Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A Economia do oportunismo e a toga caipira

A Economia do oportunismo e a toga caipira

07/03/2018 Valdemir Pires

Novos conceitos, como free rider e moral hazard, são os mais recentes avanços da teoria econômica.

Os mais recentes avanços da teoria econômica, além daqueles proporcionados pela impressionante potência calculadora fornecida por novas tecnologias computacionais (permitindo a construção e manejo de sofisticados modelos econométricos), têm a ver com novos conceitos como free rider, moral hazard, rent seeking, custo de agência, “tragédia dos comuns” e assemelhados.

Conceitos que trazem à tona o lado negro do mercado e do comportamento econômico racional, há pouco incensado como se o bom-mocismo fosse o ponto de partida e de chegada do egoísmo maximizador de renda, de benefícios, de bem-estar individual.

Free rider (ou o carona) flagra o oportunismo daqueles, por exemplo, que fogem de pagar tributos quando percebem que, no grande número, os que pagam não notarão a ausência de sua contribuição ao bem público, por ele igualmente consumido.

Na “tragédia dos comuns” o estrago produzido pelo egoísta é maior: danifica ou esgota algo que é um bem de todos, com atitudes e decisões exclusivamente pessoais, maximizadoras de sua posição no curto prazo.

A ideia de risco moral (moral hazard) revela que o tempo todo há gente procurando levar vantagem sobre os demais, querendo ganhar sem contribuir; por exemplo, tentando passar por saudável para ser incluído em seguro saúde, quando já está com o pé na cova – eleva os custos do grupo, pagando menos do que o grupo com ele dispende. Com isso os prêmios de seguro se elevam, preventivamente.

Rent seeking (algo como caça à renda) vai na mesma direção: o agente econômico procura obter renda sem nada agregar de valor, apenas manipulando elementos do ambiente econômico ou variáveis institucionais.

Os comportamentos oportunistas (ou egoístas desferidos contra os outros), ao contrário do egoísmo inocente do padeiro que, querendo mais carne, fornece mais pão ao açougueiro, em troca (no exemplo dado por Adam Smith), são destrutivos, obrigam que barreiras sejam erguidas contra eles, explicitamente, gerando os custos de agência.

Hoje em dia, os regulamentos, organizações e instituições existentes com esta finalidade são inúmeros. E, pior, correm sempre o risco de captura: por exemplo, uma agência reguladora dos serviços de telefonia cujos dirigentes acabam favorecendo os interesses das empresas em detrimento dos usuários.

A literatura sobre esses temas e problemas gera hoje um mar de páginas e um oceano de links e arquivos virtuais. Não obstante, tem gente, por aí, achando que um caipira de toga qualquer pode ser capaz de acabar com a corrupção sistêmica de um país inteiro. E, olha, gente que já estudou, leu, debateu; que não é uma mula qualquer.

* Valdemir Pires é professor da Unesp de Araraquara.



Conhecimento gera crescimento

O currículo costuma ser a principal referência de uma empresa para entender se um candidato atende ou não aos requisitos que ela necessita para ocupar uma determinada vaga.


Ser mãe é padecer… de cansaço?

Há um ditado que afirma que “ser mãe é padecer no paraíso”, remetendo às contraditórias emoções que seriam desencadeadas pelas vivências cotidianas da maternidade.

Ser mãe é padecer… de cansaço?

Eleições e os bélicos conflitos entre os Poderes

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, e, agora, as Forças Armadas estão aumentando a ofensiva contra a transparência e a segurança do processo eleitoral no Brasil.


Os amores de Salazar

O conceito que se tem de Salazar, é de político solitário, déspota e por vezes impiedoso. Mas seria o estadista, realmente, assim?


A importância da diversificação de investimentos em diferentes segmentos

Mesmo com os desafios impostos por dois anos de pandemia, o volume de investimentos para iniciativas brasileiras em 2021 foi expressivo.


Bullying: da vítima ao espectador

O bullying é um tipo particular de violência, caracterizado por agressões sistemáticas, repetitivas e intencionais, contra um ou mais indivíduos que se encontram em desigualdade de poder, gerando sofrimento para as vítimas, agressores e comunidade.


Desafios e oportunidades para o saneamento

Considerado um dos menos atrativos na infraestrutura, o setor de saneamento passa por uma profunda mudança de paradigma com a aprovação da Lei 14.026/2020.

Desafios e oportunidades para o saneamento

Os desafios de lidar com maternidade e realização profissional

A experiência da maternidade é o momento mais importante na vida da mulher, no entanto um dos mais preocupantes também.


Como a inteligência de dados auxilia o Open Finance

Imagine que a sua televisão está com defeito. Você busca um modelo um pouco melhor na internet (afinal, você merece) e decide comprá-la em algumas suaves prestações.


Evolução da telessaúde

Maior segurança e respeito à autonomia de profissionais e pacientes.


Explore seu universo de possibilidades

Você sabia que o ser humano enfrenta em média 23 adversidades por dia?


Um doidivanas incorrigível

Todos reconhecem Camilo Castelo Branco, como escritor talentoso. Admiram-lhe a riqueza do vocabulário e a vernaculidade da prosa.