Portal O Debate
Grupo WhatsApp

De médico, marqueteiro e louco, todo mundo tem um pouco

De médico, marqueteiro e louco, todo mundo tem um pouco

09/05/2018 Gislayne Muraro

Apenas os esforços e competências na comunicação não garantem fidelidade de um comprador.

Costuma-se dizer que todo mundo (acha que) entende de futebol no Brasil: somos mais de 200 milhões de técnicos da seleção brasileira dando pitacos na escalação o tempo todo. Mas isso não acontece só com o Tite.

Nós, marqueteiros e marqueteiras, também enfrentamos um pouco disso, ainda mais em um País como o Brasil, onde o gosto pela propaganda é bastante evidente na população, e todo mundo comenta e opina sobre ações de marketing.

Recentemente, passei o feriado com minha família em um hotel que me atraiu por conta da excelente comunicação publicitária. Tudo estava engrenado: site bem feito com fotos maravilhosas, campanha atraente, ações de marketing digital e de remarketing. Tudo impecável.

E, assim, fui convencida e atraída a comprar e consumir o produto. No entanto, se me perguntarem se voltarei ao hotel, a resposta será um enfático NÃO! A boa comunicação e posicionamento da marca conseguiram me atrair, mas isso não basta. Os diversos problemas de atendimento, instalação, má vontade e falta de preparação dos funcionários impedem de me tornar uma fiel consumidora.

Essa experiência me remeteu a um ponto importante do livro “Marketing e comunicação na era pós-digital”, de Walter Longo, que fala que a diferença entre a teoria e a prática na gestão de marketing é que, na teoria, tudo é lógico e centralizado, e na prática, o processo que envolve a preservação e cuidado com a imagem da marca acaba sendo executado por outros departamentos, e muitas vezes, sem o envolvimento do marketing.

Apenas os esforços e competências na comunicação não garantem fidelidade de um comprador. Cada vez mais os profissionais de marketing precisam ter um perfil de general e controlar com mais precisão e assertividade as ações da empresa, afinal, “não tem coisa pior que propaganda boa para um produto ruim”.

É claro que a voz de toda torcida (empresa) precisa ser ouvida: muitas vezes, quem vê de fora consegue enxergar detalhes que passam despercebidos por quem está envolvido no trabalho. Mas, ser um profissional de marketing não é para todo mundo. Dedicação, esforço e estudo fazem parte do processo para se tornar um.

É claro que todos podem influenciar positiva e negativamente a imagem de uma marca, mas cabe ao marqueteiro identificar a melhor forma de lidar com isso, criando estratégias e táticas que garantam o posicionamento desejado. Não é fácil, né? Mas, se fosse fácil, qualquer um faria. Mãos à obra!

* Gislayne Muraro é publicitária com especialização em planejamento e gestão de negócios e desenvolvimento gerencial.

Fonte: Central Press



A onda do tsunami da censura

A onda do tsunami da censura prévia, da vedação, da livre manifestação, contrária à exposição de ideias, imagens, pensamentos, parece agigantar em nosso país. Diz a sabedoria popular que “onde passa um boi passa uma boiada”.


O desserviço do senador ao STF

Como pode um único homem, que nem é chefe de poder, travar indefinidamente a execução de obrigações constitucionais e, com isso, impor dificuldades ao funcionamento de um dos poderes da República?


Anedotas com pouca graça

Uma anedota, de vez enquanto, cai sempre bem; como o sal serve para temperar a comida, a anedota também adoça a conversa ou o texto.


Cada um no seu quadrado e todos produzindo…

Muito oportunas as observações do Prof. Ary Oswaldo Mattos Filho, de que em vez dos simples projetos que visam reforçar o caixa da União – como a alteração no Imposto de Renda ora em tramitação pelo Congresso – o país carece de uma verdadeira reforma tributária onde fiquem bem definidos os direitos e obrigações da União, Estados e Municípios.


Você já respirou hoje?

Diagnóstico e tratamento corretos salvam vidas na fibrose cística.


Jogos para enfrentar a crise

O mundo do trabalho nunca mais será o mesmo.


O trabalho de alta performance no Hipismo

O que os atletas precisam para o desempenho perfeito em uma competição? Além do treinamento e esforços diários, eles precisam estar em perfeita sintonia com o corpo e a mente.


Bons médicos vêm do berço

Faz décadas assistimos a abertura desenfreada de novas escolas médicas, sem condição de oferecer formação minimamente digna e honesta.


Wellness tech e a importância da saúde mental dentro das organizações

A pandemia de covid-19 impactou a vida de todos nós, pessoal e profissionalmente.


Manifestações do TDAH

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade em adultos e crianças.


Cuidar da saúde mental do colaborador é fator de destaque e lucratividade para empresa

O Setembro Amarelo é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio, mas que coloca em evidência toda a temática da saúde mental.


Setembro Amarelo: a diferença entre ouvir e escutar

Acender um alerta na sociedade para salvar vidas quando se fala em prevenção ao suicídio é tão complexo quanto o comportamento de uma pessoa com a intenção de tirar a própria vida.