Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Atividade física – Por que deve fazer parte de nossa rotina?

Atividade física – Por que deve fazer parte de nossa rotina?

18/08/2016 Dra. Daniele Tokars Zaninelli

Devemos tentar vencer nossas próprias barreiras e incluir atividades físicas em nossas vidas.

Atividade física – Por que deve fazer parte de nossa rotina?

Que os exercícios físicos melhoram o humor e a autoestima ninguém duvida, pois antes mesmo de promover mudanças aparentes no corpo, costumam trazer uma sensação imediata de bem-estar.

Além disso, promovem o aumento da força muscular, a melhora do desempenho físico e do funcionamento do sistema cardiovascular, o que nos deixa mais aptos a enfrentar as tarefas do dia a dia.

A prática regular de atividades físicas (AF) pode ainda evitar uma série de doenças, nos permitindo viver mais e melhor. Apesar disso, em 2012, às vésperas das Olimpíadas de Londres, uma série de estudos publicados no periódico The Lancet mostrou que a inatividade física já era considerada uma pandemia global.

Foi lançado um alerta mostrando que o sedentarismo deveria receber a mesma atenção que o tabagismo e a obesidade como fator de risco modificável para o desenvolvimento de doenças crônicas. Mantendo a tradição, uma nova série de estudos foi publicada logo antes das Olimpíadas do Brasil, o que veio a confirmar os dados iniciais, trazendo ainda novidades que serão abordadas nesse artigo.

A crescente urbanização, o acesso à motorização e o aumento do trabalho sedentário parecem ser os principais responsáveis pelo estilo de vida inativo visto ao redor do mundo. E esse não é um problema exclusivo dos adultos. Estudos epidemiológicos mostram que a maior parte das crianças e adolescentes não realiza o tempo mínimo necessário de atividades físicas ao longo do dia para serem considerados ativos.

Para usufruir dos efeitos benéficos da AF em termos de saúde pública, uma série de estratégias vem sendo estudadas e aplicadas aos poucos. Enquanto isso, devemos tentar vencer nossas próprias barreiras e incluir atividades físicas em nossas vidas, se possível envolvendo toda a família.

Já está bem estabelecida a relação entre a falta de atividades físicas e o aumento no risco de doenças crônicas como o diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, derrame, alguns tipos de câncer e até mesmo de morte prematura.

Alguns hábitos merecem atenção especial. Um estudo recente sugeriu que assistir TV por tempo prolongado (>5 horas/dia) estaria associado ao aumento no risco de desenvolver diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, e de morte por todas as causas.

Além disso, pessoas que passam mais do que 8 horas por dia sentadas, e são pouco ativas, apresentam um aumento no risco de mortalidade semelhante ao que ocorre na presença de outros fatores como o tabagismo ou a obesidade.

Por outro lado, a prática regular de AF reduz o risco de desenvolver e/ou melhora o controle de diversas doenças, como a obesidade, o diabetes, alguns tipos de câncer, hipertensão arterial e doenças cardiovasculares. E como se essas vantagens não bastassem, estudos recentes têm demonstrado a importância da prática regular de exercícios no desenvolvimento e na manutenção das funções cerebrais normais.

Em adultos a prática regular de exercícios reduz o risco de demência, e em crianças melhora a capacidade cognitiva e o rendimento escolar. Esses dados não deixam dúvidas sobre a importância de se combater o sedentarismo.

Para isso é essencial mudar hábitos, o que nem sempre é fácil e exige motivação. Você já pensou sobre o que te levaria a incluir mais movimento em seu dia a dia? Melhora no humor, na disposição, perda de peso, um sono melhor ou uma vida sexual mais satisfatória seriam suficientes?

Todos esses são benefícios oferecidos pela prática rotineira de exercícios físicos. Vale a pena se esforçar para vencer as dificuldades impostas pela rotina, não é mesmo?

- Curiosidade: Você sabe qual a diferença entre exercício físico e atividade física?

Considera-se atividade física qualquer movimento corporal produzido por contração da musculatura esquelética. Já o exercício físico consiste numa atividade física planejada, com uma sequência de movimentos programados, realizada com o objetivo de melhorar o desempenho físico.

- Veja abaixo se você tem um estilo de vida sedentário:
De forma geral, são considerados sedentários adultos que não atingem 150 minutos de AF de intensidade moderada, ou 75 minutos de AF vigorosa por semana (ou uma combinação deles). Entre os adolescentes, são considerados inativos aqueles que praticam menos de 60 minutos de AF moderadas a vigorosas por dia.

São exemplos de AF de intensidade moderada: caminhada rápida (cerca de 5Km/h), hidroginástica, ciclismo (até 16Km/h), jogar tênis em dupla, dança de salão e jardinagem. São consideradas vigorosas atividades como: corrida, natação e ciclismo (acima de 16Km/h).

Não é preciso ser um atleta para se obter as vantagens da AF à saúde. Em geral recomenda-se a prática de 150 minutos de atividade moderada por semana, ou seja, são suficientes 30 minutos de dedicação ao dia, que podem ainda ser divididos em 3 etapas de 10 minutos.

O importante é que as atividades sejam introduzidas progressivamente, sem esquecer de verificar questões de saúde que podem exigir orientações especiais, sendo aconselhável conversar com seu médico antes de iniciar a prática de exercícios físicos. E lembre-se sempre: quando o objetivo é melhorar a saúde, qualquer atividade é melhor que nenhuma atividade. Não espere mais. Mude seus hábitos e aproveite os benefícios!

* Dra. Daniele Tokars Zaninelli é endocrinologista do Hospital VITA.

 



Uso consciente do crédito pode ajudar a girar o motor da economia

Muita gente torce o nariz quando o assunto é tomar empréstimo, pois quem precisa de crédito pode acabar não conseguindo honrar essa dívida, tornando esse saldo devedor uma bola de neve.


Voltar primeiro com os mais velhos: mais autonomia e continência

Nunca pensei que chegaria esse dia, mas chegou! Um consenso global sobre o valor da escola para as sociedades, independentemente do seu PIB.


Adolescentes, autoestima, família: como agir, o que pensar?

A adolescência é um tempo intenso, tanto pelo desenvolvimento físico, quanto neurológico, hormonal, social, afetivo e profissional.


Digital: um tema para o amanhã que se tornou uma demanda para ontem

Durante muito tempo, a Transformação Digital foi considerada uma prioridade para o futuro dos negócios.


Compliance como aliado na estratégia ESG das organizações

A temática que atende aos princípios ambientais, sociais e de governança, ou seja, o ESG (Environmental, Social and Governance), está em forte evidência.


A humanização da tecnologia no secretariado remoto

A tecnologia deu vida a inúmeras oportunidades de negócios, como o trabalho à distância.


Bolsa vs Startups. Porque não os dois?

Vivemos um momento de grandes inovações e com os investimentos não é diferente.


Os pecados capitais da liderança

“Manda quem pode, obedece quem tem juízo.”


“Pensar Global, Agir local”: O poder do consumo consciente

A expressão “Pensar Global e Agir local” já é lema em muitas esferas de discussões políticas, econômicas, sobre sustentabilidade e solidariedade.


Vencido o primeiro desafio da LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) regulamenta o tratamento de dados de pessoas físicas nas suas mais variadas aplicações e ambientes.


Telemedicina, fortalecimento do SUS e um primeiro balanço da pandemia

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, alertou Camões. Todo o mundo é feito de mudanças.


Médico: uma profissão de risco

Estudar medicina é o sonho de muito estudantes, desde o cursinho o futuro médico se dedica a estudar para conseguir entrar no super concorrido curso de medicina.