Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Brincar, imaginar e criar

Brincar, imaginar e criar

21/12/2018 Heloíse Martins Machado e Verônica Gigliolli de Araújo

Aprender brincando é a melhor opção para crianças de todas as idades.

A brincadeira faz parte do cotidiano das crianças ainda no berço e ajuda no desenvolvimento cognitivo e social. Desde cedo, bebês brincam com o próprio corpo, mexendo as mãos e pés, experimentando texturas ou movimentando-se para alcançar algum objeto próximo. Assim, o brincar desperta a atenção e possibilita o contato com o mundo, além de ser fonte de aprendizado físico, motor e social.

Pode parecer uma tarefa fácil, mas brincar exige esforço, concentração, criatividade, movimento, raciocínio e muita imaginação, que é constituída por novas ideias que ligam a fantasia à realidade em mundo próprio da infância. Experiências vivenciadas no mundo real combinadas com fantasias da imaginação propiciam um vasto leque de criação para as crianças. Por consequência, quanto maior for a variedade de experiências, maior será a possibilidade de atividades criadoras e imaginativas.

Para que o interesse pela atividade criadora e a capacidade criativa não se perca, é necessário que todo o trabalho relacionado ao desenvolvimento da criatividade, percepção, observação e imaginação infantil sempre esteja relacionado às atividades de caráter lúdico, como por exemplo, as brincadeiras. Ou seja, aprender brincando é a melhor opção para crianças de todas as idades.

Dentre seus benefícios, destacamos o favorecimento ao desenvolvimento da linguagem, pois, por meio da brincadeira, a criança cria possibilidades de interação com objetos, amigos ou até mesmo sozinha. Também aprende a lidar com emoções, negociar, desenvolver a empatia, cooperação e resiliência, todas habilidades essenciais para o desenvolvimento.

O brincar faz parte da construção de conhecimentos e da própria identidade da criança, uma vez que é alimentado por um contexto gerador de criatividade. Experimentando e testando, os pequenos vão selecionando preferências, gostos e oportunidades para explorar o que vivenciam.

Assim, o trabalho pedagógico deve oportunizar momentos de criação e de imaginação por meio das brincadeiras, mas também compreender que o ato de brincar pode ser espontâneo ou partir da tentativa de reprodução da ação do adulto. O que reforça a importância dos bons exemplos vindos dos adultos próximos. Mas é importante lembrar sempre que é o educador que tecerá os fios que irão conduzir as suas práticas, abrindo caminhos e realizando percursos na tentativa de criar um olhar-lugar diferente e singular às infâncias.

Então, vamos brincar, imaginar e criar?

* Heloíse Martins Machado é pedagoga e professora no Colégio Marista de Maringá.

* Verônica Gigliolli de Araújo é pedagoga com especialização em Neuropsicopedagogia e professora no Colégio Marista de Maringá.

Fonte: Página 1 Comunicação



Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.


2021 – A ironia de mais um ano que ficará marcado na história

Existe um elemento no ano de 2021 que imputou e promoveu uma verdadeira aposta de cancelamentos e desejos para que ele seja mais um ano apagado da memória de milhares de pessoas: A pandemia, que promoveu o desaparecimento definitivo de milhares de pessoas.


Negócios do futuro: por que investir em empreendedorismo no setor financeiro

Você sabia que 60% dos jovens de até 30 anos sonham em empreender?


A importância de formar talentos

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.


Sustentabilidade em ‘data center’: setor se molda para atender a novas necessidades

Mesmo que a sustentabilidade ainda seja um tema relativamente novo no segmento de data center, ele tem se tornado cada vez mais necessário para as empresas que querem agregar valor ao seu negócio.


Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.