Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Aprenda a dar feedback com “técnica do sanduíche”

Aprenda a dar feedback com “técnica do sanduíche”

02/10/2016 Daniela do Lago

O feedback é essencial para ajudar na motivação dos profissionais.

A crítica é parte fundamental do processo para orientar as pessoas a apresentarem comportamento e desempenho adequados a uma determinada situação e, além disso, é importante para o aprendizado e o crescimento.

O famoso feedback ajuda a modificar a nossa maneira de lidar com algumas situações e a trabalhar com mais empenho na busca de melhores resultados. Pessoas bem­-sucedidas sabem valorizar as críticas que recebem de chefes, subordinados, colegas, clientes, fornecedores, no meio em que vivem e aprendem a utilizá-las em proveito próprio, não apenas no ambiente de trabalho, mas também nas relações sociais e familiares.

O feedback é essencial para ajudar na motivação dos profissionais. A “técnica do sanduíche” para dar um retorno sobre as atividades dos colaboradores, além de ser simples e eficaz, ajuda no aprendizado de como fazer uma crítica construtiva.

Para entende-la melhor, pense nos passos para se fazer um sanduíche: primeiro, corte o pão em duas metades e passe o condimento de sua preferência; coloque o recheio que você mais gosta e, por último, feche com a outra base do pão.

Pois bem, o feedback construtivo também pode ser feito da mesma forma, em apenas três passos:

Primeiro passo - “Base do pão”: inicie a conversa com ênfase e valorização dos pontos fortes daquele colaborador. Lembre-se de que o objetivo é aprimorar um comportamento ou desempenho e, ao comentar algo que não deu certo, use expressões positivas. Isso indicará que esse “bate-papo” terá desfecho assertivo;

Segundo passo - “Recheio”: a exemplo do seu sanduíche, essa é a parte mais importante, por isso vou descrevê-la em tópicos:

a) Descreva o que aconteceu: qual é o problema? Tenha bem claro o que, no atual comportamento ou desempenho, precisa ser alterado e por quê. Cite um exemplo real, esse é um ponto crucial;

b) Ouça: permita que o colaborador exponha suas dúvidas e motivos de suas possíveis dificuldades;

c) Descreva o comportamento desejado: seja específico. É muito importante deixar claro o desempenho ou resultado esperado;

d) Procure soluções em conjunto: promover os ajustes necessários para a execução da tarefa pode não ser muito simples. Ajude com orientações e sugestões, tendo-se em vista o objetivo final esperado;

e) Chegue a um acordo: é delicado forçar a execução do trabalho da forma que o líder julga ser adequada ou agir para mudar o comportamento do colaborador. Por isso, é importante ajudar e encorajar diante do desafio proposto, mas nunca se esquecer de que é ele quem realizará a tarefa. Pense na seguinte frase: “eu sei fazer isso muito bem, mas outros podem fazer ainda melhor”.

Terceiro passo – “Fechar o sanduíche”: reforce novamente os pontos positivos. Demonstre confiança na possibilidade de êxito, aperfeiçoamento e crescimento.

É bom frisar que, além desse passo a passo, você deve criar o ambiente apropriado para a crítica, busque falar com o colaborador em um local adequado, em particular e isento de interrupções. A crítica é sempre em particular, o elogio em público. Nunca ao contrário.

Siga os passos da “técnica do sanduíche” para melhorar os relacionamentos na empresa. Você também pode utilizá-los para revisar seu próprio desempenho.

* Daniela do Lago é coach de carreira, palestrante, professora dos cursos de MBA da Fundação Getúlio Vargas nas disciplinas de Gestão de Pessoas, Comportamento Organizacional, Comunicação e Relacionamento Interpessoal e escritora.



Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso