Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A bolha imobiliária brasileira estourou?

A bolha imobiliária brasileira estourou?

22/05/2015 Luiz Antônio Rodrigues

O momento é de estabilidade no mercado imobiliário brasileiro, mas acredito na melhora do segmento nos próximos meses.

Para todo período de tempestade há o momento de bonança. O que vemos hoje, em meio à crise político-econômica que o país atravessa é uma estabilização de preço e um maior estoque de unidades residenciais nas principais cidades do país. O que favorece o comprador de imóvel, que tem muitas e boas opções à disposição. Mas, na realidade a bolha não existe e nunca existiu no país! Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, especialmente em bairros da Zona Sul, em imóveis de alto luxo há ajustes de preços com leve aumento.

Uma vez que os brasileiros que estavam aplicando seu capital no exterior, principalmente no mercado imobiliário americano, tiveram uma surpresa nos últimos meses, pois, este mercado teve uma alta média de 90% de reajuste nos preços dos imóveis de 2012 para cá, devido à recuperação da economia dos EUA. Com isso, os brasileiros ficaram desmotivados a aplicar em imóveis nos EUA, pois o dólar teve um ajuste de 70% e o imóvel, como já explicado, teve aumento de 90% no mesmo período.

Enquanto isso, a busca por imóveis para locação tem a mesma continuidade, pois o déficit habitacional para a classe média e para imóveis comerciais é muito grande! E a tendência é a população aumentar nesta faixa econômica, assim como o número de imóveis comerciais, pois não foram construídos, nos últimos cinco anos, empreendimentos que atendam à classe média, muito menos com perfil comercial, uma vez que as construtoras se dedicaram a lançar em série imóveis populares ou de alto luxo.

Apesar dos juros em torno de 12% ao ano, o mercado imobiliário sempre será uma opção que não apresenta riscos ao investidor e àqueles que querem poupar com segurança qualquer valor financeiro. A maioria dos brasileiros tem perfil conservador e quando a economia não dá a credibilidade necessária à total tranquilidade, o imóvel é a opção mais segura e eficaz para investimentos pessoais e jurídicos. Com 36 anos de experiência no mercado imobiliário acredito que podemos crescer nos momentos de crise.

Tanto que, em março deste ano reinaugurei uma unidade da minha empresa. Localizada no bairro Nova Suíça, a sede é moderna, com estacionamento próprio, preparada exclusivamente para o atendimento dos clientes que buscam imóveis na região e funcionará como uma importante força de vendas para as outras unidades da empresa. Além deste investimento e atento às necessidades e demandas do mercado, nós, da LAR Imóveis, também agregamos recentemente ao nosso quadro de colaboradores profissionais especializados em imóveis industriais, corporativos, áreas e lotes.

O objetivo desta contratação é um atendimento mais personalizado aos investidores que buscam grandes perfis de imóveis. O comportamento do brasileiro mudou e muitas construtoras estão investindo em áreas para a construção de condomínios, como opção de segunda casa, e de investidores que, com a descrença na economia do país preferem investir no mercado imobiliário, que é mais seguro.

*Luiz Antônio Rodrigues é Presidente da LAR Imobiliária.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.