Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Ambiente Internacional

Ambiente Internacional

15/12/2020 Márcio Coimbra

Meio Ambiente é tema essencial na agenda brasileira. Tem sido assim historicamente.

Pioneiro em criar uma estrutura governamental para sistematizar o setor e detentor de uma das mais importantes biodiversidades do mundo, o Brasil é um player relevante nesta matéria, servindo de referência ao longo dos anos em política ambiental por diversos governos.

Internacionalmente o país se tornou interlocutor respeitado no assunto logo depois de sediar a Rio 92, conferência internacional das Nações Unidas, que recebeu dezenas de Chefes de Estado e Governo, assim como lideranças ambientais e ONGs para amplo debate sobre os rumos da questão ambiental.

A partir daquele momento, o Brasil, que retomava sua democracia, adquiria legitimidade real para tratar do tema.

Fato é que a imagem internacional do Brasil dialogou de forma profícua com a questão ambiental ao longo dos anos, passando a um entrelaçamento natural.

Tanto na esfera multilateral, como nas relações bilaterais, a agenda ambiental integrou-se em nossa política externa como tema relevante e estratégico.

Isto significa, em outras palavras, que a percepção internacional do Brasil passou a transitar também por este assunto.

Joe Biden, Presidente eleito dos Estados Unidos, é um político que trafega nestes dois campos. É alguém reconhecido pela habilidade internacional, com presença marcante no Comitê de Relações Exteriores durante os 36 anos que serviu no Senado.

Além disso encontrou nos materiais relacionados com o meio ambiente uma agenda que pautou sua passagem pelo parlamento e depois pela Casa Branca no cargo de Vice-Presidente.

Isto significa que, neste novo momento político, nossa aproximação com Washington naturalmente passará pelos assuntos ambientais.

Nossa diplomacia possui habilidade de sobra para lidar com esta mudança de agenda e fazer com que a relação profícua de cooperação e parceria que se estabeleceu em outras frentes, permaneça em sintonia também nesta questão.

Para isso, Bolsonaro precisará agir de forma prudente e sensata, trazendo a agenda ambiental para perto dos interesses internacionais do Brasil.

Uma política de enfrentamento em questões ambientais pode acarretar prejuízos internacionais e uma revisão da postura brasileira torna-se essencial para evitar que o país se isole neste debate e possa abrir portas estratégicas na arena externa.

O novo governo em Washington pode incentivar o Brasil a retomar parcerias de sucesso na área de meio ambiente, uma extensão inteligente de uma parceria que já está em curso entre os dois países.

Além disso, o Fundo Amazônia, financiado por Alemanha e Noruega, é apenas um dos exemplos de muitas iniciativas que podem ser resgatadas, assim como a relevância do país em fóruns como a Cúpula do Clima, reunião das Nações Unidas onde o Brasil não será ouvido este ano em razão da beligerância presidencial com o tema.

No entanto, onde muitos enxergam crise, sempre existe oportunidade. O Brasil, que aprofundou sua relação com Washington nos últimos anos, é detentor de um ativo fundamental para o governo que chega na Casa Branca.

Ao negociar de forma propositiva, existe real possibilidade de colhermos excelentes resultados. Podemos discutir uma agenda ambiental, fortalecendo nossa posição histórica de referência neste tema e construir pontes para a discussão de uma série de assuntos estratégicos.

Assim como no período pós-Rio-92, seria inteligente voltar a liderar esta agenda como o mais importante player internacional em política ambiental.

Uma estratégia de longo prazo com benefícios políticos e sociais, além dos reflexos positivos diretos na imagem internacional do Brasil.

* Márcio Coimbra é coordenador da pós-graduação em Relações Institucionais e Governamentais da Faculdade Presbiteriana Mackenzie Brasília, Cientista Político, mestre em Ação Política pela Universidad Rey Juan Carlos (2007).

Fonte: 4Influence



A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.


O poder da gentileza

O mês de novembro traz uma comemoração muito especial e essencial para estes tempos pandêmicos e de tanta polarização política: o Dia da Gentileza.


Branco no preto

As pessoas pretas no Brasil vivem pior do que as pessoas brancas, independentemente de qualquer situação.


Politicamente Correto, Liberdade de Expressão e Dignidade Humana

Estamos vivenciando, há tempos, a dicotomia de opiniões, a divisão clássica na qual a forma de expressar, de pensar, contém apenas lados antagônicos, separados que não podem convergir ou, ao menos, serem respeitados.


Prévia tucana, um tiro no escuro

Diferente das eleições primárias norte-americanas, onde os partidos Democrata e Republicano escolhem seus candidatos e definem a plataforma eleitoral, a prévia que o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) realizará neste domingo (21/11) está cercada de interrogações.


A imagem do Senhor Jesus de Santa Marinha de Vila Nova de Gaia

Nesta época pandémica, que parece não deixar de nos dizimar – dizem: por causa de novas variantes e à facilidade de movimentação, – é oportuno recordar como o povo de Deus se libertou de funestas calamidades, recorrendo à oração e à penitência.


Algoritmos e automação: a combinação certa para potencializar a vida na era digital

Há quinze anos, quem poderia imaginar que seria possível trabalhar, fazer compras, ter planos personalizados para treinos da academia e conseguir organizar investimentos em bolsas globais sem sair de casa?


Transformação digital: os desafios de um novo modelo

Com a chegada da Quarta Revolução Industrial, organizações dos mais diferentes portes e setores estão encarando obstáculos de toda ordem para lidar com as novas demandas do consumidor.