Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A Oportunidade e o Futuro

A Oportunidade e o Futuro

05/05/2016 Leandro Henrique de Souza

Se tivermos uma boa percepção das oportunidades e riscos que enfrentamos poderemos criar um futuro brilhante.

Conhecido como Touro de Wall Street, a escultura Charging Bull, em Nova Iorque, representa o otimismo e a prosperidade de um dos maiores centros financeiros dos Estados Unidos. Diz a lenda que passar a mão nos chifres traz sorte, mas a superstição parece estar, aos poucos, falhando.

Em abril de 2015, Jamie Dimon, o chefão do gigante financeiro JPMorgan Chase, escreveu, em sua tradicional carta aos acionistas, na seção “things to think and worry about” (coisas para pensar e se preocupar), que “o Vale do Silício está chegando!”. O anúncio, feito em tom de alarme, significa que o poder está mudando rapidamente de mãos. O receio do que essas mudanças podem acarretar é enorme até em grandes organizações.

Por isso, quando se trata de economia, algumas perguntas sobre o futuro são difíceis de responder: afinal, é preferível empreender ou aumentar a empregabilidade? Quais serão as competências necessárias nos próximos anos? Como será o mercado de trabalho? É difícil encontrar uma resposta certa quando o futuro é incerto. Já dizia o futurólogo Peter Ellyard, em seu livro “Destination 2030”: “nós não podemos criar um futuro que inicialmente não imaginamos”.

No incrível livro chamado “O fim do poder”, o escritor e colunista venezuelano Moisés Naím diz que vivemos três revoluções. A primeira é a “Revolução do Mais”. Nunca houve tantas pessoas vivendo em cidades, tantos jovens, tantos anos de expectativa de vida. A sociedade vive em constante fartura de opções, pessoas e possibilidades.

A cada dia, mais pessoas cruzam fronteiras – reais e digitais – e, com isso, absolutamente tudo se move. Não apenas pessoas, mas dinheiro, costumes, conhecimentos - e até mesmo crenças. É o que Naím chama de “Revolução da Mobilidade”. E a soma das duas primeiras revoluções conduz à “Revolução da Mentalidade”. Nela, as antigas estruturas de poder já não dão mais as cartas. Ou seja, todos os aspectos da experiência humana foram impactados pelas inovações das últimas duas décadas.

Parece utopia falarmos disso tudo ao mesmo tempo em que acompanhamos o triste noticiário. A crise política e econômica que vivemos é aguda; uma verdadeira névoa que esconde tudo à frente. O que faz as pessoas se sentirem perdidas não são os problemas atuais, mas a falta de esperança. Mas se tivermos uma boa percepção das oportunidades e riscos que enfrentamos em nossas vidas e carreiras, poderemos criar um futuro brilhante.

A crise acabará. E, no mundo líquido onde vivemos, olhar para frente e nos preparar para um cenário de grandes rupturas e mudanças, fará a diferença. É tempo de imprevisibilidade, mas nunca foi tão importante pensar sobre o futuro e se preparar para ele.

* Leandro Henrique de Souza é empreendedor e educador. É coordenador-geral da Pós-Graduação da Universidade Positivo.



Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.


A despolitização do Supremo Tribunal Federal

Não pode funcionar bem e com total isenção uma corte ou tribunal de indicação e nomeação política.