Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Aprender português com o Eça

Aprender português com o Eça

26/10/2020 Humberto Pinho da Silva

Não sou filólogo nem purista, nem sequer escritor. Limito-me a ser modesto cronista, e deixo fugir – para minha vergonha, – calinadas, que muito me desgostam.

Consolo-me, porém, ao reconhecer, que muita boa gente – de elevado grau académico, – incorre, também, em crassos erros de palmatória.

Vem o preâmbulo a propósito de escritores consagrados, reconhecidos pela crítica, como excelentes prosadores, que apresentam, involuntariamente, em romances e ensaios, graves erros gramaticais.

Escritores, soberbos estilistas, como foi o extraordinário Eça de Queiroz, pecaram e pecam por enxamearem as obras de: galicismos, anglicanismos e neologismo, inconcebíveis.

Acabo de folhear: “Falar e Escrever”,vol. II de Cândido de Figueiredo, e deparo com a pergunta formulada por menina (senhora?) do Rio de Janeiro, dizendo que Eça escreveu nos “Maias” a frase: “gochemente dissimulado na sombra” e interroga sua opinião.

O conhecido filólogo, comenta: "Se fosse apenas neologismo!" Mas é um galicismo descarado e absolutamente inadmissível. Como advérbio de modo pressupõe o adjetivo goche, que nós não temos, não precisamos nem teremos, enquanto nos ufanarmos de falar português.

“Não há ninguém que não admire o formoso talento do autor de ‘Os Maias’, e a imaginação, mas, realmente, se Lulu quer estudar a língua portuguesa, nos livros de Eça de Queirós, dou-lhe os meus sentimentos, porque nunca saberá”.

O bom português encontra-se em escritores, como: Camilo e Castilho, e em numerosos e respeitados prosadores brasileiros e portugueses.

Acerca de Camilo, Vasco Botelho do Amaral, in: “Glossário Critico de Dificuldades da Língua Portuguesa” diz: “A linguagem de Camilo é riquíssima de valores expressivos (…) Em todas as páginas revela o Mestre o diligente estudo a que se consagrou, auscultando os dizeres das bocas populares e investigando nos clássicos, documentos ignorados, mas de inestimáveis riquezas idiomáticas. Junte-se a isso o extraordinário génio verbal e estilístico do escritor, e como resultado nos apresentará a admirável vernaculidade da língua de Camilo”

O português do Brasil, apesar de tentativas infrutíferas de “criarem” uma língua, e haver sofrido influência do tupi, quibundo e dialetos africanos, além de vocábulos de línguas europeias, continua, com alguns baldões, a ser respeitada pelos consagrados prosadores do Brasil.

Porém, bom seria – penso eu, – que neologismos importados, só fossem introduzidos, após escutarem os países de língua portuguesa.

É o caso, entre outros, dos telefones móveis: celular num, telemóvel noutro, se pretendemos, que os da Comunidade da Língua Portuguesa, se entendem entre si.

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Startups ampliam o mercado de trabalho jurídico

Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), temos atualmente no Brasil 12.700 dessas empresas, número 20 vezes superior se compararmos com 2011, quando eram contabilizadas 600.


Aprendizados durante a pandemia e a importância da inovação para o mercado

O momento atual tem sido de muito aprendizado para todos.


Eca 30 anos: o que mudou nas nossas vidas?

No bojo da redemocratização do país nas décadas de 1980, 1990, muitas mudanças ocorreram para a melhoria da sociedade que vivemos.


Como músico, advogado e padre, saíram de boa

Quando, em 1945, os americanos ocuparam Garmish, um jeep, cheio de soldados, estacionou, à porta da casa de Richard Strauss.


Queremos mesmo extinguir o dinheiro?

Com o aumento do uso de meios de pagamentos digitais, não raras vezes se ouve no debate público a afirmação de que, no futuro, o ideal seria extinguir o dinheiro em espécie.


Assalto a banco, prisão perpétua e pena de morte

O país volta a ser sacudido pelos ataques de grupos armados a agências bancárias, transportadoras de valores, carros-fortes e outros lugares onde são armazenadas elevadas somas em dinheiro.


Empresas existem para cuidar das suas comunidades

Certa vez, me pediram para dar aula de Teoria Geral da Administração para uma turma de 1º ano de graduação.


Como fazer o planejamento financeiro pós-pandemia e para 2021

O planejamento financeiro tornou-se fundamental no mundo pós-pandemia.


Pandemia, juros baixos e a retomada do setor imobiliário

Assim como em outros setores, entre a segunda quinzena de março e o fim de maio, ocorreu um bloqueio total do mercado imobiliário por conta do desconhecimento da pandemia.


Feliz Dia do Síndico

Em comemoração ao Dia do Síndico, este artigo de opinião procura estimular uma profunda reflexão sobre o verdadeiro papel do síndico e do próprio comportamento na figura do representante do condomínio junto à sociedade.


A saúde mental dos seus colaboradores pede atenção

O ano de 2020 foi muito conturbado, com diversos acontecimentos.


A diferença entre o artista e o empresário

Em primeiro lugar, deixe-me esclarecer: quando se fala em artista no mundo dos negócios, se fala no profissional ou técnico que tem determinado conhecimento específico ou habilidade.