Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A Páscoa do Senhor Ressuscitado

A Páscoa do Senhor Ressuscitado

26/03/2018 Padre Wagner Ferreira da Silva

A lógica da Páscoa de Cristo é a lógica do amor, de um amor voluntário, amor que se entrega.

Depois de cinco semanas (Quaresma) de intenso convite da Igreja à conversão, à mudança de mentalidade, o povo de Deus é conduzido a celebrar o mistério pascal a partir do Domingo de Ramos da Paixão do Senhor, início da Semana Santa.

Por sua vez, a Semana Santa nos encaminha para o tríduo pascal, e, finalmente, a noite santa da Vigília Pascal, na qual rompe-se o silêncio da madrugada com o cântico do Aleluia, pois Cristo ressurgiu dentre os mortos.

Na manhã do domingo de Páscoa, assumiremos com mais entusiasmo o dom de uma vida nova, vida de amor e paz. A parábola sobre o grão de trigo caído por terra, utilizada por Jesus para anunciar sua obra redentora, nos transmite a lógica da Páscoa: “Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto!” (João 12,24).

A morte de Jesus na cruz não pode ser compreendida simplesmente como um assassinato. Na realidade, diz o próprio Jesus, “ninguém me tira a vida, mas eu a dou por própria vontade” (João 10,18). A lógica da Páscoa de Cristo é a lógica do amor, de um amor voluntário, amor que se entrega, que se faz oferta, que morre para produzir frutos de vida nova: solidariedade, compaixão, justiça e paz.

O papa emérito Bento XVI, em sua homilia na vigília pascal de 2012, nos deu uma compreensão preciosa a respeito da graça que nos foi concedida pela ressurreição de Jesus: “Na Páscoa, ao amanhecer do primeiro dia da semana, Deus disse novamente: “Faça-se a luz!”. Antes (da luz) vieram a noite do Monte das Oliveiras, o eclipse solar da paixão e morte de Jesus, a noite do sepulcro. Mas, agora, é de novo o primeiro dia; a criação recomeça inteiramente nova.“Faça-se a luz!”: disse Deus. “E a luz foi feita”. Jesus ressuscita do sepulcro. A vida é mais forte que a morte. O bem é mais forte que o mal. O amor é mais forte que o ódio. A verdade é mais forte que a mentira. A escuridão dos dias anteriores dissipou-se no momento em que Jesus ressuscita do sepulcro e Se torna, Ele mesmo, pura luz de Deus. Isto, porém, não se refere somente a Ele, nem se refere apenas à escuridão daqueles dias. Com a ressurreição de Jesus, a própria luz é novamente criada. Ele atrai-nos a todos, levando-nos atrás de Si para a nova vida da ressurreição e vence toda a forma de escuridão. Ele é o novo dia de Deus, que vale para todos nós”.

Somente o dom da fé pode favorecer o nosso encontro com Cristo Ressuscitado, a ponto de nos tornar criaturas novas, pessoas que vivenciam o evangelho da alegria, da luz, da misericórdia e da justiça. Papa Francisco faz um alerta na exortação apostólica Evangelii Gaudium (A alegria do Evangelho, número 6): “há cristãos que parecem ter escolhido viver uma Quaresma sem a Páscoa”.

O Santo Padre reconhece que “a alegria não se vive da mesma maneira em todas as etapas e circunstâncias da vida, por vezes muito duras”. Somente a graça do encontro de fé com Cristo vivo nos oferece as condições para viver a alegria do Evangelho mesmo em situações onde tudo concorreria para a tristeza, a desolação e o desespero.

O chamado à conversão do tempo quaresmal não somente quis ser apenas um apelo para cada cristão, mas também à inteira sociedade brasileira e, por isso, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) protagonizou uma Campanha da Fraternidade com o tema: “Fraternidade e superação da violência”.

Que os discípulos do Ressuscitado sejam corajosos em testemunhar o evangelho da paz, de modo a contribuir com a superação de toda forma de violência e promover uma vida social onde se proclame: Ele está no meio de nós!

* Padre Wagner Ferreira da Silva é doutor em Teologia Moral e membro da Comunidade Canção Nova.

Fonte: Imprensa Canção Nova



A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.


O legado da possibilidade

Quando podemos dizer que uma coisa deu certo? O que é, afinal, um sucesso?


O que diabos está acontecendo?

A crise está a todo vapor e acelerando tendências que levariam décadas para se desenrolar.


STF e o inquérito do fim do mundo

Assim que o presidente da Suprema Corte determinou a abertura do inquérito criminal para apurar ameaças, fake news contra aquele sodalício, nomeando um dos ministros da alta corte para instaurá-lo, de ofício, com base no artigo 43 do Regimento Interno, não vi nenhuma ilegalidade.


As décadas de 20

A mais agitada década de vinte de todas foi a do século XX.


Nós acreditamos!

A história ensina lições. Muitas lições.


A saúde do profissional de educação em tempos de pandemia

Muitos profissionais tiveram que se adaptar por causa da pandemia.



“Quem viva?! …”

Contava meu pai, com elevada graça, que tivemos antepassado, muito desenrascado, que sempre encontrava resposta pronta, na ponta da língua.


Super-mãe. Eu?

Lembro-me de um episódio que aconteceu há alguns anos atrás e que fez com que eu refletisse seriamente sobre meu comportamento de mãe.