Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como identificar um funcionário improdutivo?

Como identificar um funcionário improdutivo?

21/09/2016 Christian Barbosa

O primeiro passo é entender que podemos tornar qualquer pessoa mais produtiva.

Como identificar um funcionário improdutivo?

Frequentemente sou questionado sobre como identificar um profissional com problemas de produtividade e de que maneira é possível resolver isso.

Essa pergunta tem várias respostas e diversas abordagens, porém sempre ressalto que o primeiro passo é entender que podemos tornar qualquer pessoa mais produtiva.

Isso ocorre porque, da mesma maneira que conseguimos transformar o planejamento das atividades e renovar a energia diária, podemos interferir na forma como uma pessoa produz.

Basta identificar o problema e investir em técnicas que ajudem a estimular o desenvolvimento profissional. Para auxiliar nessa tarefa, selecionei algumas maneiras de identificar um profissional improdutivo e destaquei ações que vão corrigir esse problema. Confira:

Mais desculpas do que resultados – As pessoas produtivas dão um jeito de fazer as coisas acontecerem, diferentemente daquelas que não fazem e procuram desculpas, culpam os outros ou, simplesmente, deixam passar. Essa é a grande diferença entre os profissionais.

Tendência a ser medroso - O funcionário improdutivo é muito medroso. Geralmente, ele tem o hábito de dizer que não realizou determinada tarefa por conta de inúmeros problemas ou que achou melhor fazer diferente. No entanto, em grande parte das vezes, esse medo é um perfeccionismo, uma forma de não querer errar, o que prejudica a produtividade. Por isso, é papel do líder definir o caminho que o profissional deve seguir, às vezes esse medo surge porque o gestor não ajuda a criar confiança.

Faz hora extra muitas vezes – O profissional que não consegue realizar suas atividades no horário de expediente acaba fazendo hora extra. No entanto, existe uma linha tênue entre a falta de horas e a falta de produtividade. É difícil entender isso, a recomendação é fazer uma análise básica de quanto tempo você demoraria para realizar determinado trabalho, acrescentar mais 30% ao tempo total e avaliar se o profissional está dentro dessa linha base.

Converse e encoraje a melhora - Ao entender os pontos que levam o profissional à improdutividade, chame para uma conversa e dê argumentos para ele performar melhor no ambiente de trabalho. Entenda que é preciso dar mais confiança, delegar melhor as tarefas e deixar claro como as coisas devem acontecer.

Dê um treinamento de produtividade – Essa é uma iniciativa que ajudará o profissional a criar um modelo produtivo. Um curso de produtividade mostrará ao profissional como é possível tornar todas as tarefas viáveis e, consequentemente, resultará em uma melhora na execução diária.

Dê chances para essa pessoa – Antes de desligar o profissional da equipe, converse com ele uma, duas, três vezes. Chamo isso de regra tríade da admissão e da demissão: quando a pessoa tem muitos problemas, dê três feedbacks. Caso isso não resolva, aí sim é hora de demitir. Essa é uma ação importante para não prejudicar os demais, pois, ao manter um funcionário que não apresenta resultados eficientes, você favorece aquele que não é produtivo e desamina os bons profissionais.

Essas são apenas algumas dicas para avaliar o seu profissional e entender como é possível acabar com a improdutividade. Claro que o assunto é extenso e existem inúmeras estratégias, no entanto, é importante identificar quem são aqueles que não apresentam resultados eficientes na sua equipe e trabalhar na solução disso, evitando que os demais sejam contaminados pelo baixo rendimento.

*Christian Barbosa é especialista no Brasil em administração de tempo e produtividade.



Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira