Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A importância da propriedade privada

A importância da propriedade privada

26/10/2014 Julio dos Santos

Todo aquele que se propõem a estudar a Escola Austríaca de Economia depara-se, inicialmente, com a definição das premissas desta escola, que é a defesa permanente da liberdade, paz e propriedade.

A defesa destas três condições é o critério central para avaliação lógica de qualquer teoria econômica desta escola. Nas mais diversas áreas do conhecimento humano, nas mais variadas filosofias e crenças, subentende-se que a condição de bem-estar é uma situação onde o indivíduo se encontra num ambiente onde há, entre outras características, ao menos liberdade e paz. Porém, aqueles que estudam a Escola Austríaca determinam a propriedade no mesmo patamar destas outras duas. Por que colocá-la neste patamar tão alto?

Como fundamento define-se liberdade como livre arbítrio de tomada de decisão do indivíduo sobre a sua própria vida. Para isto, a responsabilidade sobre os resultados de suas decisões deve ser do próprio indivíduo, sejam estes resultados positivos ou negativos. Sendo assim, durante o processo de busca de uma melhor situação de bem-estar, este terá como meta encontrar ou contribuir na construção de um ambiente de paz. Se o interesse desse indivíduo for fazer este bem-estar durar por um longo período, ele como consequência, se esforçará para construir ou manter um ambiente de paz no maior tempo possível, preocupando-se com o longo prazo desta condição.

Sabe-se que o indivíduo é o julgador em última instância das decisões de sua própria vida. Ele é o único responsável por suas decisões, além disso, é também o mais interessado por sua situação de bem-estar e para que ela seja a mais duradoura possível. Assim, qual será a alternativa para que este indivíduo consiga transportar através do tempo sua situação de bem-estar sem que ele invada a condição de liberdade e paz de outros indivíduos? A resposta é simples: a propriedade.

A propriedade caracteriza-se como o instrumento capaz de fazer com que indivíduos não ultrapassem os limites de seus semelhantes durante o processo de busca de sua prosperidade. A propriedade torna-se uma ferramenta de expansão e manutenção da condição de paz e liberdade entre os homens. Ela é a única forma capaz de fazer com que o bem-estar seja conduzido através do tempo, tanto pela forma mais simples, como por exemplo de um indivíduo para o seu próprio futuro, até a mais complexa, de um indivíduo para uma geração futura.

A propriedade possibilita que o futuro possa ser cultivado no presente. Possibilita, também que a dúvida sobre este futuro, sua única certeza, possa ser prevenida hoje, fazendo com que a busca por um ambiente de paz e liberdade torne-se uma constância para aqueles que buscam o seu próprio bem-estar no longo prazo. Sendo assim, a propriedade encontra-se no mesmo patamar que a liberdade e a paz, não porque possua necessariamente o mesmo valor para a vida humana, mas sim porque sem ela não teríamos nenhuma das três.

* Julio dos Santos é Graduado em Administração de Empresas pela PUCRS, Pós-graduado em Economia Empresarial pela UFRGS. Experiência de sete anos na área de finanças corporativas. Estudante autônomo e defensor da Escola Austríaca de Economia. Especialista do Instituto Liberal.



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa