Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Comportamento de cliente influencia em fraudes eletrônicas

Comportamento de cliente influencia em fraudes eletrônicas

29/11/2012 Jeferson D'Addario

Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) a ocorrência de fraudes eletrônicas bancárias, em 2012, chegará a gerar um prejuízo de R$ 1,4 bilhões aos bancos brasileiros, e o principal fator para este acontecimento é o comportamento do cliente.

Segundo a entidade, por descuido ou falta de conhecimento, os clientes bancários ainda são o alvo principal e as fraudes deste segmento acontecem por meio deles mesmos. Mas, isto ainda é novidade? Ou desculpa para justificar as altas taxas de juros ou de operação?

Com o crescimento do uso da Internet, desde 2000, ou seja, há mais de uma década, compras realizadas por meios eletrônicos, além de outros serviços e funções sendo migrados de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) para TICI (Tecnologia da Informação, Comunicação e Interatividade) nos próximos 10 anos, creio que esta desculpa não pode mais ser tão simples assim.

É óbvio que os clientes precisam aumentar as defesas nos computadores pessoais, além de mudarem o comportamento em alguns casos. Porém, os bancos precisam mudar as técnicas de conscientização, que são em grande parte textos não muito simples de entender em websites ou cartilhas, semelhantes às distribuídas em agências.

Os bancos precisam entender que apesar da grande maioria já saber utilizar computadores e internet, segurança é algo muito diferente. Eles precisam ser mais ativos e menos orientativos. Bancos viraram commodities, e precisam ser cada vez mais invisíveis. A invisibilidade será sinônimo de confiabilidade e tranquilidade.

Ser menos aparente e ter tecnologias interativas com mais controles biométricos, por exemplo, farão o usuário ser uma opção inviável aos fraudadores. Creio que em um futuro próximo, biometrias e outros dispositivos, como tokens bancários e certificados digitais nativos e integrados, serão mandatórios para clientes, que não precisam entender nada sobre isso, durante ações do dia a dia que envolvem transações financeiras.

Com isso, taxas bancárias precisarão ser reduzidas. Hoje, muitos bancos justificam o investimento nestas novas tecnologias de proteção do patrimônio e do cliente, através destas taxas, por isso que há a justificativa. Isto é teoria do CAOS?

Enfim, clientes são o elo mais fraco, portanto não se trabalha em segurança da informação para o elo mais fraco ou justificando-se através dele. Proteja-o partindo do princípio que é fraco, antecipe, crie meios sinérgicos com o dia a dia dele, para que ele nem saiba que está sendo protegido.

*Jeferson D'Addario, sócio fundador da DARYUS Consultoria.



Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.


2021 – A ironia de mais um ano que ficará marcado na história

Existe um elemento no ano de 2021 que imputou e promoveu uma verdadeira aposta de cancelamentos e desejos para que ele seja mais um ano apagado da memória de milhares de pessoas: A pandemia, que promoveu o desaparecimento definitivo de milhares de pessoas.


Negócios do futuro: por que investir em empreendedorismo no setor financeiro

Você sabia que 60% dos jovens de até 30 anos sonham em empreender?


A importância de formar talentos

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.


Sustentabilidade em ‘data center’: setor se molda para atender a novas necessidades

Mesmo que a sustentabilidade ainda seja um tema relativamente novo no segmento de data center, ele tem se tornado cada vez mais necessário para as empresas que querem agregar valor ao seu negócio.


Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.