Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A “pandemia” silenciosa da miopia

A “pandemia” silenciosa da miopia

25/06/2021 Ana Drumond, Hudson Abreu e Luciene Chaves

Observamos nos consultórios - e estudos científicos comprovam - um aumento vertiginoso na incidência e progressão da miopia, em todo o mundo, nos anos de 2020 e 2021, quando comparado com os anos anteriores. Qual seria sua causa?

A miopia é uma anomalia refrativa dos olhos, que proporciona uma pior visão para longe, cuja principal causa se deve ao aumento do comprimento axial do globo ocular, focando a imagem à frente da retina, favorecendo assim, uma melhor visão para perto.

Sabemos hoje que é o problema visual mais comum em todo o mundo e, na mesma direção, configura-se como um crescente problema de saúde pública mundial, atingindo 60% da população na Ásia, 40% na Europa, 42% na América do Norte e 8,4% na América Latina.

Entre adolescentes e adultos jovens da Coreia, Taiwan e China, a prevalência da miopia chega a 84% - 97% dessa população. O seu aparecimento ocorre cada vez mais precocemente e com acelerada progressão ao longo dos anos.

Estudos constatam que, em 2000, o mundo apresentava em torno de 1.406 bilhão de míopes (28% da população) e que a estimativa para 2050 é de 4. 758 bilhões de míopes e de 1 bilhão de alta miopia (9,8% da população mundial), definida como um grau maior ou igual a 5,00 a 6,00 dioptrias esféricas, a depender da referência, ou um diâmetro axial maior que 26mm.

Muito além do uso dos óculos, a miopia pode acarretar complicações oculares proporcionalmente relacionadas ao seu grau de severidade entre elas o glaucoma e alterações da retina, como a degeneração macular e o descolamento. Estas alterações podem ser progressivas, irreversíveis e afetar indivíduos em sua idade mais produtiva.

O desenvolvimento da doença está associado a fatores genéticos, ambientais, socioeconômicos e culturais. No que concerne à genética, sabe-se que aproximadamente 200 genes podem estar ligados ao desenvolvimento da doença.

Entre os fatores ambientais, a urbanização se mostra como um fator de risco para o desenvolvimento da miopia, provavelmente devido ao fato de populações rurais realizarem mais atividades ao ar livre em comparação às urbanas.

Um outro fator ambiental suspeito é a distância em que as crianças desenvolvem suas atividades e o tamanho das imagens a que as crianças estão expostas, que podem estimular regiões periféricas da retina e sinalizar uma necessidade de alongamento do globo ocular como mecanismo compensatório. Os fatores socioeconômicos e culturais relacionam com o aumento da tecnologia e atividades para perto.

O confinamento causado pela pandemia de Covid-19 levou à falta de atividades ao ar livre e ao consequente aumento das atividades de perto com exposição a telas pelas aulas e distrações online (chegando a 16 horas por dia em alguns casos). Essa mudança de hábitos é um fator que poderia explicar o comportamento da miopia em todo o globo.

Existem dois caminhos para o controle da miopia: impedir o seu aparecimento ou frear sua evolução, no caso em que foi diagnosticada e se encontra em progressão.

Vários estudos já demonstraram que o aumento das atividades ao ar livre e a diminuição do tempo de trabalho que exige a visão para perto diminuem a incidência da miopia e a sua progressão.

Um estudo australiano com 863 crianças, com idade em torno de 6 anos, evidenciou que as crianças míopes passavam 16 horas/semana em atividades ao ar livre, ao passo que as crianças não míopes, 21 horas/semana. Trabalho semelhante realizado na China, em 2013, com 681 crianças, gerou as mesmas conclusões.

Diante disso, o melhor é limitar o uso de telas (principalmente de perto) e praticar atividades ao ar livre, mantendo as medidas de segurança.

Torna-se essencial, também, diagnosticar esses quadros em crianças e adultos jovens, de forma a tratar e a implementar estratégias que dificultem sua progressão.

O uso terapêutico da Atropina (colírio) para retardar a progressão da miopia em crianças e adolescentes já é reconhecido cientificamente e deve ser proposto em casos selecionados.

A Sociedade Brasileira de Pediatria e oftalmologia pediátrica recomendam duas horas/dia de atividades ao ar livre, à luz do dia e controle de atividades para perto.

As lentes de contato multifocais MiSight já estão chegando ao Brasil, como proposta para tentar inibir a evolução da miopia.

A avaliação e o acompanhamento oftalmológico fazem-se necessários para a devida correção da miopia por meio de óculos, lentes de contato ou tratamento farmacológico.

* Ana Drumond, Hudson Abreu e Luciene Chaves são Médicos Oftalmologistas do Corpo Clínico do Biocor Instituto.

Para mais informações sobre miopia clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Que ingratidão…

Durante o tempo que fui redactor de jornal local, realizei numerosas entrevistas a figuras públicas: industriais, grandes proprietários, políticos, artistas…


Empresa Cooperativa x Empresa Capitalista

A economia solidária movimenta 12 bilhões e a empresa cooperativa gera emprego e riqueza para o país.


O fundo de reserva nos condomínios: como funciona e a forma correta de usar

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo.


E se as pedras falassem?

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!


Smart streets: é possível viver a cidade de forma mais inteligente em cada esquina

De acordo com previsões da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 70% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.


Quem se lembra dos velhos?

Meu pai, quando se aposentou, os amigos disseram: - " Entrastes, hoje, no grupo da fome…"


Greve dos caminhoneiros: os direitos nem sempre são iguais

No decorrer da sua história como república, o Brasil foi marcado por diversas manifestações a favor da democracia, que buscavam uma realidade mais justa e igualitária.


Como chegou o café ao Brasil

Antes de Cabral desembarcar em Porto Seguro – sabem quem é o décimo sexto neto do navegador?


Fake news, deepfakes e a organização que aprende

Em tempos onde a discussão sobre as fake news chega ao Congresso, é mais que propício reforçar o quanto a informação é fundamental para a sustentabilidade de qualquer empresa.


Superando a dor da perda de quem você ama

A morte é um tema que envolve mistérios, e a vivência do processo de luto é dolorosa. Ela quebra vínculos, deixando vazio, solidão e sentimento de perda.


A onda do tsunami da censura

A onda do tsunami da censura prévia, da vedação, da livre manifestação, contrária à exposição de ideias, imagens, pensamentos, parece agigantar em nosso país. Diz a sabedoria popular que “onde passa um boi passa uma boiada”.


O desserviço do senador ao STF

Como pode um único homem, que nem é chefe de poder, travar indefinidamente a execução de obrigações constitucionais e, com isso, impor dificuldades ao funcionamento de um dos poderes da República?