Portal O Debate
Grupo WhatsApp


CERTIFICAÇÃO, já!

CERTIFICAÇÃO, já!

15/08/2011 Marizete Furbino

“Controle o seu destino ou alguém o controlará". (Jack Welch)As idéias sobre a inserção da certificação em uma empresa surgem num marco de uma nova diáspora, onde as atenções encontram-se voltadas para a sobrevivência e solidez tanto no mercado nacional, quanto no mercado internacional. O registro das mudanças e transformações advém de uma visão estratégica, assumindo forças na sua concepção em uma dimensão midiática.

Vale lembrar que a certificação da qualidade nada mais é do que o reconhecimento realizado por uma entidade acreditadora externa, que verificará de forma séria e transparente a conformidade do sistema da qualidade da empresa, observando em detalhes todo o referencial normativo para tal certificação.

Ademais, é notório perceber que a empresa que preza pela certificação, preza também pela qualidade em seus processos, produtos e/ou serviços prestados; por conseguinte, atua no mercado fazendo o diferencial e se destacando com certa credibilidade. Sendo assim, se torna mais competitiva e ganha mais e mais “fatias” no mercado. 

Desta feita, pode-se dizer que a certificação é sinônima de reconhecimento e de qualidade. A implantação dos programas de qualidade em uma empresa, demonstra de forma transparente a real preocupação com a melhoria contínua, eficiência, eficácia e qualidade.

Como é sabido, para alcançar a certificação, a empresa é submetida a uma auditoria interna, que faz uma avaliação em todo seu processo interno de trabalho, sendo esta de grande valia para o gestor. Através desta auditoria poderão ser detectadas algumas e/ou inúmeras distorções, que uma vez corrigidas, trarão inúmeros benefícios à empresa, tais como: agregação de valor à marca, maximização da produtividade, minimização de custo e tempo, melhoria da imagem da empresa perante o mercado, satisfação dos clientes internos e externos, maior confiança dos clientes internos e externos, melhoria da gestão e processos internos, melhoria da competitividade e de todo desempenho operacional, além de criar e manter uma cultura voltada para a qualidade, vindo consolidar a imagem e a presença da marca no mercado, facilitando o comércio interno e no exterior, possibilitando então o incremento das exportações.

Destarte, cabe ressaltar que o reconhecimento, advindo de uma equipe externa de auditores à empresa,  reconhece que o produto e/ou serviço teve, tem e continuará tendo qualidade, garantindo vantagens competitivas, corroborando para que a empresa se destaque no mercado.

Neste diapasão, é importante perceber que em todo o processo a empresa é vista e concebida como um ser vivo, onde todos os departamentos deverão trabalhar de forma interligada, interagida e inter-relacionada, e através da dedicação, envolvimento e comprometimento, somar forças, conhecimentos, habilidades e talentos, em prol da qualidade , para assim informar, proteger e atender a satisfação e  necessidades dos clientes, buscando de forma contínua a melhoria da qualidade, propiciando assim, uma justa concorrência.

Vê-se, pois, que através da visão estratégica, a empresa conseguirá assegurar não somente a completa satisfação do cliente, mas garantirá a continuidade de seus produtos e/ou serviços, pois, ainda que haja alguns entraves em meio a um mercado de difícil sobrevivência, conseguirá cada vez mais expandir os seus negócios através da responsabilidade, ética, transparência e dedicação.

Cumpre registrar que a certificação assegurará que a empresa certificada dispõe e pratica um sistema de garantia da qualidade, endossando que produtos e/ou serviços desta empresa estão sempre em conformidade com as normas técnicas e regulamentos pré-estabelecidos; assim, propicia um adequado grau de confiança, uma vez que o produto/serviço é devidamente acompanhado e avaliado por uma equipe de auditores.

Somados a isso, torna-se de suma importância o gestor perceber que, através do ciclo do PDCA- (Plan- Planejar, Do-Fazer, Check-Verificar e Act- Agir), ou Ciclo de Shewhart, a empresa irá planejar, definindo indicadores, metas e métodos para alcançar a certificação. Igualmente executará todo o seu trabalho em conformidade com as normas técnicas pré-estabelecidas, checando, monitorando e verificando todo o desempenho dos processos. Tem essa estratégia em função dos resultados alcançados, fazendo girar novamente o ciclo do PDCA realizando um novo planejamento, com o intuito de realizar a adequação da política da qualidade, preocupando-se com a prática da gestão em prol das oportunidades para melhoria do desempenho e para o alcance e manutenção da certificação.

Neste contexto é importante todo gestor enxergar que através de uma visão sistêmica, a gestão irá desenvolver todo o seu trabalho mantendo o foco no cliente. Além disso, deverá se preocupar com o processo, e de maneira sempre atenta no que tange a avaliação, fazendo medição, análise de registros da qualidade e monitoramento de indicadores, atuando de forma preventiva e corretiva, prezando sempre pela melhoria contínua da qualidade de seus produtos e/ou serviços.

Por fim, é de grande valia enxergar que, no tocante a certificação, é inegável o valor desse “título” para que a empresa permaneça não somente sólida no mercado, mas galgue altos “vôos”; assim, conclui-se que as certificações não são mais diferenciais e sim pré-requisitos para a solidez e crescimento da empresa.

* Marizete Furbino, com formação em Pedagogia e Administração pela UNILESTE-MG, especialização em Empreendedorismo, Marketing e Finanças pelo UNILESTE-MG. É Administradora, Consultora de Empresa e Professora Universitária no Vale do Aço/MG - e-mail: marizetefurbino@yahoo.com.br



A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.


O legado da possibilidade

Quando podemos dizer que uma coisa deu certo? O que é, afinal, um sucesso?


O que diabos está acontecendo?

A crise está a todo vapor e acelerando tendências que levariam décadas para se desenrolar.


STF e o inquérito do fim do mundo

Assim que o presidente da Suprema Corte determinou a abertura do inquérito criminal para apurar ameaças, fake news contra aquele sodalício, nomeando um dos ministros da alta corte para instaurá-lo, de ofício, com base no artigo 43 do Regimento Interno, não vi nenhuma ilegalidade.


As décadas de 20

A mais agitada década de vinte de todas foi a do século XX.


Nós acreditamos!

A história ensina lições. Muitas lições.


A saúde do profissional de educação em tempos de pandemia

Muitos profissionais tiveram que se adaptar por causa da pandemia.



“Quem viva?! …”

Contava meu pai, com elevada graça, que tivemos antepassado, muito desenrascado, que sempre encontrava resposta pronta, na ponta da língua.


Super-mãe. Eu?

Lembro-me de um episódio que aconteceu há alguns anos atrás e que fez com que eu refletisse seriamente sobre meu comportamento de mãe.