Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A importância da biomedicina durante e após a pandemia

A importância da biomedicina durante e após a pandemia

03/09/2020 Nathaly T.J. da Silva Dziadek e Benisio F. da Silva Filho

Com a chegada do SARS-CoV-2 ao Brasil iniciou-se o trabalho de monitoramento genético para averiguar se o vírus apresentava mutações, o que poderia lhe conferir maior patogenicidade.

Quem sequenciou o coronavírus no país foi uma biomédica, a Drª Jaqueline Goes, profissional muito experiente que já havia atuado no trabalho de combate a outros vírus. Mas a Biomedicina não é só isso.

Diferente de outros profissionais, o biomédico profissional é essencial para os serviços de saúde, atua dentro de diversos tipos de laboratórios, em equipes cirúrgicas como perfusionista, na gestão em serviços de saúde, na imagenologia e no controle de qualidade.

São muitas as áreas de atuação, porém vamos dar ênfase na atuação biomédica nestes dias de pandemia.

Fomo todos pegos de surpresa, vivemos uma guerra com o invisível, um vírus com alta transmissibilidade e disseminação exponencial, espalhado por todo o planeta.

Trazendo à tona todas as deficiências e fragilidades dos sistemas de saúde e por se tratar de um vírus novo, não se tem informações sobre o real processo de disseminação, características bioquímicas no meio ambiente e formas eficazes de prevenção.

Onde entra o biomédico nessa história? Qual sua importância e contribuição neste cenário?

Somos laboratoristas por excelência, por isso, as testagens sejam elas moleculares (por RT-PCR) ou sorológicas (confirmando a presença de anticorpos) realizadas por biomédicos, tonaram-se essenciais no monitoramento da evolução da disseminação viral e para real confirmação dos casos.

Além disso, outros exames devem ser realizados, analisados e laudados por biomédicos, pois neste momento não existe apenas exames para confirmação de COVID-19.

Nossa formação permite que atuemos nas linhas de pesquisa em busca de vacinas e tratamentos eficazes e lá estamos, além de produzirmos por diferentes metodologia e equipamentos, imagens para o diagnóstico, que em muitos casos tornam-se importantes para auxiliar nas decisões da equipe médica qual estratégia tomar para salvar vidas.

Não somos profissionais médicos, não tratamos o paciente, nossa função é usar o conhecimento para garantir que todas as informações fisiológicas, oriundas de técnicas laboratoriais, das mais simples às mais complexas, sob nossa responsabilidade técnica, contribuam para que vidas sejam salvas.

Temos biomédicos em contato direto ou indireto com a COVID-19, gestores de qualidade, responsáveis técnicos envolvidos com biossegurança afim de garantir condições seguras de trabalho aos seus colegas ou subordinados mesmo com o risco biológico tão eminente.

Biomédicos por trás dos bastidores atuantes em saúde pública, vigilância sanitária afim de auxiliar programas governamentais de saneamento para erradicação de doenças, atuantes agora na tentativa de erradicação do causador desta pandemia.

Essa situação terá fim e após esse período conturbado, a Biomedicina será fundamental neste chamado, novo normal, pois a saúde agora deve ser encarada como área estratégica de defesa de um país, e sabemos que estamos expostos a outros patógenos com potencial pandêmico.

A vida precisa continuar, logo, áreas que atuam em contato direto com os pacientes trabalhando com autoestima e bem-estar das pessoas, visto que estamos todos com o psicológico abalado por toda esta instabilidade, como Acupuntura e Biomedicina Estética vão ganhar destaque.

Portanto, o trabalho do biomédico durante e com certeza, após a pandemia, será fundamental para manutenção do bem-estar do brasileiro.

Estamos no Brasil desde a década de 60 e continuaremos contribuindo para o crescimento da qualidade dos serviços de saúde.

* Nathaly Tiare Jimenez da Silva Dziadek é biomédica, habilitada em Análises clínicas, especialista em Biomedicina Estética, tutora do Curso de Biomedicina do Centro Universitário Internacional Uninter.

* Benisio Ferreira da Silva Filho é biomédico, habilitado em Análises clínicas e Genética, doutor em Biotecnologia, coordenador do Curso de Biomedicina do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Página 1 Comunicação



Cada um no seu quadrado e todos produzindo…

Muito oportunas as observações do Prof. Ary Oswaldo Mattos Filho, de que em vez dos simples projetos que visam reforçar o caixa da União – como a alteração no Imposto de Renda ora em tramitação pelo Congresso – o país carece de uma verdadeira reforma tributária onde fiquem bem definidos os direitos e obrigações da União, Estados e Municípios.


Você já respirou hoje?

Diagnóstico e tratamento corretos salvam vidas na fibrose cística.


Jogos para enfrentar a crise

O mundo do trabalho nunca mais será o mesmo.


O trabalho de alta performance no Hipismo

O que os atletas precisam para o desempenho perfeito em uma competição? Além do treinamento e esforços diários, eles precisam estar em perfeita sintonia com o corpo e a mente.


Bons médicos vêm do berço

Faz décadas assistimos a abertura desenfreada de novas escolas médicas, sem condição de oferecer formação minimamente digna e honesta.


Wellness tech e a importância da saúde mental dentro das organizações

A pandemia de covid-19 impactou a vida de todos nós, pessoal e profissionalmente.


Manifestações do TDAH

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade em adultos e crianças.


Cuidar da saúde mental do colaborador é fator de destaque e lucratividade para empresa

O Setembro Amarelo é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio, mas que coloca em evidência toda a temática da saúde mental.


Setembro Amarelo: a diferença entre ouvir e escutar

Acender um alerta na sociedade para salvar vidas quando se fala em prevenção ao suicídio é tão complexo quanto o comportamento de uma pessoa com a intenção de tirar a própria vida.


Desafios para a Retomada Econômica

A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre mostrou uma leve retração da atividade produtiva de 0,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior.


Setembro Amarelo: é preciso praticar o amor ao próximo

Um domingo ensolarado é um dia perfeito para exercitar a felicidade, passear no parque, levar as crianças na piscina ou encontrar os amigos com seus sorrisos largos e escancarados.


Setembro Amarelo: é preciso ter ferramentas para lidar com o mundo

No semáforo, a cor amarela é frequentemente associada com desaceleração. O motorista precisa reduzir a velocidade ou até mesmo parar.