Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A chegada aos 50 anos – a caminho da melhor idade!

A chegada aos 50 anos – a caminho da melhor idade!

17/09/2013 Lisia Beraldo

Outro dia no Facebook eu gostei de uma frase engraçada...

“Acordei...levantei os braços...mexi os joelhos...virei o pescoço...tudo fez: creeeeec.... Conclusão: Não estou velha, estou crocante!”

Por curiosidade olhei a palavra envelhecer no dicionário e fiquei indignada com o que li: tornar-se velho, tornar-se desusado ou inútil, ultrapassado, obsoleto.

Mas eu não me sinto assim! Como eu, existem diversas pessoas que não se sentem velhas, obsoletas,ultrapassadas.

Aos quarenta já vemos os sinais que o corpo já não é mais o mesmo. Cabelo branco, rugas de expressão, flacidez e outros. Aos cinquenta esses sinais somam-se a mais alguns.

Mas a nossa mente não acompanha o corpo. Ainda mantemos em nosso subconsciente aquela vitalidade de antes. Temos como missão de matar o mito que depois dos cinquenta estamos velhos.

Hoje podemos atrasar esse relógio interno cuidando do corpo e principalmente da mente.

Para isso devemos ler muito, praticar exercícios, manter a mente ocupada, ver lugares diferentes, fazer cursos, namorar, dançar, ter curiosidade em aprender coisas diferentes e cuidar da alimentação.

Somos o resultado do que pensamos e vivemos. O poder da mente é a maior ferramenta que dispomos para materializar e alcançar sonhos. Mentalizar, visualizar, traçar planos na conquista de um futuro melhor. Acreditar e ter fé. A nossa conduta em relação à vida é que vai fazer a diferença. Se você quer uma vida com qualidade e envelhecimento saudável seja otimista. Trabalhe seu lado espiritual.

Eu, por exemplo, resolvi criar o site da Beneficio Intelectual e escrever temas que levem as pessoas a refletir sobre como podemos transformar nossos sonhos em realidade, inspirar e motivar a refazer planos e escolher um caminho com mais otimismo e vontade de viver.

Utilize o que o tempo te deu de melhor: a sabedoria. Todos vão envelhecer um dia. E para aqueles que não sabem ver a beleza das rugas, problema deles. A hora de cada um vai chegar. Para cada ano que conquistamos, novos desafios aparecem. Nosso país está precisando mudar o modo de encarar as pessoas maduras e experientes.

E quanto ao dicionário vamos reinventar: envelhecer - torna-se sábio, torna-se cheio de conhecimento, experiente.

Afinal o coração e alma não têm rugas e muito menos o nosso humor. É vivendo que se envelhece. E chegar aos sessenta será uma recompensa!



O Brasil, a logística e os “voos de galinha”

Parcerias público-privadas, com base no tripé da sustentabilidade podem proporcionar excelentes projetos para a logística no Brasil.


Eça e a famosa estatueta

Nos derradeiros anos do século transacto, tive a oportunidade de conhecer e entrevistar, D. Emília Eça de Queiroz.


Roda de histórias

Meu avô paterno, Seu Dito, era um bom contador de histórias. Contava com a mesma ênfase, fatos e ficções.


Infodemia: a pandemia de desinformação

Todos os dias em nossos smartphones, computadores e TVs, temos uma verdadeira chuva de informações, e nem sempre é possível conferir a veracidade delas.


O problema não é a Cloroquina

Estamos diante de uma doença ameaçadora, nunca antes vivida por nossa geração.


Liderança: Arte e Ciência

O que faz uma pessoa aceitar e reconhecer a liderança de outra?


Reflexões éticas em tempos de Coronavírus

Atualmente, vivemos num cenário de turbulências e preocupações com os impactos sociais e econômicos atuais que virão em decorrência da pandemia do vírus Covid-19.


O direito de ser pedra e o direito de ser vidraça em tempos de pandemia

O pior nessa história toda, desse período de pandemia da Covid-19, tem sido a guerra violenta de versões apresentadas sobre o problema.


O oxigênio da vida

Eles moravam em um dos bairros mais violentos de São Paulo. Estavam perto dos 20 anos. Eram três amigos de infância.


Um vazio de lideranças

Qual o paradeiro dos líderes? Eles possivelmente estão por perto, mas nós não os enxergamos.


O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson

A esquerda diz temer pela Democracia em razão de alguns pronunciamentos do Presidente Bolsonaro.


No tempo da pandemia

Nesta época de quarentena, assisti, pela rádio, à transmissão de cerimónia religiosa: missa.