Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A revolução da Osteopatia no Esporte

A revolução da Osteopatia no Esporte

15/05/2017 Dr. Renan Pivetta

A Osteopatia está ganhando cada vez mais espaço no meio esportivo.

Inclusive esteve presente nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro, sendo amplamente utilizada com atletas amadores até os maiores clubes de futebol europeu. Mas o que é a Osteopatia?

Trata-se de uma metodologia de avaliação e tratamento baseada em princípios anatômicos e fisiológicos que regem a regulação do corpo. A especialidade ajuda a aliviar, corrigir disfunções e recuperar lesões musculoesqueléticas e alterações orgânicas em geral.

Através da intervenção manual sobre tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamento, capsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático), a osteopatia visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais.

No esporte dá-se grande foco em melhorias biomecânicas do atleta, aos processos de recuperação pós-competições e prevenção de lesões, além de serem largamente utilizadas para tratar tendinites, bursites, entorses, hérnia de disco, dentre muitas outras.

Para isso é feita uma avaliação que visa identificar os fatores predominantes em relação à necessidade do atleta, desde restrições articulares, hábitos alimentares até problemas emocionais, e então o tratamento é realizado por técnicas de terapia manual e, quando necessário, faz-se o encaminhamento a profissionais específicos (médicos, nutricionistas, psicólogos, etc.)

Nos momentos pré-competição, a abordagem osteopática pode permitir alívio rápido de desconfortos e melhorias no desempenho competitivo, de acordo com relatos presentes em estudo publicado na American College of Sports Medicine em 2008. Além disso, é um tratamento muito seguro e que não utiliza medicamentos – o que permite ser realizado em conjunto ao tratamento médico.

* Doutor Renan Pivetta é fisioterapeuta formado pela UNESP, especialista em osteopatia e monitor da Escuela de Osteopatía de Madrid Brasil.



16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.