Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como conciliar negócios e família?

Como conciliar negócios e família?

03/08/2022 Henri Navesuh

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.

Apesar do crescimento do empreendedorismo feminino, ainda há desafios a serem superados para que as oportunidades para homens e mulheres sejam na mesma proporção. Embora representem 52% da população, as mulheres ocupam posição de destaque em apenas 13% das 500 maiores empresas brasileiras.

Essa aparente barreira, porém, não deve servir de desestímulo, muito pelo contrário, conforme avalia a co-fundadora Vivienne Ikeda de 38 anos, mãe de três filhos e casada com o CEO e gestor André Minucci, da empresa Minucci RP.

Na avaliação de Vivienne as mulheres de sucesso são as que entram no jogo de igual para igual e, muito importante, acreditando em seu potencial.

A empresária cita sua trajetória, “cresci numa família onde minha mãe cuidou de 4 crianças, sozinha. Administrava dois negócios paralelos, enquanto meu pai trabalhava no Japão, e sempre via ela forte e buscando aprender mais”, relata.

Um dos dilemas das empreendedoras é quando se deparam com um cenário quase unânime entre elas: como cuidar dos negócios e da família ao mesmo tempo? A proprietária parece ter a resposta correta ao discernir alguns fatores que deram certo para ela. “Primeiro ponto: analisar o que é mais importante para você e sua família, em outras palavras, ter muito dinheiro em menos tempo, ou  fazer as coisas mais ponderadas e manter o equilíbrio na família?”, frisa a empresária.

O segredo de Vivienne para vencer todas as metas e propostas foi colocar a família em primeiro lugar. “Temos três crianças pequenas que precisam e exigem muita atenção dos pais. Claro que por vezes, precisamos dedicar mais tempo ao trabalho, porém sempre analiso o que é o melhor para a família”, ressalta.

A co-fundadora da Minucci RP, como gestora de uma empresa que surgiu para transformar pessoas e negócios, está gabaritada para dar algumas dicas de como equacionar essa relação trabalho x família:

Estabeleça metas profissionais e financeiras;

Valorize momentos em família;

Utilize a tecnologia a seu favor;

Seja uma pessoa organizada.

O planejamento não deve ser pensado só no financeiro e na carreira, também carece na sua vida pessoal: A empreendedora relata que planejaram 10 anos para ter o primeiro filho. “Quando o Mateus nasceu, escolhi parar de trabalhar e cuidar dele, queria ser a melhor mãe. Tive o apoio do André e decidi me dedicar em tempo integral, foi a melhor coisa.

Quando fazemos as coisas pelo motivo certo, o caminho é mais leve e sempre compensador. Nunca me arrependi de ficar sem trabalhar e me sinto privilegiada por conseguir cuidar dos meus filhos”, ressalta.

Vivienne ficou um ano e meio sem atividade profissional e assim que o primeiro filho desaleitou decidiu abrir sua primeira empresa em três meses.

A mesma decisão foi repetida conscientemente com o seu segundo filho, Felipe. Na época, escolheu se dedicar a família e cursos profissionalizantes, adquirindo conhecimento pessoal e profissional. “Foi aí que me preparei para abrir a empresa Minucci, com a proposta de ter resultados na prática. O sucesso foi iminente desde que iniciamos, começamos bem estruturados e fomos aprendendo com os acertos e erros, replicando nosso sucesso em outras empresas”.

Vivienne Ikeda finaliza: “acredito que dividir a responsabilidade e afazeres com o pai é fundamental para que ambos possam trabalhar e os filhos ficarem bem”.

Para mais informações sobre negócios clique aqui.

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

 

Fonte: minuccirp



Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.