Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A Produção Agropecuária Brasileira e a Preservação Ambiental

A Produção Agropecuária Brasileira e a Preservação Ambiental

03/12/2012 Antônio Carlos Coutinho

É possível a agropecuária brasileira produzir o suficiente tanto para o consumo interno como para exportação e ainda preservar o meio ambiente.

A Revista Dinheiro Rural publicou na sua Edição de novembro de 2012, na Coluna Porteira Aberta, matéria intitulada “O Gigante Rebanho Brasileiro” de autoria de Darlene Santiago em que apresenta dados dos rebanhos comerciais do País referentes a 2011 divulgados pelo IBGE em outubro desse ano no qual o Brasil possui em torno de 1.586.874.500 animais distribuídos nas seguintes espécies ou categorias: Bovinos (corte e leite) – 212,8 milhões; Búfalos – 1,3 milhão; Equídeos – 5,5 milhões; Jumentos, Jegues e Asnos – 974,5 mil; Ovinos – 17,6 milhões; Caprinos – 9,4 milhões; Suínos – 39,3 milhões e Aves – 1,3 bilhão. Existem ainda os animais silvestres (aves, mamíferos e répteis), os animais em cativeiro e os animais domésticos como cães e gatos, que “só Deus sabe quantos são”!

No Censo realizado pelo IBGE em 2010 a população brasileira era de 190.755.799, distribuída nos 5.565 municípios.

A extensão territorial do Brasil é de 8.514.215,3 km², ou seja, na medida oficial para se medir áreas de propriedades rurais, correspondem a 8.514.215.300 hectares, pois cada km² equivale a 100 hectares, que corresponde a 100 campos de futebol com medidas oficial.

Segundo especialistas o Brasil possui 90 milhões de hectares agricultáveis e a pecuária bovina ocupa mais 199 milhões de hectares, ou seja, em torno de 70% de toda área utilizável para fins produtivos pelo setor primário da nossa economia se destina a pecuária bovina! Desses 90 milhões de hectares em torno de 65,3 milhões são cultivados, sendo que 50 milhões com grãos e o restante 15,3 milhões com outras culturas. As lavouras de soja, milho, arroz, feijão, cana de açúcar, algodão e eucalipto ocupam 90% de toda a área agricultada no País!

Segundo levantamento do IBGE a safra de grãos 2011/2012 foi de 161,96 milhões de toneladas para uma área cultivada estimada de 49,9 milhões de hectares, correspondendo a uma produtividade média estimada de 3.246 kg por hectare.

Em 18 de outubro de 2012 foi publicado no Diário Oficial da União o novo texto do Código Florestal Brasileiro, depois muitas “idas e vindas”! Mesmo já publicado existem ainda pontos polêmicos relacionados às Áreas de Preservação Permanente (APPs) como: proteção de nascentes, proteção das margens dos cursos d’água (mata ciliar), proteção de encostas e topos de elevações e por último, recomposição das matas ciliares por espécies frutíferas.

A meu ver esses pontos polêmicos são passíveis de serem resolvidos com argumentos técnicos e o exercício de raciocínio a seguir: Seriam necessárias para apascentar as 153.830.380 Unidades Animal (UA) existentes em torno de 102.553.580 a 153.830.380 hectares de pastagens e não os 199 milhões estimados hoje, simplesmente com a melhoria e/ou recuperação das pastagens degradadas;

Necessitaríamos para produzir pelo menos 191 milhões de toneladas de grãos de uma área de 59 milhões de hectares, com base no “Conceito do falecido Ney Bittencourt Araújo de que um País desenvolvido tem que produzir uma tonelada de grãos por habitante”! Aumentaríamos a produção de grãos em torno de 18% com um incremento de área de também 18%, isso é se mantivermos a mesma produtividade média atual, pois caso ela aumente a redução de área ocorrerá com certeza!

Portanto, é possível a agropecuária brasileira produzir o suficiente tanto para o consumo interno como para exportação e ainda preservar o meio ambiente, como o Novo Código Florestal Brasileiro preconiza, pois ainda sobrará área, sem necessidade de abrir novas fronteiras agrícolas!

* Antônio Carlos Coutinho é Engenheiro Agrônomo 



Gestão pública é o caminho contra a corrupção

A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974.


Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.