Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A fila (des)andou

A fila (des)andou

31/08/2017 Adilson Roberto Gonçalves

Insisto na opinião, na comprovação e na comparação da notícia.

Os instrumentos que se usam para escolher ou preterir uma informação, notícia ou opinião nem sempre são explicitados aos leitores ou mesmo aos autores. A decisão pode ser limitada pelo espaço disponível, ou determinada pela oportunidade e adequação do tema tratado.

Dizer “talvez” parece ser mais aceitável que um “não” direto, o que não é verdade, pois cria uma falsa expectativa de publicação. O editor já havia decidido não aproveitar aquele texto. Informa, apenas, que está na fila.

Nos meios de comunicação, a diversidade noticiosa é muito pequena, uma vez que as fontes são sempre as mesmas e é ali que se decide o que vai e o que não vai ser divulgado ao público. Abrir possibilidades para a opinião diversa diminui um pouco essa homogeneidade, mas continuam sendo escolhas de alguns.

O autor busca a materialização de sua obra por meio da publicação, dispensando – em um primeiro momento – a remuneração pelo feito. Redações enxutas, múltiplos meios de divulgação de fatos e opiniões e a interatividade entre os leitores fizeram com que as estratégias da comunicação mudassem, não mais reproduzindo aquelas dos tempos da exclusividade dos meios impressos.

A leitura linear foi substituída pelo hipertexto e as limitações entre o que é notícia, o que é opinião e o que é propaganda ficaram muito menos claras. O bom jornalismo ainda é praticado – raro, por certo, uma vez que todos se sentem aptos a espalhar o que recebem em seus celulares e redes sociais. Opinião balizada é outro rótulo que não expressa necessariamente um profundo conteúdo, pois palpite sempre pudemos dar.

A diferença é que agora não fica limitado à mesa de bar ou ao convívio de familiares ou amigos. Achismos, boatos e notícias falsas se espalham em crescimento microbiano, de proporções exponenciais e sem controle. Insisto na opinião, na comprovação e na comparação da notícia. É mais trabalhoso, sem dúvida, e um contraponto à frenética inserção que se supõe ser a marca da sociedade moderna. Mas satisfaz-me, ainda que não me avisem que a fila andou.

* Adilson Roberto Gonçalves é pesquisador na Unesp de Rio Claro.



A angústia da inovação

Inovação é a bola da vez.


A importância da Cultura Organizacional para a Transformação Digital

A Transformação Digital é uma realidade. Mais do que isso, a tecnologia já é um fator imprescindível para os negócios, acelerando e alterando completamente as atividades de empresas de todos os segmentos.


Os limites da ciência e o renascer da filosofia

A palavra “filosofia” vem da junção de duas palavras gregas: philo (amizade, amor) e sofhia (saber, sabedoria). Logo, filosofia é o amor ao saber.


Inovação alinhada à computação em nuvem e segurança da informação na economia de Minas Gerais

O Estado de Minas Gerais possui a terceira maior participação na economia brasileira, atrás apenas de Rio de Janeiro e São Paulo.


Por que a Lei de proteção de dados é bem-vinda nos dias atuais?

Nestes últimos dias você provavelmente ouviu falar sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), a legislação brasileira que regula o tratamento de dados pessoais no Brasil.


Pandemia deve intensificar transações de M&A no ensino superior privado no Brasil

O uso recorrente da tecnologia das comunicações on-line deve acelerar o processo de seleção natural corporativa na educação.


Que saudades de gritar “gol” no estádio

A maior lacuna que a ausência de público deixa no espetáculo futebolístico é a sonora.

Que saudades de gritar “gol” no estádio

Soluções sustentáveis para impulsionar a economia

Em grego, oikos (eco) significa casa e nomos (nomia) significa lei/ordem.


Aos mestres, com carinho, nossa gratidão!

“Vivemos um tempo atípico” e “Precisamos nos reinventar” são algumas das frases mais pronunciadas nesses últimos meses.


Como a crise ajudou na popularização do Bitcoin?

Com a notícia da pandemia do coronavírus todo o mercado de investimentos tradicional e digital foi impactado com a notícia.


O receio de opinar

Antes de me aposentar, prestei serviço em empresa, que possuía e possui, milhares de trabalhadores.


Uso consciente do crédito pode ajudar a girar o motor da economia

Muita gente torce o nariz quando o assunto é tomar empréstimo, pois quem precisa de crédito pode acabar não conseguindo honrar essa dívida, tornando esse saldo devedor uma bola de neve.