Portal O Debate
Grupo WhatsApp


As Redes Sociais no e-commerce

As Redes Sociais no e-commerce

06/02/2013

O assunto mais comentado na Internet são as Redes Sociais. Cada vez mais, o brasileiro está inserido nessas plataformas.

O Facebook cresce de forma avassaladora no Brasil e já somos o segundo país com mais acessos. O Twitter está em um momento delicado, mas LinkedIn, Pinterest, Foursquare, YouTube e Instagram crescem a cada dia, não na mesma velocidade do Facebook, mas esse é um canal de ajuda para que os outros cresçam.

Já vemos casos como Netshoes e Dafiti, dois fenômenos do e-commerce, vendendo pelas redes e não apenas pelo Facebook. A Netshoes, por exemplo, possui uma loja interessante no Pinterest. Algumas marcas já estão trabalhando Foursquare e Instagram como forma de divulgação de produtos e não vai demorar muito para que essa onda de vender por essas redes chegue ao gosto popular.

O crescimento do mobile no Brasil é algo que só vem impulsionar as redes. Se por um lado, falar de mobile parece não ter nada a ver com esse artigo, por outro lado, ele tem tudo a ver. Estudos mostram que o crescimento das Redes Sociais no país passa pelo mobile.

Quando entendemos que cada vez mais o consumidor está comprando pelo celular e cruzamos essas duas frentes de consumo, conseguimos analisar o potencial de compras pelas redes, entretanto, é preciso entender que o princípio básico das redes é o relacionamento e nem só de promoção se sustenta uma Fan Page ou Social Commerce.

Social Commerce é um assunto totalmente ligado às Redes, afinal, se as marcas querem vender pelas redes, esse conceito é o caminho mais próximo, entretanto, ele ainda não decolou no país. O estudo que a ABComm pensa em fazer logo no começo de 2013 visa descobrir o porquê de sua não decolagem, porém, algumas hipóteses já podem ser levantadas.

Por exemplo, analisando as Fan Pages de e-commerce, vemos muitas promoções e poucas interações com o consumidor, saber ser muito mais social do que commerce, ou seja, saber que as redes são canais de relacionamento e não apenas de venda é um dos fatores principais para fazer valer a pena.

Quem pensa ser apenas venda, está pensando totalmente errado. As lojas virtuais não têm um vendedor físico, entretanto, a interação nas redes pode, aliás, deve substituir essa figura. Se não há como fazer um atendimento um a um via redes, é preciso saber como fazer isso via inteligência artificial. Talvez valha a pena gastar nisso, pois estudos mostram o quanto as pessoas gostam da atenção das marcas. Virou um diferencial.

Ações inovadoras, usar todas as redes como pontos de contato. Monitorar, entender o que as pessoas falam e como agir. São ações que muitos falam, poucos fazem. Monitorar as redes tem sido importante tanto para o institucional como para o varejo, afinal, cada vez mais as pessoas estão se expressando nas redes. Não tem como ficar de fora, pois aqueles que estão fora das redes, estão, literalmente, perdendo dinheiro.

*Felipe Morais, Diretor de Mídias Digitais da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM).



Mudança de regras nas eleições

A capacidade de expor ideias vai decidir as eleições de 2020.


Lucro do carnaval vale mais que a saúde dos brasileiros?

Parece-nos uma grave insensatez de nossas autoridades governamentais em permitirem a realização dos festejos carnavalescos no país em meio à epidemia do coronavírus.


O que combina com a liberdade e a vida

Todo ser humano deveria ter direito, desde o berçário, à moradia, à alimentação, à saúde, aos estudos, à segurança e ao transporte.


A história sempre se repete

Quando não me apetece ler, folheio os livros da minha modesta biblioteca. Leio umas linhas e torno a fechá-los. Montaigne – se não estou em erro, – fazia o mesmo.


O marketing do Brazil com o profissionalismo do Brasil

O marketing do Brasil não é trabalho para amadores.


O coração, morada do amor e dos sentimentos, é terra que ninguém pisa

Qual coração não guarda seus segredos? Fantasias, desejos?


Achegas para obter uma biblioteca

Conta-se, que certa manhã, Camilo, estando na Praça Nova, no Porto, encontrou negociante seu conhecido, sobraçando grande quantidade de livros.


A tragédia da vida ecoa na arte

Há 75 anos, uma guerra dividia almas e famílias.


Serro: 318 anos de história

Neste mês de janeiro a tricentenária cidade do Serro chega aos seus 318 anos.


Insight sobre a sua carreira profissional

Atualmente, a taxa de desemprego em nosso país ficou em 11,8% no trimestre encerrado em setembro, atingindo 12,5 milhões de pessoas, conforme dados do IBGE.


Educação Inclusiva para quem?

Há algumas décadas, nosso país já pensa na educação de pessoas ditas como “com deficiência”.


Muita calma em 2020!

Todo fim de ano vemos o tradicional corre-corre de festas, confraternizações, as luzes decorativas iluminando as cidades e mais pessoas e veículos transitando pelas cidades.