Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A professora que silenciou o Legislativo potiguar

A professora que silenciou o Legislativo potiguar

26/05/2011 Julio César Cardoso

A manifestação corajosa da professora Armanda Gurgel, que silenciou os políticos presentes à audiência pública, de 10/05/2011, no Legislativo potiguar, representa o quadro mais indigno de como a educação e o professor são tratados com menoscabo no Brasil.

Os senhores políticos - deputados, senadores, governadores, presidentes da República e secretários de educação - deveriam se envergonhar com os problemas educacionais brasileiros. A desfaçatez das políticas salariais brasileiras com o magistério público é injustificável diante de uma categoria de fundamentação importância no fortalecimento da Nação. A que ministra educação e cultura à sociedade.

Que país paradoxal este onde deputados e senadores federais ganham R$ 26.700 reais e mais penduricalhos remuneratórios, sem esquecer também os salários dos prefeitos, governadores, deputados estaduais, vereadores e outros subalternos da administração pública, enquanto um professor da rede pública no RN ganha salário básico de R$930,00, sem desconhecer que há Estados que pagam até menos. Isso é escárnio e pouca-vergonha de nossas autoridades públicas aos profissionais de ensino.

Vejam como o poder público menospreza a educação. Para reivindicar reajuste salarial, a educação é simplesmente tratada como mercadoria de balcão, onde o agente público pechincha com os educadores para pagar ou reajustar o menor índice salarial possível. Como exigir-se uma boa educação se os professores são mal remunerados e muitos trabalham em escolas sem nenhuma infraestrutura educacional? Pergunta-se: que parlamentar, que prefeito, que governador, que presidente da República, que secretário de educação etc. viveriam com um salário de R$930,00, para custear as suas necessidades básicas, apresentar-se bem trajado e otimista ao trabalho? Não é uma grande desconsideração com a importância do educador no Brasil? Por isso, pouquíssimos são aqueles que ainda se aventuram no exercício do magistério (público). Era para o país, se fosse sério, ficar deveras preocupado e envergonhado.

Lamentavelmente, vivemos num país onde temos um Judiciário fraco e um STF político, que não exerce a sua função de guardião constitucional. Pois é inadmissível que o Poder Judiciário brasileiro não faça valer a sua autoridade de exigir dos governos estadual e federal o cumprimento integral da Constituição em matéria de educação e cultura. E o nosso Poder Legislativo Federal, uma casa de politicagem e de mordomias públicas, assiste a tudo de camarote e não reage.

Júlio César Cardoso é Bacharel em Direito e servidor federal aposentado.



Quais os sintomas da candidíase?

A candidíase é uma infecção causada por uma levedura (um tipo de fungo) chamada Candida albicans.


Entenda o visto humanitário para ucranianos

A invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de fevereiro, já levou mais de 4 milhões de ucranianos a deixarem seu país em busca de um lugar seguro.


Exigência de vacina não é motivo para rescisão indireta por motivo ideológico

Não se discute mais que cabe ao empregador, no exercício de seu poder diretivo e disciplinar, zelar pelo meio ambiente de trabalho saudável.


A governança de riscos e gestão em fintechs

Em complemento às soluções e instituições financeiras já existentes, o mercado de crédito ficou muito mais democrático com a expansão das fintechs.


6 passos para evitar e mitigar os danos de ataques cibernéticos à sua empresa

Ao longo de 2021 o Brasil sofreu mais de 88,5 bilhões (sim, bilhões) de tentativas de ataques digitais, o que corresponde a um aumento de 950% em relação a 2020, segundo um levantamento da Fortinet.


Investimentos registram captação de R$ 46 bi no primeiro trimestre

O segmento de fundos de investimentos fechou o primeiro trimestre de 2022 com absorção líquida de R$ 46,1 bilhões, movimentação de 56,9% menor do que o observado no mesmo período de 2021.


Não são apenas números

Vinte e duas redações receberam nota mil, 95.788, nota zero, e a média geral de 634,16.


Formas mais livres de amar

A busca de afeição, o preenchimento da carência que nos corrói as emoções, nos lança a uma procura incessante de aproximação com outra pessoa: ânsia esperançosa de completude; algum\a outro\a me vai fazer feliz.


Dia da Educação: transformação das pessoas, do mercado e da sociedade

A Educação do século 21 precisa, cada vez mais, conciliar as competências técnicas e comportamentais.


Uma carta à Elon Musk

O homem mais rico do mundo, Elon Musk, acaba de chegar a um acordo para adquirir uma das redes sociais mais importantes do mundo, o Twitter, por US$ 44 bilhões.


Liberdade de expressão: lembrança do passado recente

Na manhã do dia 19 de agosto de 1968, tropas da polícia e do Exército invadiram a Universidade de Brasília, agredindo violentamente vários estudantes dentro das salas de aula.


Mitos sobre a recuperação judicial

Criou-se uma verdadeira quimera quando o tema é recuperação judicial e o objetivo deste artigo é desmistificar alguns dos mitos sobre esse instituto.