Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Bandido improvisado

Bandido improvisado

08/09/2008 Divulgação

Lá na empresa a rotina pesa. Uma reestruturação na empresa, e houve de repente uma avalanche de chefes caindo sob minha cabeça. Com a mudança da direção, uma onda de novos postos de comandos fora surgindo. Comandos delegados, ou simplesmente, apropriados indevidamente. Se já estava difícil para meu lado, ficou pior ainda. Tudo culpa minha. Se fosse mais bajulador, ganancioso pelo poder, intrometido, menos querendo executar o meu trabalho do que as palavras ditas para impressionar, eu teria garantido uma boca.

Os momentos mais gostosos do dia na repartição são dois: na hora da saída para o almoço, passear pelo centro de Jabuticabal; e na hora da volta para casa. Não que eu seja comilão. É pelo simples fato de ter o direito de respirar o ar sem falsidade que reina fora da empresa.

De volta para meu posto, o jeito é fingir o máximo estar super ocupado, pois os novos chefes que já foram muito ociosos não podem te ver parado para começar o interrogatório o que você está fazendo. Os medíocres pensam que somos robôs, temos de estar com a mão ocupada todo o tempo, que espaço para refletir sobre a ação não é direito de todo funcionário. Se estivéssemos na linha de produção de uma fábrica, encaixotando objetos, podia-se, ainda que sem todo esse exagero, pautar uma prática mais imediatista, um pouco mais mecânica. Contudo, lidamos com pessoas. Estamos à frente de um órgão que presta serviço à comunidade. E todo serviço demanda prática e reflexão, e não atitude bestial de mostrar que estar com a mão na massa todo o tempo.

A insatisfação que acorrenta nove horas dentro da empresa naturalmente influência a vida pessoal. Péssima influência. É a intolerância com o cônjuge. Por várias vezes me vejo agressivo com esposa e filhos? A paciência que antes me caracterizava, esvaece, e quando me percebo estou mandando todos para aquele lugar.

Cabe a nós fazermos da vida inferno ou paraíso. É o que me dizem. Hoje, não vejo meios de empregar esta sugestão. Devo sair desse emprego, já que me faz tanto mal? Claro que sim. E as contas a pagar, as bocas a alimentar lá em casa? De repente se percebe que a repartição, o que deveria ser nosso sagrado emprego, se transforma na prisão mais cruel, que nos obriga aí permanecer caso queiramos viver decentemente. Mudar de emprego? Estou caçando. O desemprego assusta. Talvez por isso que muitos empregados chegam a permitir que sejam humilhados a deixar o sustento.

Essa opressão tem lado negativo para toda a sociedade. Eis aí lenha para o bandido improvisado. Aquele que oprimido na empresa, humilhados pela corja de chefes puxa-sacos ou gananciosos, involuntariamente comete atos fora da lei para aliviar tensões. Ultrapassar o sinal vermelho, correr em excesso de velocidade, aderir à pedofilia, boicotar a empresa, fazer caixa dois, agredir o companheiro e filhos, chutar o gato e cachorro, ir para o estádio de futebol para se envolver em brigas, virar alcoólatra são males que brotam de um ganha-pão opressor e inútil para o crescimento pessoal.

* Professor, autor do livro Sonhar É Bom, Viver É Muito Melhor. Contatos com o autor pelo e-mail: [email protected]



O efeito pandemia nas pessoas e nos ‘in-app games’

É fato que a Covid-19 balançou as estruturas de todo mundo, trazendo novos hábitos, novas formas de consumir conteúdo, fazer compras… E, claro, de se entreter.


A violência e o exemplo dos parlamentos

O péssimo exemplo que os políticos, em geral, dão nos parlamentos, insultando, ridicularizando os antagonistas, leva, por certo, a população a comportar-se de modo semelhante.


Brasileiro residente no exterior, por que fazer um planejamento previdenciário?

É muito comum no processo emigratório para o exterior ter empolgação e expectativas sobre tudo o que virá nessa nova fase da vida.


LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.