Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Cuidado com o abuso do álcool pós bariátrica

Cuidado com o abuso do álcool pós bariátrica

10/10/2018 Dr. Henrique Eloy

Um dos objetivos da cirurgia bariátrica é reduzir o estômago para auxiliar na perda de peso.

Essa metodologia, cada dia mais procurada por pessoas obesas, pode acarretar muitos ganhos para a saúde do indivíduo pós operação, desde que alguns cuidados sejam levados em consideração.

Um estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh, nos EUA, mostrou que pacientes obesos que se submeteram à cirurgia bariátrica correm mais risco de abuso e dependência de álcool, no segundo ano, após a operação. Segundo os autores, a probabilidade é maior entre as pessoas que optaram pelos métodos gastrectomia vertical (sleeve) e gastroplastia com desvio intestinal em Y de Roux - o bypass gástrico - tipo mais popular da cirurgia no mundo e responsável por 70% do total analisado na pesquisa.

O Brasil é considerado o segundo no ranking em número de cirurgias bariátricas e as mulheres representam 76% dos pacientes. Já o problema com álcool, atinge em média 25% dos pacientes e seu uso abusivo no pós-operatório é a principal causa da recidiva – termo técnico cirúrgico para reganho de peso. Isto acontece devido à mudança na absorção de álcool pelo organismo após a cirurgia. Com a alteração do aparelho digestivo, a substância passa direto para o intestino e é absorvido mais rapidamente, além de demorar mais tempo para ser eliminada.

E o mais curioso de tudo é que o paciente desenvolve este quadro sem perceber que está nele. É muito comum a substituição de alimentos sólidos por alimentos líquidos após a cirurgia. Isso porque a ingestão de bebidas alcoólicas e outras líquidas raramente podem causar desconforto gástrico, como as vezes acontece com os alimentos mais rígidos. A partir disso, a bebida provoca saciedade, o que leva a muitos pacientes operados a trocarem as refeições tradicionais por bebidas alcoólicas.

Contudo, a relação médico-paciente é essencial para garantir o acompanhamento pós cirúrgico e evitar o aparecimento ou agravamento da relação com a bebida alcóolica. A cirurgia bariátrica aumenta a sensibilidade do organismo ao álcool, por isso, é preciso de um acompanhamento de perto. Esse tipo de auxílio é útil para que o paciente não desenvolva uma dependência.

Além de bebidas alcoólicas, fica também o alerta para outros produtos de aspecto pastoso e gelatinoso como o leite condensado, o milk shake, refrigerantes, energéticos, sucos engarrafados, iogurtes e outros industrializados. Todos com um teor calórico elevado a ponto de trazer de volta todos os quilos perdidos durante o tratamento.

Para identificar essa situação, existe um teste. Tal procedimento de identificação de transtornos por uso de álcool, responsável por verificar sintomas de dependências e prejuízos, o indivíduo de maior risco é formado por pacientes jovens do sexo masculino, fumantes, consumidores regulares de álcool e usuários recreativos de drogas. Ainda mais se tiver um histórico familiar ou até mesmo pessoal de abuso desta substância.

* Dr. Henrique Eloy é especialista em cirurgia e endoscopia bariátrica e gastroenterologia.

Fonte: Naves Coelho Assessoria e Marketing



Superando os gigantes

A pequena Faculdade de Sabará demonstrou fazer jus ao ditado popular de que “tamanho não é documento”.


Sentença da juíza do Paraná

A sentença do Paraná traz a minha memória uma decisão que proferi quando exercia a função judicante.


A burra de Martim Tirado

As velhas historietas que os avós contavam à lareira.


Erros comuns de mulheres nos exercícios da academia

Perder mais peso e diminuir o risco de lesões eliminando os seguintes maus hábitos de suas rotinas.


Uma aula de vida

Uma aula de busca de liberdade em um filme para rever a cada instante!


Como estar preparado para a possível reforma tributária?

A reforma tributária deve ser um dos maiores desafios neste primeiro mandato.


Pressão popular e o poder judiciário

A imparcialidade do magistrado é princípio primeiro para o exercício da judicatura.


O caminho da simplicidade

Todos temos um grau de acumulador.


Sonhos precocemente interrompidos

Culpa consciente ou dolo eventual?


Precisamos desconectar

Um estudo recente da Universidade Estadual de São Francisco, na Califórnia (EUA), apontou que interagimos, em média, 2.617 vezes por dia com nossos smartphones.


Ministro Moro no país das narrativas

Mais importante que a dureza da lei, porém, é a certeza de sua aplicação.


Lula, a vestal do prostíbulo da lavagem de dinheiro

O PT está em pavorosa vendo seu expoente maior afastado da vida política, condenado e preso.