos deixam impotentes que se verifica o real equilíbrio emocional ou autoestima de uma pessoa. “Perder é sempre muito difícil. Mas quem tem boa autoestima vai concentrar os esforços em situações positivas enquanto o que tem baixa autoestima concentra as sensações só na dor e por muito tempo”, diz. Num casamento é comum que um tenha uma boa autoestima e o outro não. Inclusive, quando existem desentendimentos é geralmente o que tem melhor autoestima que busca uma solução.

Parceiros com autoestima mais elevada possuem uma dose maior de compreensão, de estímulo, de alegria e leveza. Mas, quem não tem boa autoestima pode vir a ter. Para a sexóloga, não adianta livros de autoajuda. Só mesmo as intervenções psicoterapêuticas e a maturidade da pessoa, que reconhece intimamente a formação de certos padrões de comportamento prejudiciais e anseia por mudanças, é que poderão interromper esse processo de repetição e, consequentemente, melhorar a autoestima.

“A pessoa deve manter a consciência de suas qualidades e ter a capacidade de seguir em frente, essa parece ser a receita perfeita”, afirma Sônia Eustáquia.

*Sônia Eustáquia Fonseca é Psicóloga pós-graduada em Sexualidade Humana. Especialista em Terapia Breve para diagnóstico e tratamentos de conflitos e disfunções sexuais.



As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa


O futuro da indústria 5.0 na sociedade

O conceito de Indústria 5.0 é definido como uma visão humanizada das transformações tecnológicas no setor, equilibrando as necessidades atuais e futuras dos trabalhadores e da sociedade com a otimização sustentável do consumo de energia, processamento de materiais e ciclos de vida dos produtos.

Autor: Pedro Okuhara


Em defesa do SUS: um chamado à ação coletiva

A escassez de recursos na saúde pública brasileira é um problema crônico.

Autor: Juliano Gasparetto


Impactos da proibição do fenol pela Anvisa no mercado de cosméticos e manipulação

Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tomou a decisão de proibir a venda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde e estéticos.

Autor: Claudia de Lucca Mano


A fantasia em torno da descriminalização da maconha

"As drogas pisoteiam a dignidade humana. A redução da dependência de drogas não é alcançada pela legalização do uso de drogas, como algumas pessoas têm proposto ou alguns países já implementaram. Isso é uma fantasia".

Autor: Wilson Pedroso


Ativismo judicial: o risco de um estado judicialesco

Um Estado policialesco pode ser definido como sendo um estado que utiliza da força, da vigilância e da coerção exacerbada contra a população, principalmente com seus opositores.

Autor: Bady Curi Neto


Abortada a importação do arroz

O governo desistiu de importar arroz para fazer frente à suposta escassez do produto e alta de preços decorrentes das cheias do Rio Grande do Sul, responsável por 70% do cereal consumido pelos brasileiros.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


2024, um ano de frustração anunciada

O povo brasileiro é otimista por natureza.

Autor: Samuel Hanan


Há algo de muito errado nas finanças do Governo Federal

O Brasil atingiu, segundo os jornais da semana passada, cifra superior a um trilhão de reais da dívida pública (R$ 1.000.000.000.000,00).

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O mal-estar da favelização

Ao olharmos a linha histórica das favelas no Brasil, uma série de fatores raciais, econômicos e sociais deve ser analisada.

Autor: Marcelo Barbosa