Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dantas, Nahas, Pitta… E o mandante?

Dantas, Nahas, Pitta… E o mandante?

21/07/2008 Dirceu Cardoso Gonçalves

 As prisões dos megaempresários Daniel Dantas e Nagi Nahas, do ex-prefeito (de São Paulo) Celso Pitta e de mais 21 pessoas de suas relações, trazem de volta à ordem do dia o famigerado "mensalão" que, infelizmente, terminou com todos os contornos de impunidade ao final de uma ruidosa CPI instalada no Congresso Nacional.

Dantas, o poderoso banqueiro controlador de empresas de telecomunicações, segundo o que apurou a Polícia Federal, era a fonte dos recursos que o publicitário Marcos Valério distribuía para parlamentares votarem de acordo com os interesses do governo. Esse numerário seria desviado de verbas públicas e passaria por lavagem. Dantas, Nahas (já conhecido de episódios anteriores) e Pitta vão para a cadeia exatamente quando o governo brasileiro consegue a extradição do ex-banqueiro Salvatore Cacciola, que nos próximos dias deverá chegar de Mônaco para pagar a pena de 13 anos de prisão a que foi condenado por quebrar seu banco e fugir com o dinheiro sacado do Banco Central.

São acontecimentos que sugerem o raciocínio de que a corrupção e a  impunidade - grandes desgraças deste país - estão chegando cedendo lugar è responsabilidade e à honestidade. Mas ainda falta muito para que essa idéia realmente se concretize. Os presos - sejam quais forem - têm de ser investigados rigorosamente para que paguem até o último tostão tudo aquilo que tenham retirado irregularmente dos cofres públicos. Não basta só a prisão e o constrangimento. Há que se reaver o dinheiro roubado e este, finalmente, ser investido no bem-estar do povo, seu legítimo dono. Na esteira das prisões dos megaempresários, do ex-político e de seus respectivos comparsas, há que se puxar o fio da meada para também buscar os  seus parceiros. Deve haver gente de fora e de dentro da máquina pública envolvida até o último fio de cabelo com toda essa sujeira. Da mesma forma que a polícia foi capaz de identificar as cabeças executantes da organização criminosa, será de bom alvitre também localizar e prender os seus co-participantes, intermediários, beneficiários e, principalmente, o mandante.

Assim como toda tropa tem seu comandante e toda orquestra seu maestro, toda ação criminosa tem seu mandante. Prender só os executores não é o suficiente. Todo o dinheiro pilhado do cofre público tem de a ele voltar. Os ladrões que o levaram têm de ir para a cadeia. Não importa se têm colarinho branco ou a imunidades. Ladrão é ladrão em qualquer circunstância e tem de ser tratado como tal. A Justiça e a Polícia Federal têm feito a sua parte. Espera-se agora que o manto da impunidade e do corporativismo não deixem soltos os comparsas daqueles cujos crimes já foram identificados. Só assim conseguiremos construir o país sério e justo que povoa os sonhos de todo cidadão honesto e decente...

*Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves -  diretor da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 



Cuidar da saúde mental do colaborador é fator de destaque e lucratividade para empresa

O Setembro Amarelo é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio, mas que coloca em evidência toda a temática da saúde mental.


Setembro Amarelo: a diferença entre ouvir e escutar

Acender um alerta na sociedade para salvar vidas quando se fala em prevenção ao suicídio é tão complexo quanto o comportamento de uma pessoa com a intenção de tirar a própria vida.


Desafios para a Retomada Econômica

A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre mostrou uma leve retração da atividade produtiva de 0,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior.


Setembro Amarelo: é preciso praticar o amor ao próximo

Um domingo ensolarado é um dia perfeito para exercitar a felicidade, passear no parque, levar as crianças na piscina ou encontrar os amigos com seus sorrisos largos e escancarados.


Setembro Amarelo: é preciso ter ferramentas para lidar com o mundo

No semáforo, a cor amarela é frequentemente associada com desaceleração. O motorista precisa reduzir a velocidade ou até mesmo parar.


Da apropriação ilícita dos símbolos da Nação

Uma nova prática vem sendo efetivada por políticos e partidos radicais em âmbito mundial, a apropriação dos símbolos da nação como se fossem bandeiras de suas filosofias.


Tecnologia é fundamental para facilitar o processo de legalização de novos negócios no Brasil

Imagine se todo o recurso humano e dinheiro envolvidos no processo de abertura e legalização de uma empresa no Brasil fossem utilizados para promover mais eficiência e valor agregado para a sociedade?


Como a tecnologia pode criar uma cultura de reciclagem

Diante das diversas transformações no mundo dos negócios e no modelo de atendimento aos consumidores, empresas de todos os segmentos estão sendo obrigadas a buscarem soluções que permitam acelerar a inovação e a eficiência de seus negócios.


As regras essenciais para o uso de vagas de garagem em condomínios

A garagem traz para o condômino segurança e comodidade para os moradores.


Como usar a sua voz para compartilhar as suas ideias?

Você já se perguntou quantas palavras fala diariamente?


A jornada de inovação dos caixas eletrônicos

Quando os primeiros caixas eletrônicos chegaram ao Brasil, no início dos anos 1980, a grande novidade era a possibilidade de retirar dinheiro ou emitir um extrato de forma automatizada.


A nota oficial do Presidente da República

Após o excesso de retórica do mandatário maior da nação ocorrida no dia de uma das maiores manifestações já realizadas e vistas pelo povo brasileiro, o Presidente da República, veio a público, através de nota oficial, prestar a seguinte declaração, da qual destaca-se os seguintes parágrafos: