Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como diferenciar intolerância e alergia alimentar

Como diferenciar intolerância e alergia alimentar

19/12/2017 Dra. Ully Alla

Os dois problemas de saúde sérios que requerem acompanhamento e cuidados especiais.

É cada vez mais comum vermos pessoas comentando que se sentem mal ao ingerir determinados alimentos. Geralmente, esse mal-estar tem ligação com um quadro de intolerância ou alergia alimentar, duas condições de saúde bastante sérias e que, se não diagnosticadas corretamente, podem levar à morte.

A alergia configura-se como uma reação modulada pelo sistema imunológico do organismo contra proteínas presentes em determinado alimento, reconhecidas pelo corpo como “inimigas”. Já a intolerância alimentar, caracteriza-se uma reação decorrente de uma deficiência nas enzimas responsáveis pela digestão, dificultando este processo.

Diversos alimentos, de grupos variados, podem causar quadros de intolerância, como: laticínios, cereais, carnes, frutas, ervas e especiarias, frutos secos, vegetais, peixes e frutos do mar. Ainda que as crianças sejam o grupo mais afetado, alergias ou intolerâncias alimentares podem se manifestar em qualquer estágio da vida.

Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, a condição alérgica atinge cerca de 5% da população adulta e perto de 8% das crianças. A tendência à alergia alimentar é uma condição hereditária, mas o “gatilho” vem do ambiente ao qual a pessoa está exposta. O grupo mais propenso a desenvolvê-la são os bebês.

Por este motivo, é importante o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade. Na impossibilidade, a substituição deve ser por fórmulas lácteas. De acordo com recomendações da OMS – Organização Mundial da Saúde, outros alimentos devem ser introduzidos na dieta somente após os 6 meses. No Brasil, observamos que entre os principais alimentos desencadeadores de alergias, destacam-se: leite, ovo, soja, trigo, amendoim, castanhas, crustáceos e peixes.

Devido às características da população e recentes mudanças dos hábitos alimentares, kiwi e gergelim também têm apresentado um aumento da prevalência de reações alérgicas. Enquanto cacau, corantes e a carne do porco acabaram se revelando menos alergênicos do que se acreditava.

Existe a crença de que as alergias alimentares são uma condição para toda a vida, porém é possível reverter alguns quadros. Isso depende da característica do alérgeno, sendo assim, a duração da alergia varia de acordo com o alimento em questão. As alergias que se iniciam, mais comumente, na infância (leite, ovo, soja, trigo) apresentam maior probabilidade de se resolver até a adolescência, com uma tolerância oral.

Já outros alimentos, como amendoim, castanhas, peixes e frutos do mar, são tipicamente persistentes. As alergias e intolerâncias geralmente são percebidas pela apresentação de sintomas sempre quando há ingestão ou contato com um determinado alimento e o diagnóstico depende de avaliação médica, testes e exames laboratoriais específicos. No caso da intolerância alimentar, observa-se que os sintomas se manifestam com menor intensidade e não parecem estar diretamente relacionados à ingestão dos alimentos.

A detecção de alergias alimentares é importante para evitar que os sintomas evoluam. As reações mais comuns são urticárias, manchas avermelhadas, inchaço de olhos e boca, sintomas nasais, broncoespasmo abrupto, diarreia e/ou vômitos imediatos. O quadro mais grave envolve a anafilaxia, que pode levar à morte se não houver socorro imediato. Os tratamentos para alergia e intolerância alimentares são completamente diferentes.

Para combater a alergia é necessário eliminar o contato, inalação ou consumo do alimento envolvido. Alguns pacientes com diagnóstico de alergia desenvolvem tolerância ao alimento envolvido, que volta a ser consumido sem manifestações alérgicas. Mas vale ressaltar que esse processo só deve ser feito com o acompanhamento de um especialista, pois pode desencadear reações graves.

Já em casos de intolerância, o paciente pode tolerar certas doses do alimento, sendo isso bem individual e a própria pessoa acaba por distinguir essa dose conforme os sintomas. Em caso de falha do tratamento clínico de medidas de controle ambiental e início de uma reação alérgica, o tratamento geralmente se dá pelo uso de antihistamínicos e/ou corticóides.

No caso de anafilaxia, alguns pacientes orientados podem utilizar a caneta para autoinjeção de epinefrina, mas na indisponibilidade dela devem procurar um hospital. É importante salientar que o auxílio médico é fundamental para identificar se os sintomas são fruto de alergia ou intolerância alimentar e qual o tratamento mais adequado para a condição apresentada.

* Dra. Ully Alla é especialista em Endocrinologia e Metabologia pela Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência de São Paulo.



As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.


O poder da gentileza

O mês de novembro traz uma comemoração muito especial e essencial para estes tempos pandêmicos e de tanta polarização política: o Dia da Gentileza.


Branco no preto

As pessoas pretas no Brasil vivem pior do que as pessoas brancas, independentemente de qualquer situação.


Politicamente Correto, Liberdade de Expressão e Dignidade Humana

Estamos vivenciando, há tempos, a dicotomia de opiniões, a divisão clássica na qual a forma de expressar, de pensar, contém apenas lados antagônicos, separados que não podem convergir ou, ao menos, serem respeitados.